Autoconhecimento Psicanálise

Dia Internacional da Juventude

Ana Racy
Escrito por Ana Racy
Juventude.. .para alguns causa uma saudade, e para outros um dissabor. Alguns sentem um arrependimento, e outros um medo. Muitas podem ser as emoções e sentimentos gerados nessa fase da vida. Percebemos que tanto os jovens quanto aqueles que convivem com os jovens ou que já foram um deles sentem essa variedade de emoções.

O Dia da Juventude começou a ser comemorado no Brasil no ano de 2002, com o objetivo de encorajar o governo a compreender as necessidades dos jovens e implementar melhorias na “educação de baixa qualidade, condições de vida ruim e desrespeito aos direitos”. A proposta de Emenda Constitucional (PEC) da Juventude, aprovada pelo Congresso, considera jovem todo cidadão entre 15 e 29 anos.

Percebemos que muito trabalho precisa ser feito para que os exemplos acima possam ser implementados e, às vezes, tudo isso parece de um tamanho muito grande para que consigamos ver o final.

Essa é uma forma de aprender a avaliar o quanto estamos sendo atuantes naquilo que nos cabe.

Gostaria de sugerir uma reflexão: e se começássemos a pensar sobre como nós estamos agindo em relação aos itens que serão implementados por causa da PEC? Ou seja, como eu tenho buscado melhorar a qualidade do ensino na escola onde estudo? O que tenho feito para que eu tenha uma condição de vida melhor do que a que tenho agora? Será que eu tenho respeitado as outras pessoas da forma como eu gostaria de ser respeitado?

Essa é uma forma de aprender a avaliar o quanto estamos sendo atuantes naquilo que nos cabe. E, como diz Jean Piaget, através das percepções que temos do mundo, vamos produzindo sentimentos e pensamentos para que depois venham as atitudes. Para continuarmos esse raciocínio, seria interessante entendermos o que é essa fase chamada juventude/adolescência.

Embora haja alguma diferença entre as duas, vamos considerar a adolescência como o período quando acontecem mudanças biológicas, psicológicas, sociais e culturais. Nessa fase, o jovem precisa estar inserido em algum grupo. Ali, ele aprende a obedecer regras, estabelecer relações e a se descobrir como pessoa. Ele não quer ser nem a mãe nem o pai, quer saber quem ele é. Nesse momento, os pais começam a sentir o filho mais distante e, se souberem respeitar a necessidade de autoafirmação sentida por ele, aos poucos, o adolescente começará a retornar aos familiares.

Por essa necessidade de estar em grupo, um jovem haitiano chamado Denis Estiman iniciou um trabalho em sua escola para que ninguém ficasse sozinho no intervalo. Veja no vídeo abaixo o que aconteceu:

A beleza dessa história é que alguém sentiu na pele o que é o isolamento e, conhecendo a importância do grupo na transição da adolescência para a vida adulta, teve a atitude de dar o primeiro passo para mudar a sua vida e a de muitos outros jovens.

E, assim, eles vão crescendo, se conhecendo, se transformando e transformando o mundo ao seu redor. Afinal, o futuro pertence aos jovens de hoje. Encerro com Jean Piaget quando ele diz: “Os fenômenos humanos são biológicos em suas raízes, mentais em seus meios e sociais em seus fins”.

Um feliz e consciente Dia da Juventude para aqueles que são jovens, aos que já foram e aos que virão a ser!

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Ana Racy

Ana Racy

Psicanalista Clínica com especialização em Programação Neurolinguística, Métodos de Acesso Direto ao Inconsciente, Microexpressões faciais, Leitura Corporal e Detecção de Mentira. Tem mais de 30 anos de experiência acadêmica e coordenação em escolas de línguas e alunos particulares. Professora do curso “Psicologia do Relacionamento Humano” e participou do Seminário “O Amor é Contagioso” com Dr. Patch Adams.

E-mail: [email protected]