Saúde Integral

Ensino de música muda áreas do cérebro

School children playing musical instruments together during their concert in school
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Você já parou para pensar como funciona o processo de absorção de informações pelo nosso cérebro? Provavelmente, a resposta foi negativa. Por ser um processo natural e extremamente rotineiro, não costumamos nos questionar sobre como funciona o entendimento, o aprendizado e assimilação de informações.

As células envolvidas nas etapas para gerar compreensão são os chamados neurônios, que por meio de transmissões energéticas coordenam nosso pensamento, movimento e ações.

Estímulos

Muitos são os fatores que estimulam os neurônios a funcionarem. Durante todo o momento, estamos em contato com diferentes cores, cheiros, sabores, tons, sons e texturas. Experimentados pelos sentidos do corpo humano, esses formatos e sensações são um grande leque de informações para a nossa massa cerebral absorver e processar.

O estudo e o treinamento, em qualquer área, pretende promover um estímulo constante e frequente, para que certo tipo de dado seja sempre interpretado da mesma maneira e gere a mesma reação, buscando aprimoramento de, por exemplo, movimentos ou dinamismo de raciocínio.

Assim funciona o corpo para tudo, seja na prática de esportes ou na realização de contas de matemática.

A música

Dentre as diferentes atividades que o ser humano está apto a exercer, novamente devido aos neurônios e suas substâncias neurotransmissoras e estímulos elétricos, está a de conhecer, compreender e reproduzir sons.

Os efeitos que os diferentes tons sonoros podem gerar em nosso corpo são motivo de estudos e pesquisas ao redor do mundo todo.

A decodificação de ondas sonoras vêm sendo exposta como influente na massa cerebral, ou seja, estudos norte-americanos mostram que indivíduos envolvidos com estudos musicais e expostos, frequentemente, ao entendimento de diferentes sons, têm sua massa cerebral alterada e funções cognitivas relacionadas à linguagem e comunicação aprimoradas.

Este e outros estudos são prova do poder de absorção e desenvolvimento de habilidades do cérebro humano. No caso da música, as áreas do cérebro responsáveis pela percepção de harmonia, ritmo e melodia são diferentemente ativadas e os efeitos no corpo são diversos.

O poder da música

Tais ativações cerebrais permitem a floração de sentimentos específicos e estados de comportamento diferenciados. A música pode ter efeito tanto relaxante quanto excitante, pode desconcentrar, chamar a atenção ou gerar profundo foco.

Independentemente do efeito em si, é indiscutível seu poder e interferência. Este poder é explorado e estudado por ciências como a musicoterapia e outras que concluem, por meios experimentais, alterações hormonais e nervosas no corpo do homem em presença de alguma música.

O estudo da música, como aprender um instrumento ou compor melodias e letras, tem efeito ainda mais profundo. O desenvolvimento de raciocínio lógico e concentração são constantes, necessários e mais uma prova da influência das diferentes vibrações na composição e funcionamento do cérebro.


Texto escrito por Júlia Zayas da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]