Autoconhecimento

Quando o discípulo esta pronto ele encontra o seu mestre

Paola Mingardo
Escrito por Paola Mingardo

Acredito que o aprendizado chega até nós quando estamos prontos para compreendê-lo como aquela frase: “quando o discípulo está pronto ele encontra seu mestre”. Também acredito que temos muitos mestres na nossa caminhada, as vezes alguns que nem sequer conhecemos, mas que estão em sintonia energética, por isso chegam ate nós. O Universo descobre uma maneira de fazer esse aprendizado até nós. Esse chegou até mim pelo youtube no Grupo de Direito Sistêmico que e coordenado pelo Renato Bertrare que sou grata por todo aprendizado que vem de graça através da internet.

Mulher com as mãos unidas em sinal de oração em meio a um parque. Seus olhos estão fechados.

Aprendi com meu professor Bert Hellinger que existem 4 tipos de sentimentos:

  1. Os sentimentos primários são voltados para dentro: amor, dor, frustração, impotência, perda… onde a intensidade é muito profunda.
  2. Os sentimentos secundários são os sentimentos voltados para fora que substituem os sentimentos primários. Mascaram para não entrar em contato com a dor, com o amor… são sentimentos de defesa. Dentro desses sentimentos entra a raiva, a irritação, a frieza, a agressividade, a indignação, o olhar de volta para fora. No sentimento primário estou conectado comigo e no secundário estou culpando o outro. O sentimento primário é curto, eu vivo e solto. No sentimento secundário eu posso ficar dias, meses, anos… só me liberto do sentimento secundário quando vivo o sentimento primário.
  3. Os sentimentos adotados: o sentimento não é seu, você adota de um excluído do sistema. Normalmente não temos consciência disso e, quando somos confrontados com a pessoa real e que tem esse sentimento, o véu cai, descola e vemos que não precisamos viver mais isso instantaneamente.
  4. E por fim, o meta sentimento, que é quando podemos agir independente do que estamos sentindo, com compaixão e altruísmo. Você pode deixar de lado o seu sentimento seja ele qual for e faz o que precisa ser feito, como por exemplo, o cirurgião que independente de quanto está feio uma fratura, ele deixa de lado seu sentimento é faz o que precisa ser feito. Ele vê a dor do outro, mas não se conecta para que haja um bem maior.

Você pode gostar de outros artigos dessa autora. Confira também: Dar e Tomar – Lei Sistêmica.

Sobre o autor

Paola Mingardo

Paola Mingardo

Coach Astrológico, certificada na Sociedade Euro-Americana de Coaching, Master em Programação Neuro-Linguística e Consteladora Sistêmica Familiar.

Telefone: 11 99990-5147
E-mail: [email protected]