Autoconhecimento

O emprego ideal

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Por estarmos inseridos no meio capitalista todos precisamos de uma fonte para ganhar dinheiro e que nos mantenha dentro do sistema, por isso, com exceção de uma parte da sociedade que vive de renda, heranças e benefícios, em sua maioria, as pessoas vendem sua mão de obra em troca do tão cobiçado dinheiro.

Essa relação com o trabalho pode ser uma das muitas razões para as pessoas estarem insatisfeitas com seus empregos. Pensando apenas na realização financeira alguns profissionais acabam migrando para áreas que possibilitam maior rentabilidade, mas que podem não trazer tanto prazer na execução das atividades. O contrário também ocorre, pessoas que trabalham com o que gostam, porém não conseguem alcançar estabilidade financeira.

Além disso, a falta de oportunidade de crescimento, a desvalorização do profissional, o acúmulo de tarefas, o mau relacionamento no ambiente de trabalho, etc., são outros fatores importantes que contribuem para a desmotivação do profissional.

Cada um tem seu ideal, para tudo na vida. Estamos em constante aprendizado e transformação, por isso, o primeiro passo para alcançar o trabalho ideal é se conhecer bem. Saber o que gosta de fazer e quais os objetivos que têm. Faça uma autoavaliação da sua condição profissional hoje: seu cargo, seu salário e a empresa que trabalha; está dentro das suas expectativas? Se sim, ótimo, precisa saber então qual é o real problema. Se não, o que poderia melhorar está ao seu alcance ou dos seus superiores? Após ter estas respostas trace metas e guie seu caminho da melhor maneira para encontrar sua satisfação.

Independente de qual área que pretende seguir, ou que seguiu, entenda bem todas as possibilidades de sua profissão, observe o mercado de trabalho no geral, os campos de atuação, a base salarial e as oportunidades de crescimento. Muitas pessoas acabam escolhendo uma profissão sem conhecê-la perfeitamente, apenas por recomendação ou alguma função que lhe agrade, no entanto, na prática, de perto, tudo se torna mais complexo e difícil.

shutterstock_221702362

Estude, informe-se, cresça, sempre! Um bom jeito de não ficar estacionado num emprego do qual não lhe agrade é não estar parado. Busque novos conhecimentos, atualiza-se, traga sugestões e novas ideias, a empresa é construída também e, principalmente, por seus funcionários, participe, colabore, faça sua parte.

Não acomode-se, se não está contente com o emprego, corra atrás de novas oportunidades, trabalhe seu currículo, converse com amigos e antigos professores, não fique esperando que algo bata a sua porta, ainda que isso aconteça vez ou outra, não há de funcionar sempre.

Tente administrar o “lado chato do trabalho”, às vezes você até gosta do seu emprego, a empresa é bacana e proporciona inúmeros benefícios, porém existem algumas coisas que o incomodam, seja um colega inconveniente, o chefe, as burocracias, enfim, busque não se irritar com estas miudezas e se apegue nas questões que lhe agrada, assim será mais fácil lidar com todo o resto.

Hoje em dia muitas pessoas têm optado por trabalhar por conta própria. Ser autônomo te possibilita atuar na área que gosta, oferecer os serviços e tempo que desejar. É uma boa saída para quem não se habitua com chefes, carga horária, ambiente coorporativo,  mas não se iluda, ser dono da sua empresa não o livra das tarefas, dos clientes e burocracias.

Ainda não há uma fórmula de ganhar dinheiro fácil, mas não precisa ser uma tarefa árdua. Saiba dosar o seu bem-estar pessoal com a realização profissional.

  • Escrito por Carolina Peixoto da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]