Convivendo

Conselhos de carreira que valem ouro

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Não é novidade para nenhum de nós que nosso país passa por um momento de desafios, mudanças constantes e recesso no mercado de trabalho. Muitos de nós estamos inseridos ou de alguma forma envolvidos nessas questões. Nesse momento, é muito importante estarmos atentos às novidades e às oportunidades que vêm surgindo, através da busca contínua por desenvolvimento pessoal e profissional.

Separamos aqui algumas dicas de especialistas na área que podem (e muito) ajudá-lo a se desenvolver profissionalmente na carreira:

1 – Use seu lado “irracional”

O instinto pode e muito ajudar nas tarefas profissionais no dia a dia. Segundo a coach Marie-Josette Brauer, presidente do Innovation Coaching Center, seguir suas intuições e pressentimentos sobre alguma decisão estratégica pode ser de grande valia nas corporações.

“A intuição pode ser ouvida nos momentos mais inesperados e possivelmente quando for mais necessária”, diz. “É nas horas mais difíceis que ela será mais confiável e útil”.

2 – Estude sempre, mas não se esqueça de viver sua vida

Brauer ressalta que todo conhecimento é de suma importância para a vida pessoal e profissional, porém defende que a vida prática – a que é vivida diariamente por meio da interação interpessoal – é a melhor maneira de aprender coisas novas e obter experiências que possam contribuir para a vida das pessoas.

3 – Saiba o momento de desistir

Aprendemos que não devemos desistir nunca de nossos objetivos, porém, para o escritor e palestrante Roberto Shinyashiki, presidente da Editora Gente, a melhor resposta a certos impasses que acontecem em alguns momentos da vida pode ser simplesmente “jogar a toalha”.

Por exemplo: mudou de profissão, de área e não vai mais utilizar o que aprendeu na faculdade? Let it go! Abandone de vez o que não cabe mais na sua vida. É preciso se libertar de certas coisas para de fato se lançar em novos projetos, ou nunca vai “engrenar” de fato.

4 – Não desvie do seu caminho

Ganhar um dinheiro extra é bom, mas essas pequenas tarefas que exigem a recompensa financeira podem tirar você do seu caminho, segundo Roberto Shinyashiki.

“Não vale a pena sair de um emprego interessante ou se distanciar de uma área promissora só para ganhar um ‘dinheirinho’ a mais”, diz o escritor e palestrante.

Nesse momento, é importante cuidar das finanças pessoais para que não precise sair do seu caminho maior, seus projetos de vida.

5 – Mantenha uma “distância segura” de certas pessoas

Todo lugar, seja em empresas, comércios etc., é importante contar com um clima organizacional agradável e positivo. No entanto, sabemos que sempre tem aquela pessoa que tem a tendência de “contaminar” as demais com sua negatividade. Brauer defende que é importante identificar logo quem é essa pessoa e ficar atenta com ela para assim poder gerenciar esses momentos da melhor maneira.

“A figura tóxica do seu ambiente de trabalho pode ser um superior, um cliente, um colega”, explica a coach. “O importante é identificar essa pessoa e não a deixar estragar o seu dia nem mesmo atrasar o seu percurso até um objetivo profissional”. 

6 – Não crie expectativas de seu empregador te fazer feliz

A satisfação pessoal e profissional no ambiente de trabalho tornou-se uma constante preocupação aos empregadores e gestores. Um exemplo claro é a Google e seus “mimos” encontrados nos escritórios com o objetivo de oferecer conforto e para que seus funcionários possam explorar cada vez mais suas criatividades e trabalharem felizes.

Mas não é somente os empregadores que devem se preocupar com o bem-estar dos colaboradores. Segundo Brauer, essa é uma questão pessoal e intransferível. “Enxergue seu ambiente de trabalho como um espaço em que cada um deve criar a sua felicidade”, ressalta.

7 – Modéstia demais não faz bem

Normalmente, evitamos dizer no que somos bons em fazer, pois temos receio de parecermos arrogantes e prejudicarmos nosso marketing pessoal.

“Em países latinos, como o Brasil, existe uma certa vergonha em dizer que você é bom em alguma coisa”, afirma Fabrício Barbirato, diretor do IDCE (Instituto de Desenvolvimento de Conteúdo para Executivos).

Segundo Fabrício, não é saudável esconder as habilidades que fazem o profissional ser quem ele é. É importante ter uma “marca pessoal” e procurar promovê-la.

“Nunca desperdice a oportunidade de falar sobre algo que você fez bem”, diz Barbirato.


Escrito por Bruno da Silva Melo da equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]