Saúde Integral

Glândula Pineal: o nosso terceiro olho

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Localizada no centro do cérebro, sua função é controlar o ritmo do corpo, como o relógio biológico e o sono. Algumas correntes religiosas chamam a também de terceiro olho, por ser muito semelhante e lembrar os traços dos nossos olhos.

E não só isso, cada vez mais estudos vem apontando que quanto mais revelada a glândula pineal, melhor a nossa relação com o mundo interior e exterior. Desde viver mais a espiritualidade até ser mais bondoso e trabalhar a mediunidade, como apresentada em estudos comportamentais.

Da glândula à alma

Ilustração de uma cabeça humana dividida ao meio, com uma bola de luz no lugar do cérebro.
Foto: Pixabay

O primeiro médico a falar sobra a glândula pineal, foi o grego Galen de Pergamum que afirmava que a sua função era apoiar os vasos sanguíneos. Essa opinião a respeito da glândula permaneceu intacta por muitos anos.

Até que no século 17, o filósofo francês René Descartes escreveu que a mesma tinha outro papel fundamental no nosso organismo, era dar origem ao pensamento. Disse também que era ali que a informação era processada e que teria uma relação com a consciência.

Muito se discutiu sobre essa caracterização de Descartes. Mesmo assim, muitas religiões e filosofias começaram a acreditar nesta afirmação. Por exemplo, na filosofia oriental que trabalha com o Reiki, a glândula pineal se alinha com a localização do chacra coronário.

O que é e qual a sua função?

A glândula pineal tem o tamanho de um caroço de azeitona. Ela é responsável pela produção da melanina, que regula o sono. Esta descoberta foi apenas realizada em 1950. Sendo hoje muito pesquisada devido a sua relação com distúrbios do sono e até câncer. Nas crianças a glândula pineal produz mais melanina, por isso que geralmente elas sentem mais sono que os adultos.

Você também pode gostar

Como ativá-la e a deixar mais limpa?

Duas mulheres sentadas conversando enquanto uma coloca os dedos sobre os lados de sua cabeça.
Foto de Anna Shvets no Pexels

Quanto menor a  presença de elementos exteriores que impactam em seu funcionamento, melhor é. Estas dicas também se aplicam a tantos outros bons funcionamentos de um organismo.

  • Cuidado com o mercúrio: Este é um principal veneno que pode deixar a glândula com menor concentração e impossibilitar o seu funcionamento;
  • Dê preferência para alimentos orgânicos: Muitos pesticidas são prejudiciais para a glândula pineal. Alimentos orgânicos ajudam a desintoxicar as toxinas que se acumulam na glândula;
  • Alimentos industrializados: Quaisquer alimentos industrializados podem atrapalhar o melhor funcionamento da glândula pineal. Lembrem-se, as toxinas não são bem-vindas para a glândula;
  • Exercícios físicos como também mentais: eles são ótimos estimulantes para o funcionamento da glândula. Garantem um contato maior com você mesmo. Desde andar descalço, pisar na grama e até ter maior contato com a natureza ajuda bastante;

Você sabia?

  • Quanto mais aflorada a glândula pineal, maior o seu contato com uma energia mais espiritualizada?
  • Pesquisas ainda têm apontado que a glândula pineal pode ser a conexão do corpo e da alma?

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]