Autoconhecimento Saúde Integral

Hipófise: o que é, para quê serve e como cuidar?

Você já ouviu falar sobre a hipófise? Diferentemente de coração, pulmões e rins, que são órgãos bastante famosos do nosso corpo, a hipófise é uma glândula que, apesar de ser essencial para o pleno funcionamento de um organismo saudável, não é muito conhecida.

Ela é conhecida como a glândula-mestra, já que produz hormônios que regulam todas as outras glândulas do nosso sistema endócrino, como pâncreas, os ovários e os testículos. Sem que ela esteja funcionando perfeitamente, essas e as outras glândulas do nosso corpo não podem realizar suas funções com perfeição também. Conheça tudo sobre a hipófise e entenda suas funções, sua importância, seus principais problemas e o que é possível fazer para que ela permaneça saudável.

O que é a hipófise e quais são suas funções?

A hipófise é uma pequena glândula de apenas 1 centímetro de diâmetro e que pesa não mais do que 1 grama. Também chamada de glândula pituitária, a hipófise está localizada na base do encéfalo, o centro do sistema nervoso.

Ela é considerada a glândula-mestra do organismo, já que a sua principal função é a de produzir os hormônios que regulam o perfeito funcionamento das outras glândulas endócrinas: a tireoide e as paratireoides, o timo, o pâncreas, as glândulas suprarrenais e as glândulas sexuais (ovários, nas mulheres, e testículos, nos homens).

Mulher sentada em uma estrada depois de andar de bicicleta
Andrea Piacquadio / Pexels

Além do controle das outras glândulas do nosso corpo, a hipófise tem outras funções: produz hormônios e regula o funcionamento do metabolismo.

Adeno-hipófise

Essa glândula é dividida em duas partes, cada uma com sua importância. Uma dessas partes é a adeno-hipófise, que secreta hormônios importantíssimos para o nosso desenvolvimento e funcionamento. Esses hormônios são encaminhados para o corpo por meio do hipotálamo, outra parte essencial do encéfalo e, consequentemente, do sistema nervoso.

Entre os principais hormônios secretados pela adeno-hipófise, estão:

— O hormônio do crescimento, que determina a altura da pessoa e o crescimento dos seus tecidos, bem como atua na regulação e no perfeito funcionamento do metabolismo;

— Gonadotrofinas, responsáveis por promover as funções e o crescimento das gônadas, que nada mais são do que as glândulas sexuais (testículos e ovários);

— Prolactina, que, nas mulheres, é uma das estimulantes da produção de leite pelas glândulas mamárias;

— Tiretrofina, responsável pela síntese e pela secreção dos hormônios da tireoide;

Homem de negócios em fundo desfocado usando interface de varredura digital de raio-x do corpo humano, renderização 3D
sdecoret / 123RF

— Adrenocorticotropina, que promove o perfeito funcionamento de células pancreáticas, musculares e adiposas.

Neuro-hipófise

A outra parte da hipófise se origina de um prolongamento do hipotálamo, portanto é, em parte, constituída por tecido nervoso. Essa característica é o que a faz receber esse nome. Essa parte da hipófise é responsável por armazenar e secretar dois hormônios:

— Vasopressina, que reduz o volume da urina e a perda excessiva de água, já que atua reabsorvendo água nos rins;

— Ocitocina, que é muito importante no momento do parto, já que estimula a musculatura do útero e contribui com a expulsão do feto durante o nascimento.

A hipófise na Linguagem do Corpo

A Linguagem do Corpo é uma terapia alternativa e pseudocientífica que prega que as nossas emoções, os nossos sentimentos e os nossos pensamentos têm influência no nosso corpo físico, portanto desacertos e desarranjos no nosso estado emocional ou psicológico afetariam diretamente a nossa saúde física.

A hipófise é uma das partes do corpo mais importantes, segundo a Linguagem do Corpo, porque ela é quem faz a ponte entre o cérebro (por meio do hipotálamo) e o corpo (por meio de cada uma das glândulas influenciadas por ela), portanto, neste caso, as nossas emoções podem afetar o nosso corpo, mas o nosso corpo também pode afetar as nossas emoções.

