Educação dos filhos Maternidade Consciente

Maternidade: filmes que retratam esse belo e desafiador momento da vida

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Apenas quem vive a maternidade sabe o quanto ela pode ser desafiadora, cansativa, estressante, mas absolutamente recompensadora e emocionante. Só quem vive o dia a dia da vida materna sabe o que é ser mãe. Mas, não custa tentar mostrar para as outras pessoas tudo o que acontece, certo?

Aliás, além disso, assistir outras experiências e histórias pode ser educativo e reflexivo até mesmo para as próprias mães, que poderão aprender com outras mulheres o que fazer, ou não fazer. Por isso, o Eu Sem Fronteiras separou cinco filmes que tratam a maternidade de variadas formas, e em diferentes épocas. É uma ótima forma de aprender não só sobre maternidade, mas também é uma oportunidade de ver a evolução da sociedade perante as mães.

Não Sei Como Ela Consegue (2011)

Com a famosa Sarah Jessica Parker estrelando como a protagonista Kate Reddy, a comédia conta a história dessa mulher moderna, que parece multiplicar seu tempo em mil vezes para conseguir dividi-lo entre família e carreira profissional. Kate sofre por não ter mais tempo para o marido e os filhos, por conta de sua carreira.

A comédia, dirigida por Douglas McGrath, conta com a atuação de outros grandes atores como Pierce Brosnan, Greg Kinnear e Christina Hendricks. Lançado em 2011 em solo norte-americano, os 115 minutos de duração mostram uma comédia romântica que retrata a vida de muitas mulheres hoje, que trabalham fora de casa, educam e criam os filhos, cuidam (ou não necessariamente) de um relacionamento amoroso e, claro, zelam por si mesmas.

Uma Mãe em Apuros (2009)

Uma ‘Mãe em Apuros’, ou ‘Motherhood’, em seu título original, é uma comédia dramática com texto e direção de Katherine Dieckmann e protagonismo de Uma Thurman. Ela vive o papel de Eliza Welsh, uma escritora de ficção absolutamente atarefada, blogueira, casada e mãe de uma menina de seis anos e de um menino que ainda está aprendendo a falar e andar.

Todo o filme se passa em um único dia da vida de Eliza, completamente agitado, mas que para ela é um dia normal: ela está preparando a festa de seis anos da filha, cuidando de seu filho mais novo, tentando socializar com as mães no parquinho, cuidando de seu blog, falando com sua melhor amiga (Sheila, vivida por Minnie Driver) e, como se já não bastasse tudo isso, ela entra em um concurso de uma revista, no qual precisa escrever um texto de 500 palavras sobre o que a maternidade representa em sua vida.

O segredo de Vera Drake (2004)

Apesar de ser um assunto polêmico, é preciso falar sobre aborto. E esse é o assunto do filme ‘O Segredo de Vera Drake’, de 2004. O filme se passa em Londres, no ano de 1950. Vera Drake (vivida por Imelda Staunton) é casada com Stan (Philip Davis) e tem dois filhos, Sid e Ethel (vividos por Daniel Mays e Alex Kelly, respectivamente).

Vera é oficialmente faxineira, mas clandestinamente também exerce a atividade não remunerada de ajudar mulheres jovens a abortarem. Tudo corria bem, até que uma garota que ela estava atendendo precisou ir ao hospital por complicações no procedimento e, a partir de então, o segredo de Vera começa a ser desvendado pela polícia.

O longa-metragem de 125 minutos conta a história verídica de Vera Drake, que viveu na Inglaterra pós Primeira Guerra Mundial e que, quando seu segredo é revelado, vê seu mundo desmoronar.

O Quarto do Pânico (2002)

Meg Altman (Jodie Foster) é uma mulher recém-separada e mãe de Sarah (Kristen Stewart), adolescente diabética. Durante a primeira noite na casa nova, Meg e Sarah são surpreendidas por três assaltantes. Quando percebem a presença dos homens, as duas vão para um quarto secreto revestido de aço existente no quarto de Meg, à prova de balas e impossível de ser invadido.

Apesar de as duas estarem seguras, Sarah logo percebe que seu nível glicêmico está baixando e não há insulina dentro do cômodo que estão. Então, sua mãe decide arriscar a própria vida para salvar a filha. O filme é norte-americano, tem 108 minutos de duração e a indicação classificativa é de 14 anos.

12 é Demais (2003)

‘12 é Demais’ é um filme conhecido no mundo todo. A comédia trata a história de Tom e Kate Barker, vividos por Steve Martin e Bonnie Hunt – ambos gênios da comédia norte-americana. Após se casarem, os filhos começaram a vir… Até o número chegar a 12! Isso mesmo, 12 filhos!

Você pode imaginar a rotina desses pais, certo? Uma loucura! Principalmente porque eles têm filhos de todas as idades, então precisam lidar com todas as fases ao mesmo tempo, desde os primeiros anos de vida de uns à adolescência de outros, não é fácil! Para completar, Kate recebe uma proposta irrecusável para ir à Nova Iorque lançar seu livro. Apenas 15 dias fora de casa transformam o local no caos completo, até que toda a família percebe que é impossível ficar sem a peça mais importante do time: a mãe.

Os filmes escolhidos para esse artigo abordam a maternidade de formas absolutamente distintas. Desde o aborto até a criação de 12 filhos ao mesmo tempo, todas essas produções, com certeza, têm algo a ensinar para cada um de nós.


Texto escrito por Giovanna Frugis da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]