Convivendo

Como ter um guarda-roupa mais sustentável?

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Tentar reduzir ao máximo a produção de lixo é a proposta do projeto “Um ano sem lixo“, criado por Cristal Muniz. Ela é uma designer gráfica que decidiu se dar o desafio de ter uma vida mais sustentável e ajudar o planeta mandando menos coisas para os aterros sanitários.

Através do blog, ela conta sua trajetória no desafio e também encoraja outras pessoas explicando como todos podem fazer o mesmo, seja ensinando como fazer seu próprio hidratante ou dando algumas alternativas ao uso do papel higiênico. Realmente não é uma tarefa fácil, ainda mais no nosso país, onde as coisas são geralmente feitas visando o consumo exacerbado e, principalmente, levando dois fatores que são problemáticos para quase todos: tempo e dinheiro.

O valor alto e a falta de praticidade de iniciativas como essa costumam fazer qualquer um desistir do projeto depois de algumas tentativas, tanto que a própria Cristal fez um relato no blog sobre fracassar nos objetivos e produzir muito mais lixo do que pensava inicialmente, exatamente por estes fatores totalmente compreensíveis e que todos sabemos bem que estamos sujeitos.

No entanto, se levar o projeto “Um ano sem lixo” à risca pode ser muito difícil, colocar em prática algumas das dicas da Cristal é algo totalmente viável. Uma delas, a que propomos aqui, é a de ter um guarda-roupa mais sustentável.

Calma, não estamos falando sobre um guarda-roupa apenas com roupas usadas, de tecido natural, advindas de brechó ou apenas com uma muda de roupa. Ter um guarda-roupa sustentável é, na verdade, algo muito prático e que todos deveríamos aderir.

Significa basicamente só ter as roupas que você realmente usa e precisa. O primeiro passo é fazer uma limpeza daquelas bem intensas. Tire tudo do seu guarda-roupa e separe as peças (incluindo sapatos e acessórios) em três pilhas: o que fica e o que pode ser doado. Acredite em mim, dificilmente você terá uma roupa em tão péssimo estado que não serve para os moradores de rua e necessitados, ainda mais nesse frio. Sem contar que o foco deste texto é te ensinar a não produzir ainda mais lixo, então, sempre se lembre de que tudo deve ser reaproveitado.

Quando definir o que fica, a proposta seguinte é: só compre peças novas se for necessário. Afinal, ninguém precisa de mais uma peça de roupa toda semana ou nem mesmo todo mês. Reeduque seu impulso consumista e aprenda que comprar só por comprar não faz bem a ninguém. A felicidade que sentirá instantaneamente vai passar na hora de pagar o cartão de crédito e também quando se der conta de que não precisava de mais uma calça jeans.

Pense muito bem antes de adquirir qualquer morador novo para o seu guarda-roupa. E quando a compra for realmente necessária, se certifique de comprar uma peça de boa qualidade. Dessa forma, ela durará vários anos e não precisará ser reposta tão cedo. Uma roupa bem feita pode até custar mais caro, mas sem dúvida se mostrará uma escolha melhor a longo prazo, visando o custo-benefício. Aprender a cuidar corretamente das peças de roupa e sapatos também é uma boa forma de garantir a sustentabilidade; se você lavar de forma adequada uma boa camiseta preta ela nunca desbotará e não será preciso fazer sua reposição tão cedo.

Uma peça de roupa no Brasil não tem esquema de reciclagem, o que significa que se for descartada irá diretamente para uma das pilhas do aterro sanitário. Pense nisso sempre antes de comprar mais peças ou descartar alguma outra. Lembre-se sempre: qualidade é melhor que quantidade. Um guarda-roupa sustentável faz bem para o meio ambiente, para o seu bolso e para sua consciência.


Texto escrito por Roberta Lopes da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]