Convivendo

Conheça o conceito “Pay as you feel”

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
A economia anda em crise mundialmente, e principalmente aqui no Brasil, onde a política criou problemas gigantescos e causou uma série de desempregos e fechamento contínuos de empresas das mais diversas áreas. No entanto, a criatividade e a inovação sempre dão um jeito de aquecer o mercado e mostrar novas formas de se relacionar com o dinheiro, o consumo e a lei de oferta e procura. É o caso do conceito “Pay as you feel” ou “Pague o quanto quiser”, em bom português.

A proposta básica deste conceito o próprio nome já diz. Não existe uma tabela de preços e um valor fechado que deve ser pago pela mercadoria que se compra ou consome, apenas a fé no bom senso do comprador dentro de suas possibilidades. A ideia é que você pague o quanto pode, mas que também saiba valorizar o bem que está consumindo. É aí que talvez more o grande problema deste conceito, a cultura e a educação das pessoas.

Afinal, se você tem dinheiro sobrando e resolve apenas pensar em si mesmo e pagar uma mixaria por algo que sabe que vale muito mais, você acaba quebrando todo o ciclo. O ideal é que você inclusive pague a mais caso tenha dinheiro “sobrando” naquele mês quando sabe que o estabelecimento pode ter a visita de pessoas com apenas algumas moedas para se alimentar. Além de inovação, este conceito busca uma solidarização, humanização e bons pensamentos ao próximo. É, além de uma nova forma de venda, um incentivo na forma benéfica com que as pessoas podem se relacionar.

A prática tem adeptos ao redor do mundo e tem conseguido alguns projetos também no Brasil, porém a cultura brasileira ainda deixa muitos inseguros de fazer este tipo de forma de pagamento. É um conceito para corajosos de bom coração, eu diria. Mas também pode ser uma ótima forma de fazer com que o mundo seja mais igualitário e justo para as mais diferentes classes sociais.

Confira abaixo uma lista com alguns estabelecimentos voltados para a alimentação que adotaram a prática:

– Aro 27 Bike Café

Rua Eugênio de Medeiros, 445 – São Paulo – SP

No bairro Pinheiros, em SP, este lugar é um misto de loja de bicicletas e café. Diariamente tem um item do cardápio (geralmente um bolo de sabores variados), em que não existe preço estabelecido. Você paga o que achar justo por ele.

– Preto café

Rua Simão Álvares, 781, Pinheiros – SP

Um café onde não existe cardápio. São diversos tipos de doces e salgados que variam de acordo com o dia e pelos quais você paga o que quiser, podendo usar até uma máquina de cartão para isso. O projeto é ousado, mas tem dado certo.

– Curto Café

Edifício Garagem Menezes Cortes – Av. Erasmo Braga, 278 – Quiosque 47 – Centro, Rio de Janeiro – RJ

Uma proposta carioca também inovadora onde tudo é cobrado pelo preço que você estiver disposto a pagar. Tem uma aceitação muito grande e geralmente é indicado exatamente por este motivo e pelo ótimo café expresso.

– Lentil As Anything, Melbourne – Austrália

É um restaurante vegetariano em que os clientes se servem à vontade e depois de se alimentarem depositam em uma caixa de madeira o valor que puderem para contribuir com a iniciativa. Passam cerca de 900 pessoas diariamente pelo local.

– Pay As You Please, Killarney, Condado de Kerry – Irlanda

Neste caso, além de você economizar pagando só o que puder e quiser, o restaurante ainda permite que você leve sua própria bebida alcoólica e economize ainda mais.

– Same Cafe e Cafe180, Denver, Colorado – Estados Unidos

No caso destes estabelecimentos, você pode inclusive pagar sua refeição através de trabalho voluntário.

– Soul Kitchen, Red Bank, New Jersey – EUA

Restaurante que faz parte da Fundação JBJ Soul, do músico Jon Bon Jovi. Oferece diariamente pratos da culinária local com ingredientes que valorizam a produção da região. O valor fica no mínimo em 10 dólares ou voluntarismo.


Texto escrito por Roberta Lopes da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]