Convivendo

Dia do Pedagogo: lembrar que educar é resistir

Professora sentada em sua mesa da sala de aula usando notebook
123RF

O pedagogo é o profissional que está habilitado a ensinar crianças, jovens e adultos nas primeiras fases da aprendizagem. Desde muito pequenas, as crianças têm ido à escola para desenvolver habilidades e raciocínio lógico que não conseguiriam desenvolver apenas em casa, com a família. O convívio com os pares é extremamente importante e é na escola, com a mediação do professor, que tudo é possível.

Muitas vezes, não sabemos que os professores da Educação Infantil, dos primeiros anos do Ensino Fundamental e da Educação de Jovens e Adultos (EJA) são pedagogos. Comemorar o dia do pedagogo é bem mais que agradecer a esses profissionais que tanto se esmeram no direcionamento de quem está aprendendo as primeiras lições no mundo da alfabetização e do letramento. Como diria Paulo Freire, mestre e vulto da educação contemporânea, educar é bem mais do que transmitir conhecimento; é desejar que seus educandos despertem, buscando por si próprios o saber, com as ferramentas adequadas, possibilitadas pelos educadores. A educação é libertadora e é provavelmente a única “arma de paz” com que podemos lutar contra as vicissitudes da vida. É algo que não nos tiram e que nos leva mais longe no caminho da evolução. O conhecimento nutre a mente e a alma e nos torna mais fortes.

Aluna em pé na sala de aula segurando seus livros e sorrindo
Javier Trueba/Unsplash

O profissional pedagogo, muito provavelmente, escolheu sua profissão muito antes de saber das dificuldades para desempenhá-la. As crianças que, logo cedo, brincam de dar aula para suas bonecas estão alimentando o desejo de, mais tarde, mediar o saber. É importante não romantizar a profissão, pois haverá muitos momentos difíceis a serem vivenciados em sala de aula. O professor enfrenta o descaso da administração pública, a fome, a miséria, a falta de recursos, o cansaço, a violência. Mas todo professor que ama sua profissão sabe desses percalços e os encara de peito aberto, mesmo que às vezes possa se deixar abater. O sorriso e a gratidão de seus alunos os fazem seguir em frente, muito porque ele acredita na educação como instrumento para mudar o mundo.

Você também pode gostar

O pedagogo aprende, na faculdade, além de didática, disciplinas como psicologia da educação, sociologia da educação, história, matemática, geografia, artes, linguagem, entre várias outras, tudo para se abastecer de conhecimentos para poder auxiliar seus alunos a adentrarem no universo do conhecimento. Uma professora está presente nos primeiros passos das crianças, em suas primeiras descobertas e aventuras, e pode passar mais tempo com seus alunos do que os próprios familiares, que precisam trabalhar, no cenário atual. Ao mesmo tempo, alunos adolescentes e idosos que não completaram os estudos em tempo hábil têm uma nova chance de aprender e conquistar seus espaços no contexto da responsabilidade.

Assim, celebremos o dia 20 de maio com muito gosto e orgulho, valorizando nossos mestres e dando a eles o digno respeito. Eles merecem e agradecem.

Sobre o autor

Caroline Gonçalves Chaves

Caroline Gonçalves Chaves

Sou pedagoga formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e especialista em psicopedagogia e TICs, também pela UFRGS. Como educadora, atuei na educação infantil e na educação de jovens e adultos (EJA). Sempre gostei de escrever, e nos últimos anos tenho me aventurado à escrita de contos infantis (meu primeiro livro, "Dorminhoca", foi lançado em 2019). Tenho afinidade, ainda, por temas como direitos dos animais, abolicionismo animal e veganismo, por acreditar que os animais não humanos são merecedores de respeito e possuem direitos como os animais humanos – eles são nossos irmãos nesta caminhada de evolução. Sou também estudante do espiritismo kardecista, trabalhando em uma sociedade espírita da minha região.

Email; [email protected]
Instagram: @xavinhodog
Site: patasdadas.com.br
Instagram: @xavinhodog
Livro: autografia.com.br/?s=dorminhoca