Autoconhecimento Comportamento

O poder do Hábito: transforme-se!

Hábitos são extremamente importantes em nossas vidas. No entanto, a grande questão é que nem sempre sabemos identificar quais deles nos fazem bem ou mal. Desse modo, entramos na seguinte discussão: será que hábitos e vícios são a mesma coisa?

Não, e uma forma de diferenciar isso é que qualquer hábito pode se tornar um vício, pois, a partir do momento em que uma determinada atitude é feita de maneira repetida e lhe traz algum malefício, essa atitude já pode ser considerada um vício.

Do ponto de vista da Neurociência e de outras formas de estudo da mente e do cérebro, é rigorosamente notável e comprovado que o ambiente modula o nosso comportamento, seja por questões de referências, seja até mesmo por fuga de determinada realidade. Desse modo, busque ser bem criterioso com quem você deseja estar com você e observe atentamente quais são os hábitos e os vícios que essas companhias possuem.

Pessoas fumando cigarros e utilizando um cinzeiro.
LightFieldStudios de Getty Images / Canva

Dando uma introdução, de maneira bem objetiva, de como os hábitos são formados, é preciso estar atento sempre na motivação de quem nos leva a tal hábito. Quando os neurônios, por exemplo, produzem um hábito — como acordar cedo, ler, comer algo ou exercício físico —, o que acontece é que um neurônio encosta no outro. Essa ação gera um pulso elétrico, o que cria uma ligação biológica. Desse modo, toda vez que tal feito é repetido, gera-se um nível de prazer; e isso nos dá um bem-estar, pois faz com que menos energia seja gasta para aquela ação, o que dá origem ao hábito.

Dificulte o vício, facilite o hábito, pois isso é fundamental para que você crie um ambiente mais saudável para si mesmo. Um exemplo disso é o uso exagerado do celular. Se você sabe que você tem a tendência de ficar olhando para ele a cada cinco minutos; na hora de estudar, coloque-o no silencioso e bem longe de você. Essa é uma ação simples que dá certo, mas, claro, que para quem já tem um nível de vício, isso não é tão fácil assim.

No entanto, livrar-se de um vício é assim mesmo, você tem que insistir e ser constante. Eu sempre bato na tecla do ambiente e dos famosos gatilhos. Esses problemas podem ser mais bem percebidos, de fato, por meio da terapia, e podem ser combatidos com o auxílio de remédios, se for necessário, e por intermédio da ajuda de um profissional adequado.

Também é preciso debruçar-se sobre e olhar para si mesmo, a fim de que você possa aplicar essa estratégia contra outros vícios. Desse modo, você perceberá, de fato, que o difícil nem sempre é tão difícil assim.

Em mãos diferentes, uma mulher segura uma rosquinha e uma maçã verde
Andres Ayrton / Pexels

Recompensa, essa é uma das principais chaves de toda essa ideia, já que o ser humano sempre está em busca de recompensas, sempre mesmo!
Isso ocorre porque precisamos regular nosso nível de dopamina e prazer, pois a dopamina antecede o prazer.

Dopamina é o impulso a tal ação, já a serotonina é o prazer durante aquela ação. Por isso, se não estivermos atentos, poderemos ficar viciados em estímulos dopaminérgicos não saudáveis, e é justamente isso que transforma qualquer um em um viciado, pois nossa cabeça entende que só aquilo é prazeroso.

Nosso cérebro funciona dessa forma, e o que acontece com isso é que caímos, muitas das vezes, na cilada de trocar o prazer duradouro pelo momentâneo. Desse modo, em vez de fazermos exercícios físicos todos os dias, lermos dez páginas de um livro por dia, diminuirmos o açúcar, chegarmos ao zero álcool durante três meses, preferimos comer uma pizza incrível ou uma barra deliciosa de chocolate, fumamos para aliviar o estresse, acordamos ao meio-dia, nos finais de semana, na ilusão de que estamos repondo o sono, bebemos à vontade etc.

Uma xícara de café transbordando.
stock_colors de Getty Images Signature / Canva

Se você conseguir compreender isso e praticar essa estratégia um pouco por dia, mesmo que por pouco tempo, observará que a satisfação é muito maior, em todos os sentidos, do que qualquer barra de chocolate.

O prazer consciente físico e emocional supera qualquer adversidade. Não é fácil, mas é necessário escolher quais batalhas você quer lutar, pois o excesso de açúcar delicioso hoje será a doença de amanhã, assim como o esforço gradativo e constante de bons hábitos hoje será motivo de saúde e de orgulho amanhã.

Fica aí a reflexão.

Você também pode gostar

Leandro Karnal fala, de forma brilhante, a ideia de que esforço é como o banho diário. Segundo ele, você pode tomar banho durante dez anos, o que é uma maravilha, mas se não tomar hoje, irá feder. Então, o esforço é igual ao banho diário e, às vezes, a dois.

Sobre o autor

Vitor Vieira

Vitor Vieira, 26 anos, psicanalista, cantor, compositor, escritor e apaixonado por filosofia.

Sou colunista nos sites Eu Sem Fronteiras e Ajudaria, e professor no Instituto Paulista de Psicanálise.

Acredito que somos todos um só, dentro de cada particularidade. Somos irmãos, aprendendo e evoluindo, dia após dia, sempre em busca de somar e multiplicar conhecimento e sabedoria.

Email: foradacaixaoficial@gmail.com
Site: vozdaluz.com.br
Facebook: vitorvieiraface
Instagram: @psicvitorvieira
Youtube: CanalEnlace