Meditação Saúde Integral

O que a meditação faz com o seu cérebro

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

A prática possui mais de 2.000 anos e seus efeitos sobre o corpo humano, principalmente o cérebro, ainda são novidades.

Segundo o Wikipédia, meditar é um ato de “voltar-se para o centro no sentido de desligar-se do mundo exterior” e “voltar a atenção para dentro de si”, porém, pesquisas recentes estão mostrando que meditar é muito mais do que simplesmente não pensar em nada ou somente relaxar. Meditar pode ser o momento de você desenvolver a sua capacidade cerebral e treinar o seu cérebro, assim podendo reagir melhor aos acontecimentos da sua vida.

O Dr. Craig Hassed, cientista e membro da Monash University ressalta que a maneira como os cientistas costumavam pensar sobre o cérebro, até recentemente, era que o cérebro fazia as suas conexões no desenvolvimento inicial e na primeira infância e, depois disso, a única coisa que acontecia era a perda de células à medida que envelhecemos.

O ponto positivo está justamente aí: a meditação contribui para o crescimento do cérebro e pode fazer com que ele se desenvolva, assim fazendo com que ele não “envelheça”.

O Dr. Hassed defende que, assim como quando realizamos exercícios físicos, estamos desenvolvendo as células do cérebro. E, a meditação também contribui para esse desenvolvimento.

“Quando as pessoas falam sobre matéria cinzenta, elas estão falando sobre células — as células do cérebro que se conectam umas com as outra. Quando uma pessoa aprende uma habilidade especial — como a meditação — ela está exercitando essas áreas de matéria cinzenta, cujo trabalho é formar essa habilidade”.

Essas pesquisas novas também indicam que além do aumento da quantidade de matéria cinzenta, ocorre a desaceleração da perda dela.

“Em nosso mais recente estudo, ampliamos o nosso foco de investigação olhando para o potencial impacto do envelhecimento no cérebro, especificamente o impacto do envelhecimento sobre a matéria cinzenta do cérebro. Mais uma vez, a nossa análise revelou uma diferença marcante entre meditadores e grupos controles: os cérebros dos meditadores parecem ser muito menos afetados pelo declínio normal natural da massa cinzenta relacionado à idade”, afirma a Professora Eileen Luders, assistente da UCLA e PhD.

Comece a praticar agora! O Dr. Hassed indica no mínimo cinco minutos por dia: “Uma pessoa pode começar a ver diferença significativa com a meditação com atenção plena praticando por cinco minutos algumas vezes por dia, mas se uma pessoa pratica mais do que isso, ela também terá mais benefícios — é a mesma coisa que o exercício físico”.

Meditar traz somente benefícios. Quando você se torna uma pessoa melhor, seja através de orações ou meditações, essa melhora é refletida no ambiente ao seu redor. Boa sorte!


Escrito por Bruno Melo da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]