Saúde Integral

O intestino é o nosso segundo cérebro

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Ointestino faz parte do Sistema Digestório (ou Digestivo). A função deste sistema é simplificar os alimentos para facilitar a absorção pelo organismo. O órgão é dividido em intestino delgado e intestino grosso. O delgado absorve a maioria dos nutrientes, enquanto o grosso absorve água, o que confere firmeza às fezes. O intestino delgado mede aproximadamente 6 metros de comprimento por 4 centímetros de diâmetro. Ele possui três subdivisões:

  • Duodeno: região próxima ao estômago, mede cerca de 25 centímetros e tem formato de “C”. O duodeno recebe os alimentos que não foram totalmente digeridos pelo estômago. Nesta fase, a comida se une à bile, fluído produzido pelo fígado responsável pela digestão de gorduras e retenção de nutrientes.
  • Jejuno: localizado na parte central do intestino delgado, mede 2,5 metros. É a região onde ocorre a maior absorção de nutrientes.
  • Íleo: mede 3,5 metros e dá continuação à absorção dos nutrientes, principalmente vitamina B12.

O intestino grosso é semelhante a uma ferradura, pois é aberto para baixo. Ele mede aproximadamente 6,5 centímetros de diâmetro e 1,5 metros de comprimento. A absorção de água é tão rápida, que em apenas 14 horas os alimentos ganham forma de bolo fecal. Falhas nesse processo são causadas por viroses e alimentos estragados e provocam diarreia. O intestino grosso também absorve nutrientes não assimilados pelo intestino delgado. Possui três subdivisões:

  • Ceco: é uma espécie de saco, com aproximadamente 5 centímetros. O ceco é o caminho percorrido pelos resíduos alimentares (já como bolo fecal) para chegar ao cólon.
  • Cólon: a maior parte do intestino grosso, atravessa todo o abdômen. É formado pelo cólon ascendente, transverso, descendente e cólon sigmóide, que é em forma de “S”. O cólon é responsável por reter nutrientes e eliminar resíduos alimentares, toxinas e venenos.
  • Reto: a parte final do intestino grosso mede 15 centímetros e tem final no canal anal. A função do reto é absorver fezes, antes da eliminação pelo ânus.
A importância do intestino

O intestino é muito importante para o corpo humano. Além de armazenar nutrientes e água, ele possui enorme relevância para a imunidade.
Aproximadamente 60% das células que protegem o organismo estão no intestino. O órgão ainda conta com 500 espécies de bactérias e 100 trilhões de micro-organismos. Esse time do bem forma a flora intestinal. Quando ela tem mais bactérias nocivas do que benéficas surgem doenças relacionadas à saúde intestinal. Beber líquidos durante a alimentação, mastigação incorreta, uso constante e sem orientação médica de anti-inflamatórios e  antibióticos prejudicam a saúde do intestino e causam prisão de ventre, dentre outras doenças:

  • Doença do intestino irritável: doença crônica, cujos sintomas variam entre prisão de ventre e diarreia. A doença ocorre devido alterações nas contrações do intestino (rápidas ou lentas demais). Inchaço e dor abdominal, gases e muco nas fezes são alguns dos sintomas. A doença pode ser controlada evitando alimentos gordurosos, cafeína, glúten e bebidas com gás. Medicamentos são prescritos nos casos mais graves.
  • Hemorroida: quando a pressão das veias do ânus aumenta, elas inflamam, incham e doem. As hemorroidas podem estar dentro do reto ou do ânus e serem internas ou externas. O problema é provocado pela diarreia crônica ou prisão de ventre. Alimentação pobre em fibras e ficar sentado por muito tempo também contribui para o surgimento das hemorroidas.
  • Apendicite: doença comum do sistema digestivo. É causada pela obstrução por gordura e fezes, infecção gastrointestinal e alimentos grudados na cavidade do apêndice, pequena bolsa presa no começo do intestino grosso. Perda de apetite, febre baixa e náuseas são os principais sintomas. A apendicite exige cirurgia para remover o apêndice. Se não for tratada a tempo, a inflamação se espalha e pode levar o indivíduo à morte.
  • Doença de Crhon: mistério até para os médicos, a Doença de Crohn não tem cura. Geralmente ataca o íleo (intestino delgado) e o cólon (intestino grosso) Na fase leve e moderada causa diarreia frequente e dor abdominal. No estágio moderado e grave o paciente tem náuseas e vômitos, febre e anemia. Na fase fulminante ocorre obstrução intestinal. Problemas de pele e artrite são sintomas associados à doença. Cirurgia é indicada em casos severos.
  • Câncer: a doença pode atingir os intestinos e seus componentes. O câncer de intestino não costuma apresentar sintomas e quando se manifesta o tumor está grande. Alterações intestinais como diarreia, sangue nas fezes e emagrecimento sem razão aparente são sinais que podem indicar tumores. Segundo a médica Angelita Habr Gama médica, especialista em coloproctologia e gastrenterologia, é comum pessoas que apresentam sangue nas fezes receberem o diagnóstico de hemorroidas, sem serem submetidos ao exame de toque retal. Angelita aconselha a solicitar o exame e caso o médico se recusar, procure outro profissional.
Intestino, o segundo cérebro

