Maternidade Consciente

A mãe cansada antes, durante e depois da pandemia

Mulher grávida sentada em uma cadeira com um cachorro deitado em seus pés
Cindy Parks / Pixabay
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Se a maternidade já é normalmente cansativa, imagina durante a pandemia… E depois, como será? Primeiramente é importante dizer que falar sobre maternidade, por mais que pareça um monte de reclamação, na verdade não é, é apenas expor uma realidade que as mulheres vivem e que pouco é compreendida por quem vê do lado de fora. A maternidade envolve a vida da mãe e a de seus filhos, além de um equilíbrio entre o trabalho (muitas vezes dentro de fora de casa), a escola dos filhos, as atividades extras e o lazer. Tudo por conta dos pais e, principalmente, da mãe que assume a maioria das responsabilidades.

Com a chegada da pandemia e a ordem de isolamento social, o equilíbrio entre todas as atividades da família se uniu em um só lugar: a nossa casa, já que essa é a melhor forma de se manter fora do risco de contrair o coronavírus. Contudo vamos pensar na rotina da família que trabalha fora, trabalha em casa e ainda cuida dos filhos. A mãe que até então acordava cedo, mandava todo mundo para a escola, ia trabalhar, buscava na escola e voltava para casa para suas funções domésticas passou por muitas mudanças desde que passou a ficar o tempo todo em casa. Difícil, né? A saúde mental materna é frágil e muitas vezes as mães ficam exaustas e estressadas por causa do acúmulo de funções sem dia de descanso. Com a chegada da pandemia, isso piorou.

O cansaço materno, que até então batia no fim do dia, estendeu-se por todos os dias da semana, em suas 24h, já que o trabalho, a escola e até o lazer invadiram os lares em prol da sobrevivência e do bem-estar de todos. A pergunta que fica é: e agora?

Como manter a saúde mental equilibrada na pandemia?

Mãe e filha fazendo yoga
Kamaji Ogino / Pexels

A redução da jornada de trabalho, a organização da rotina com os filhos… Calma e paciência são as chaves para tentar amenizar os danos que o isolamento social trouxe para os lares e parar fazer com que a saúde mental de todos possa ficar um pouco mais estável. Manter a rotina em meio à pandemia não é fácil. Os filhos em casa, reuniões no trabalho e a pilha de roupa para lavar são desafios para as mulheres que são mães nos dias de hoje. Algumas alternativas surgiram em meio ao caos para aliviar esse processo, como jogos de tabuleiro para passar o tempo, a união de todos para as tarefas de casa e o respeito pelo espaço do outro. O apoio psicológico também é uma alternativa importante, principalmente para as mães: Rodas de conversas online entre mães, terapias… Muitos profissionais adaptaram o atendimento presencial ao online e continuam atendendo normalmente. Buscar terapias alternativas, descobrir-se no processo de autoconhecimento, como meditação e yoga, promover o autocuidado, separar um dia para cuidar da pele, do cabelo e tomar um banho demorado podem ser outros caminhos para sobreviver a esse período e não deixar a peteca cair.

Qual será o papel da mãe na sociedade pós-pandemia?

Olhando para o que estamos vivendo nos dias de hoje, não podemos deixar de imaginar como será a rotina após a pandemia, depois de todos vacinados e do retorno ao convívio normal, ou, como é mais comumente chamado, o novo normal. Como será o papel das mães nesse novo normal? Por mais que a sociedade viva mudanças em relação à sua visão sobre a mulher e o seu papel, elas continuarão suas lutas diárias por mais respeito, empatia e acolhimento em qualquer fase da vida. Independentemente de idade, crença, orientação sexual, escolha profissional ou política, a luta das mulheres por uma sociedade digna existirá enquanto as cobranças forem apenas sobre elas e suas escolhas. Os filhos, as responsabilidades domésticas e profissionais continuarão existindo, mas o papel da mulher, esse precisará ser visto e revisto e muito mais valorizado, afinal mulheres são fonte de vida, de amor e de luta, mas para isso existir elas precisam, antes de mais nada, ser livres.

Muitas coisas ruins aconteceram nesses últimos tempos, mas, em compensação, todos puderam ver de perto como a rotina da mãe dos dias de hoje é exaustiva e desgastante. Que esse olhar traga mais consciência e respeito a todas as famílias, além da valorização da figura materna nos lares. Que as mães e todos à sua volta consigam passar por esse momento com um pouco mais de discernimento do que é ser mãe. Feliz Dia das Mães!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br