Convivendo

Imigração – Um problema mundial

Close no rosto de mulher mulçumana.
Sylvie Bouchard / 123rf
Escrito por Luis Lemos

Mundialmente o Dia do Imigrante é celebrado em 18 de dezembro, mas no Brasil comemora-se no dia 25 de junho. Esta data foi escolhida por coincidir com o fim das celebrações da semana da Imigração Japonesa, comemorada a partir de 18 de junho de 1957 no Estado de São Paulo.

A importância de se comemorar essa data se dá pelo fato de que toda pessoa humana é fim em si mesmo e nunca pode ser usada como meio, ou seja, o ato de imigrar vai muito mais além do que denominar as pessoas que se estabelecem em um país diferente de suas origens. Muitas vezes a imigração é a única forma que as pessoas encontram para continuar vivas e continuar lutando por seus direitos e sonhos.

Muitos são os motivos que levam uma pessoa ou uma família a abandonar seu lugar de origem. Disputas locais, guerras, fome, miséria crônica, violência, catástrofes naturais, tsunamis, terremotos, perseguição política, religiosa etc., são os principais motivos que levam as pessoas para outros países. Migrar, portanto, vai muito além do quer buscar melhores condições de trabalho, emprego e qualidade de vida em outro país e sim, muitas vezes, um ato de resistência, uma forma de abrir horizontes.

A imigração sempre foi uma questão em debate. Desde a antiguidade até os tempos atuais a imigração sempre gera debates acalorados. Alguns dizem que são contra simplesmente porque o imigrante tira o emprego e a segurança dos povos nativos. Outros, ainda, que a imigração gera violência, terrorismo, violência urbana e uma infinidade de problemas sociais e econômicos.

Mulher asiática com piercing no nariz e cabelos grisalhos.
Neelam Sundaram / Unsplash

Infelizmente nos últimos anos o problema da imigração tornou-se um problema mundial. Todos os povos do planeta são afetados de uma forma ou de outra pelos “problemas” causados pela imigração. Só nas duas primeiras décadas desse nosso século, Manaus, por exemplo, já vivenciou duas grandes imigrações: os haitianos e os venezuelanos.

O terremoto de 2010 no Haiti agravou os problemas sociais daquele país e muitos encontraram em Manaus o lugar ideal para a construção de uma nova vida. Quanto aos venezuelanos, eles começaram a chegar em Manaus a partir de 2013, fugindo da situação de miséria, fome, doenças, violência e agravamento da perseguição política do governo Maduro.

Segundo especialistas sociais, por causa da pandemia de Covid-19, nos próximos anos o problema da imigração será ainda maior. Problemas como a crise mundial, custo de vida elevado e uma mudança relevante no modo de vida das pessoas, a maioria dos países do planeta Terra sofrerão com a imigração. Veja o caso da Europa.

Você também pode gostar

Em muitos países europeus e no Japão, onde a maioria da população é de idosos, o que aumenta os gastos do governo desproporcionalmente com saúde pública e previdência, para citar apenas alguns problemas que esses países deverão enfrentar. Independentemente dos problemas que esses países terão que enfrentar, é importante valorizar o ser humano, a condição humana e o jeito de ser de cada pessoa.

Por fim, como palavra de incentivo e força aos imigrantes do mundo, trago aqui o que escreveu o Papa Francisco no dia 18 de dezembro de 2019 no seu tweet: “A resposta ao desafio apresentado pelas migrações contemporâneas pode ser resumida em quatro verbos: acolher, proteger, promover e integrar. Se os colocarmos em prática, contribuiremos a construir a cidade de Deus e do homem”.

Sobre o autor

Luis Lemos

Filósofo, professor universitário e escritor, autor dos livros: O primeiro olhar – A filosofia em contos amazônicos (2010); O segundo olhar – A filosofia em temas amazônicos (2012); O terceiro olhar – A filosofia em lendas amazônicas (2014); O homem religioso - A jornada do ser humano em busca de Deus (2016); Jesus e Ajuricaba na terra das Amazonas - Histórias do universo amazônico (2019).

Email: luisc.lemos@hotmail.com
Instagram: @professorluislemos
Facebook: professorluislemos
Twitter: @luisclsilva
Youtube: Luis Lemos