Armazenar nutrientes, água e atuar no sistema imunológico, esses três fatores já fazem do intestino um órgão importantíssimo para o corpo humano. Mas você sabia que o bom funcionamento do intestino também está associado às emoções? Os médicos chamam o intestino de “o segundo cérebro”. Se as razões fisiológicas já são suficientes para ter bons hábitos, nós vamos contar como o emocional age sobre a saúde intestinal.

shutterstock_318331382 O intestino controla as emoções, estado mental e nossas preferências alimentares. A saúde do deste órgão determina o bem-estar do cérebro. Sabe o que o frio na barriga durante o medo, o enjoo quando estamos assustados e a sensação de “borboletas no estômago” comum aos apaixonados têm em comum? São sintomas causados pela conexão entre os transmissores do intestino e do cérebro. Aliás, você sabia que o intestino é um sistema nervoso? Ele possui a impressionante quantia de 100 milhões de neurônios. Ficou impressionado? Você ficará ainda mais surpreso com o poder do intestino.

Em nossos artigos já falamos muito sobre serotonina. O intestino produz e armazena 98% do neurotransmissor responsável pelo bom humor e memória. O órgão ainda fabrica mais de 30 neurotransmissores. A serotonina processa e transmite informações e estímulos sensoriais por intermédio dos neurônios. Quando há queda no nível do neurotransmissor a saúde física, mental e as emoções ficam comprometidas.

Relação cérebro e doenças intestinais

A conexão entre intestino e cérebro comprova a relação entre doenças intestinais e emoções. Segundo a Universidade de Boston (Estados Unidos), 90% dos portadores da doença do intestino irritável apresentam problemas emocionais. As mulheres, muito atingidas pelas doenças intestinais, escondem suas queixas por vergonha. Estima-se que 75% das brasileiras não mencionem o mau funcionamento do intestino. Esse preconceito agrava a saúde física e mental, mas o que fazer para o bom funcionamento intestinal? Vamos listar uma série de medidas alimentares:

O que evitar?

Álcool

Ainda não é clara a ligação entre bebida alcoólica e câncer de intestino. Entretanto, é sabido que três latas de cerveja de 350 ml, três taças de vinho de 150 ml ou três doses de uísque diariamente potencializam o risco de pessoas propensas à doença, indivíduos com histórico familiar, idade avançada, sedentarismo e maus hábitos alimentares.

Sobrepeso

Gordura abdominal e obesidade aumentam o risco de câncer de cólon e reto, segundo pesquisa publicada no American Journal of Epidemiology. Cientistas da Maastricht University (Holanda) avaliaram 120 mil homens entre 55 e 69 anos com sobrepeso ou no início de obesidade. Ao término da pesquisa, 25% dos participantes apresentaram-se mais propensos ao câncer colorretal. Quem possuía circunferência abdominal maior tinha 63% mais chance de ter esse câncer.

Carne vermelha

Consumir carne vermelha em excesso, bem como enlatados, embutidos e defumados faz o organismo produzir metabólitos, substâncias que modificam as células do intestino grosso. Para pessoas no grupo de risco, o aconselhável é comer 200 gramas de carne vermelha a cada 7 dias (uma ou duas vezes por semana). Os outros alimentos são proibidos.

Fumo

Tabagistas apresentam 18% mais chances de desenvolverem câncer de intestino. As toxinas do cigarro promovem alterações genéticas em todo o corpo, situação que propicia o surgimento de tumores cancerígenos.

O que incorporar à dieta?

Produtos funcionais

A regulamentação deles saiu no Brasil em 1999. Além de nutrir, os produtos funcionais têm substâncias que melhoram a saúde e diminuem a incidência de doenças. Contudo, eles não são substitutos de frutas, legumes e verduras. Os benefícios dos produtos funcionais dependem de hábitos saudáveis.

