Reiki

O reiki e a gratidão

O Reiki, nascido no Japão, é por lá considerado de forma muito mais profunda que uma terapia, e sim uma filosofia de vida ou “um caminho que convida à felicidade”, como dizia Mikao Usui, seu descobridor. O método tem se tornado cada vez mais difundido no Brasil e no mundo, dada a eficácia e a facilidade de sua aplicação, que pode acontecer, inclusive, à distância.

Johnny De’ Carli, mestre de Reiki e fundador do Instituto Brasileiro de Pesquisas e Difusão do Reiki, nos traz em suas pesquisas preciosas informações a respeito do método tradicional japonês e nos aponta em um dos seus livros que:

“No Japão, existem diferentes correntes da técnica Reiki, cada uma com suas particularidades. Na capital japonesa, um grupo de monges budistas utiliza a energia Reiki associada a exercícios de respiração e meditação, outros a combinam com a macrobiótica, outros com o xintoísmo, e assim por diante. O método Reiki se adapta às habilidades e interesses daqueles que o praticam”. (DE’ CARLI, 2017, p. 33).

De modo semelhante, temos aqui no Brasil centenas de tipos de Reiki, sendo que todos eles devam remeter ao início das linhagens a Mikao Usui. Porém uma das bases do método tradicional Usui, como é conhecido, é a observação diária dos “cinco princípios” que, em conjunto com a meditação Gassho, visam tornar o reikiano uma pessoa mais equilibrada e em busca de sua expansão de consciência.

Os cinco princípios do Reiki são: Kyo Dake Wa (só por hoje) 1) Okoru-na (não sinta raiva); 2) Shinpai Suna (não se preocupe); 3) Kansha shite (expresse sua gratidão); 4) Gyo wo hage me (seja aplicado em seu trabalho) e, 5) Hito Ni Shinsetsu Ni (seja gentil com todos os seres) (DE’ CARLI, 2017, p. 55). Trago-os em japonês aqui, pois sei que eles tiveram variações quando traduzidos no Brasil. De todo modo, o importante é que se preserve a essência de tais princípios, que já eram citados por diferentes sábios e até mesmo por religiões e que, principalmente, devem ser incorporados à vida da pessoa que decide segui-los.

Mãos brancas segurando flor amarela.
Lina Trochez / Unsplash

Contudo a grande verdade é que seguir à risca os cinco princípios do Reiki é um grande desafio. Mas mesmo quem não é reikiano pode seguir um estilo de vida pode procurar aplicá-los em sua vida, refletindo diretamente sobre a raiva, a preocupação, a gratidão, os afazeres diários e a gentileza. Todos nós, a certa altura dessa experiência humana, procuramos algum sentido e algumas filosofias com as quais pretendemos nos sintonizar, portanto os princípios do Reiki são uma opção também.

O terceiro princípio, “kansha shite”, pode trazer grandes transformações em nossas vidas. Gostaria de focar nele, pois acredito que a energia da gratidão se faz necessária num planeta em que, cada dia mais, somos bombardeados por informações inúteis e negativas o tempo todo, o que nos remete a pensar em medo, dor, injustiça, tristeza etc., baixando nossa vibração e abrindo espaço para consumirmos nossa energia vital (ki) com tais emoções, e ainda correndo o risco de adoecer.

Em setembro de 2020, inspirada em outros terapeutas, criei a primeira Jornada de Gratidão e Reiki, que está disponível de forma gratuita em meu canal no YouTube. Em 2021, realizei a segunda edição e tive retornos de ambas com depoimentos maravilhosos a respeito da prática da gratidão. A proposta da jornada é escrever diariamente dez coisas pelas quais se é grato, aos moldes do famoso livro de Rhonda Byrne, “A magia”. Nos áudios, trago cada dia um tema diferente para refletirmos e, ao longo de 21 dias, vamos observando nossa energia da gratidão, além do recebimento diário de Reiki (agora, por meio da técnica da caixinha do Reiki).

Em “A magia”, Byrne nos apresenta uma “longa corrente da gratidão” perpassando pelas principais religiões e correntes filosóficas do mundo, e o mais importante é que a “sua gratidão é magnética e, quanto mais dela você tem, mais abundância consegue atrair. É uma lei universal!” (BYRNE, 2014, p. 7).

Você também pode gostar

Mesmo que muitas pessoas tenham banalizado o termo, a essência da gratidão não deve ser perdida, pois o contrário dela, a ingratidão, também está debaixo das leis universais e inevitavelmente retornará a nós. Cabe a cada um decidir com qual das duas opções quer ficar.

Existem muitos motivos para sermos gratos, embora tudo o que vemos fora procure levar nossa atenção para lados negativos. Se você quer elevar sua vibração e atrair coisas boas, experimente praticar a gratidão por, no mínimo, 21 dias. Depois, volte aqui e comente comigo o que sentiu.

Referências:

BYRNE, Rhonda. A magia. Tradução Fabiano Morais. Rio de Janeiro: Sextante, 2014.
DE’ CARLI, Johnny. Reiki, Sistema Tradicional Japonês. São Paulo: Editora Anubis, 2017.

Sobre o autor

Carla Mello

Desde 2019, quando me tornei reikiana, um novo mundo se abriu para mim. Finalizei meu doutorado em Literatura e fui mergulhar no universo do autoconhecimento e terapias holísticas.

Em 2020 e 2021, fiz diversos cursos para me profissionalizar como terapeuta reiki e psicoterapeuta holística.

Atualmente, trabalho com consultorias de escrita acadêmica (revisão de textos e consultorias terapêuticas) e com atendimentos terapêuticos, principalmente com os métodos reiki e karuna.

Também sou escritora, tendo autopublicado o e-book "Despedidas de mim", onde trago textos em verso e prosa escritos entre 2008 e 2019.

Email: carlinhamello84@gmail.com
Site: carlamello.com
Facebook: carlaholisticareiki
Instagram: @carlaholisticareiki
Youtube: MelloCarla