Convivendo

Escola Montessori: metodologia pedagógica baseada na autoeducação

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Você já ouviu falar em Escola Montessori? Trata-se de um método pedagógico que teve origem na Itália e que se diferencia dos demais por ser baseada em três pilares: educação para a paz, educação é ciência e educação cósmica, e tudo isso acontece a partir da autoeducação, elemento fundamental da metodologia de ensino montessoriana.

Maria Montessori, uma italiana, formada em medicina, mas que trabalhou com crianças com necessidades especiais foi quem introduziu esse método pedagógico na Europa e depois foi disseminado pelo mundo.

Princípios básicos da pedagogia montessoriana:
  • Educação para a paz: repassar conhecimento não é o único intuito, o maior desafio é que as crianças entendam como esse conhecimento deve ser usado perante a sociedade.
  • Educação é ciência: o desenvolvimento da criança e a evolução do aprendizado é baseado em preceitos científicos.
  • Educação cósmica: o princípio de tudo é a espiritualidade individual, mas sem nenhuma ligação religiosa. É preciso respeitar a relação entre a natureza e a sociedade humana.

As crianças são divididas em grupos de diferentes idades, com até três anos de diferença, por exemplo: de 1 a 3 anos; de 3 a 6; de 6 a 9 e de 9 a 12. O aprendizado é individual, mas o convívio com outras crianças é de suma importância para o desenvolvimento de cada uma. Além disso, conviver com colegas de até três anos de diferença pode unir crianças com idades distintas, mas com as mesmas necessidades.

A metodologia parte do princípio da autoeducação, ou seja, a própria criança dará sinais quando estiver preparada para a próxima etapa do aprendizado. Para que ocorra de maneira natural, todos os materiais utilizados dentro da sala de aula ficam ao alcance das crianças, para que possam manuseá-los com facilidade. Depois que o elemento fizer parte do entendimento da criança, ele é substituído por algo mais complexo e assim por diante. Por exemplo: o primeiro material que as crianças têm acesso contém apenas as cores primárias, depois que ela passar a decifrar essas cores, um novo material com uma cartela maior de cores é apresentado. E nesse passo a passo, o conhecimento vai se aprofundando. A maioria dos materiais adotados em sala de aula foram desenvolvidos por Maria Montessori.

Neste caso, o professor funciona como um guia. Talvez sua tarefa seja ainda mais valiosa dentro desse segmento. Ainda que seja um modelo de autoeducação, cabe ao professor induzir a criança a aderir a este método, observar quem evoluiu, quem está com dificuldade de evolução e ajudá-lo a organizar os materiais, para que as crianças tenham facilidade em manuseá-los e todos os demais processos comuns dentro de uma sala de aula. É preciso ter uma percepção sensível para se tornar um Guia Montessori.

Funciona para o meu filho?

Este método foi aderido por William e Kate Middleton para o pequeno príncipe George, de 2 anos. O monarca iniciou os estudos em uma escola montessoriana, conforme informou o Palácio de Kensignton.

Mas e para o seu filho, será que funciona? Isso é uma escolha da família. É importante ressaltar que este método procura, além de ensinar as matérias básicas, formar um cidadão com liberdade de fazer escolhas e assumi-las. Ou seja, os estudantes sabem que uma escolha demanda responsabilidade, além de uma série de outras posturas pessoais.


Texto escrito por Natália Nocelli da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]