Autoconhecimento

Gratidão eterna (e diária) aos pais

Multi-generation family having fun together outdoors
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Que todo mundo é, ou deveria ser, grato ao papel que o pai e a mãe representam em suas vidas é falar o óbvio. Na pior das hipóteses, o mínimo que devemos agradecer é a nossa existência, afinal eles foram responsáveis pela minha e a sua gestação. Os deveres exigidos que os pais precisam realizar ao longo do desenvolvimento da criança é tão importante quanto a gestação, mas nem todos assumem essa função. O objetivo desse artigo não é seguir por esse caminho do que os pais deveriam fazer. Neste caso, o foco são os filhos.

Como dissemos na primeira linha, a gratidão dos filhos é algo óbvio, porém a questão a ser refletida é se essa gratidão é manifestada frequentemente. O que adianta postar no Facebook “obrigado por tudo, pai e mãe”, sendo que você responde de maneira ofensiva ou não obedece às ordens dadas por eles? Se divulgar publicamente a gratidão é uma vaidade, mentindo então se torna uma hipocrisia, o que é pior ainda.

Por mais que palavras sejam muito importantes e devam ser manifestadas com frequência aos pais, preferencialmente de maneira direta, ou seja, não em redes sociais que, muitas vezes, eles nem ficam sabendo, o mais importante mesmo são as ações. Quantas vezes você se lembra de ter oferecido ajuda aos seus pais? Aliás, quantas vezes você se prontificou a ajudar seus pais sem que eles pedissem? Comece a programar suas ações para mudar essa periodicidade: quantas vezes POR DIA você faz isso?

Para quem é cristão, nunca deve se esquecer que o “honrar pai e mãe” é um mandamento sagrado. Por mais que nem sempre os filhos sejam honrados e a reciprocidade seja devidamente questionada, um filho deve sempre honrar seus pais. Quando há uma relação turbulenta entre pais e filhos, tudo fica mais difícil. Mesmo assim, os filhos têm, como dito acima, no mínimo uma gratidão genética aos seus progenitores.

Os pais não têm somente dois dias no ano, dia dos pais e dia das mães, mas sim 365 oportunidades de agradá-los e respeitá-los. Você não precisa comprar um presente diariamente, porém é possível você ser um presente a eles todos os dias, dando orgulho por eles terem gerado você. Se você não tem dinheiro, então dê um abraço. Se você está longe, ligue para eles. Não há desculpa para a ausência, afinal, se fazer presente é o melhor presente que você pode dar a eles.


  • Texto escrito por Diego Rennan da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]