Esses alimentos melhoram a saúde intestinal, combatem radicais livres e dificultam o armazenamento de gorduras. Pessoas com prisão de ventre, com colesterol alto e muito estressadas são o público alvo.

Exemplos de alimentos funcionais

Fibras – Grãos integrais, frutas, legumes e verduras

Aumentam o bolo fecal, o que facilita o bom funcionamento do intestino. As fibras reduzem o tempo de contato da mucosa intestinal com toxinas. Confira alguns alimentos indicados:

  • Pão integral, linhaça, quinoa, amaranto e chia
  • Ameixa, mamão, kiwi, amora e figo
  • Alface, rúcula, couve, agrião e abobrinha

Probióticos – Iogurte

Bactérias que impedem o crescimento de micro-organismos prejudiciais. Os probióticos promovem a produção de células de defesa.

Prebióticos – Bebida à base de soja e pão

Substâncias que fornecem alimento à flora intestinal

Fitoesterois – Iogurte e margarina

Diminuem a absorção de gorduras

Betaglucana – Aveia e cevada

Substância que reduz a absorção de colesterol

Manitol, Xilitol e Sorbitol – Goma de mascar sem açúcar

Destroem os ácidos que estragam os dentes, porém, a goma não substitui a escovação após as refeições

Licopeno, Luteína e Zeaxantina – Suplementos em pílula

Esses antioxidantes removem substâncias que envelhecem as células

Exercícios físicos

Atividade física diminui em 24% a possibilidade de câncer de intestino.
Fazer 30 minutos de exercícios por dia cinco vezes por semana melhora o funcionamento do intestino, controla o peso e reduz o estresse, alguns dos fatores de risco para doenças intestinais. Caminhada é um ótimo começo para sair do sedentarismo.

Exames periódicos

Prevenir é sempre o melhor remédio. Submeter-se a uma colonoscopia a cada dez anos, a partir dos 50 anos reduz a incidência de câncer colorretal em até 40%. Pessoas com histórico familiar ou outros fatores de risco devem fazer o exame a partir dos 40 anos. A colonoscopia investiga diarreias, dores abdominais, hemorragias anais, dentre outras alterações intestinais.

Biofeedback anorretal

O procedimento é uma fisioterapia na qual o paciente aprende a fazer movimentos corretos durante a evacuação. O biofeedback melhora a musculatura anal e também a sensibilidade da região anorretal. É indicado nos seguintes casos:

  • Incontinência anal em pacientes sem necessidade de cirurgia
  • Pós-operatório de pacientes após cirurgia para solução da incontinência anal
  • Dor retal crônica

Como é feito?

Com o paciente deitado, uma sonda fina é colocada no canal anal. O biofeedback é um procedimento indolor.

Preparação

  • Mulheres não podem fazer o exame no período menstrual
  • Não precisa fazer jejum em muitos casos
  • Não precisa interromper uso de medicamentos
  • Lavagem retal na noite anterior ou duas horas antes do procedimento

E você pensando que o intestino era apenas o órgão que fazia você ir ao banheiro…

Ele é mais importante do que você imagina. Além de armazenar água e nutrientes, o intestino produz grande quantidade de neurotransmissores. Eles se comunicam com o cérebro e causam o famoso frio na barriga, comum quando estamos com medo. Doenças intestinais como a prisão de ventre, doença do intestino irritável e várias outras têm origem em problemas emocionais.

A conexão entre intestino e cérebro prova que o corpo humano é uma engrenagem ou uma sinfonia.
Quando tudo está em harmonia, a máquina ou a música é executada com maestria. Entretanto, basta algo não funcionar para o corpo sofrer. Precisamos olhar para o corpo como um templo. Os religiosos dedicam zelo extremo ao cuidar do ambiente. Vamos ter esse mesmo cuidado com nosso corpo? Check up, alimentação balanceada, atividade física, parar de fumar e evitar bebidas alcoólicas são as chaves para o bom funcionamento do intestino. Abrir mão de coisas gostosas não é fácil, mas difícil mesmo é conviver com os sintomas de uma doença e enfrentar o tratamento, que muitas vezes inclui intervenção cirúrgica.

Cuidar do corpo, entender e tratar as emoções garantem vida saudável. É simples e não há quem não saiba disso. Então, por que tanta gente insiste em hábitos destrutivos? Pior que mudar tardiamente é nunca mudar, portanto, arregace as mangas e viva de verdade, afinal, mente sã, corpo são.


Texto escrito por Sumaia Santana da Equipe Eu Sem Fronteiras. 

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]