Mulher livre em um campo
Jackson David / Pixabay

Problemas como obesidade, falta de qualidade no sono e dores nas costas, por exemplo, podem desencadear problemas como negatividade, tristeza e desmotivação, bem como depressão e outros transtornos psicológicos mais graves. Por outro lado, essas alterações psicológicas podem causar problemas físicos, como alergias, fadiga e sono excessivo.

O estudo da hipófise, segundo a Linguagem do Corpo, ensina a nós que é impossível cuidar da mente sem cuidar do corpo – e vice-versa. Aquele que deseja ter uma vida saudável precisa estar atento e ser cuidadoso com as suas emoções, os seus sentimentos e os seus pensamentos, mas também precisa cuidar do seu corpo, do que ingere e das atividades físicas que pratica.

Problemas de saúde na hipófise

A maior parte dos problemas de saúde na hipófise são causados por alterações hormonais. Se você notar que está tendo alguns dos sintomas que serão listados abaixo, consulte um endocrinologista, que recomendará os exames adequados para descobrir se há algum problema em alguma de suas glândulas e recomendará o tratamento mais adequado. Confira abaixo os principais problemas hormonais relacionados à hipófise:

— Diabetes insípidus: causada por excesso na produção do hormônio antidiurético, a vasopressina. Causa aumento no fluxo de urina, que pode chegar a 3 litros por dia, além de causar sede intensa, até mesmo à noite;

— Doença de Cushing: esse problema é causado pelo excesso na produção do hormônio adrenocorticotrófico. Entre suas consequências estão aumento na gordura do abdômen, rosto arredondado, pele mais fina e sensível a sangramentos e alterações no metabolismo, como hipertensão e diabetes;

— Adenomas clinicamente não funcionantes: tipo de tumor que pode causar dores de cabeça e perda de parte do campo de visão;

Pessoa diabética medindo a sua glicemia
PhotoMIX Company / Pexels

— Prolactinoma: causada pela redução na produção da prolactina. Afeta mulheres e causa alterações no ciclo menstrual, saída de leite pelo peito e baixa na libido;

— Acromegalia: é uma doença rara, causada pela produção excessiva do hormônio do crescimento e de uma proteína chamada IGF-1. Suas principais consequências são alargamento da testa e do rosto, queixo proeminente, crescimento excessivo de mãos e pés, espaçamento entre os dentes e perda dentária, bem como aumento do volume dos lábios, do nariz e do tórax.

O que fazer para ter uma hipófise saudável?

A hipófise é uma glândula bem delicada, então os endocrinologistas não recomendam que sejam tomadas medidas naturais ou de automedicação para aumentar ou reduzir a produção de determinados hormônios, a não ser, é claro, que tenham sido recomendadas por um endócrino.

Não acredite, portanto, em ervas, chás, aromaterapia ou qualquer outra técnica que ofereça uma melhora no funcionamento da hipófise ou de qualquer outra glândula do seu sistema endócrino.

As recomendações para manter a hipófise saudável são aquelas essenciais para qualquer outro órgão do corpo: alimentação equilibrada e saudável, estilo de vida não sedentário e prática de atividades físicas, bem como sono de qualidade e descanso diário.

Conheça o seu corpo e preste atenção nas características dele. Sempre que perceber algo anormal, seja física, psicológica ou emocionalmente, marque uma consulta com um médico e descreva seu problema. Se você desconfia dos problemas listados anteriormente, agende uma consulta com um endocrinologista.

Você também pode gostar

Etimologia

A palavra hipófise deriva do termo grego “hypophisis”. A palavra “hypo” significa “abaixo” e a palavra “phyein” significa “crescer”. Sua adaptação é, mais ou menos, “o que cresce entre” e essa associação é feita porque a glândula é responsável por fazer a conexão entre o sistema endócrino e o sistema nervoso. Esse nome foi sugerido pelo médico e anatomista alemão Samuel Thomas von Sömmerring (1755-1830). O nome anterior da glândula ainda era glândula pituitária, termo de criação atribuída ao médico e filósofo Cláudio Galeno, que viveu no primeiro século antes de Cristo.

A hipófise, portanto, é a glândula mais importante do nosso corpo, já que é responsável por controlar a produção de hormônios que promovem o bom funcionamento de todas as outras glândulas do nosso, estabelecendo a conexão entre a nossa mente e o nosso corpo físico. Mantenha-se atento a possíveis alterações na sua hipófise e procure um endocrinologista caso suspeite de alguma coisa!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br