Convivendo

O que aprender com as dificuldades de 2016

New Year is coming! Group of cheerful young people in Santa hats carrying gold colored numbers and throwing confetti
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Se tem uma coisa que mais se escuta em conversas paralelas é o seguinte: “2016, que ano difícil”. Na minha roda de amigos não é nenhuma novidade. Circulando em meio às pessoas no centro da cidade, dá para ouvir os burburinhos falando do momento atual e que não está fácil pra ninguém.

E acredito que com você também não deva ser diferente. Primeiro, pela crise econômica que o país passa. Difícil e triste. Então, você deve ter algum conhecido/amigo seu que perdeu o emprego, que teve que mudar seu estilo de vida e por aí vai. O choque e adaptação nem sempre são fáceis e é esse o ponto central da dificuldade que nos assola em um ano quando muitas áreas são atingidas.

Lidar com as dificuldades

O ano de 2016 foi bem agitado e acredito que não é preciso fazer nenhuma retrospectiva. Até você mesmo que está lendo este texto deve ter sentido essa dificuldade no seu dia a dia. A primeira coisa que abala as pessoas é a perda do emprego. O trabalho é algo muito significante para o homem e o que me resta a dizer é não desistir. Sim, você pode acabar ganhando muito menos do que ganhava, por isso, também a dificuldade de se adaptar a um novo estilo de vida.

Quando ocorre isso, e para os problemas não aumentarem, é preciso, sim, que seja feita uma reavaliação do seu estilo de vida. Colocar no papel as contas e onde é possível cortar e economizar. Uma dica geral para quem ganhou a rescisão é não sair gastando tudo e se empolgar com o dinheiro. Se houver dívidas, pague e o restante guarde ou invista em algum negócio. Mas não saia se empolgando e gastando todo o dinheiro, já que você não sabe como serão os próximos anos, pois vivemos em uma estabilidade econômica. Essa é uma dica geral e serve para todo mundo.

Adaptação: uma dificuldade

O que 2016 tem ensinado é a adaptação a um novo estilo de vida e isso é um grande desafio para as pessoas. Primeiro porque nos acomodamos e a gente sabe que não é nada fácil mudar a rotina. E nestes casos, a adaptação ocorre por algo difícil e pode acabar interferindo em todos os laços familiares. O apoio de alguém é sempre fundamental. Conseguir respirar fundo, não sair na loucura e pensar com calma é importante para definir os próximos passos.

“O choque e adaptação nem sempre são fáceis e é esse o ponto central da dificuldade que nos assola em um ano quando muitas áreas são atingidas”

E não precisamos nem dizer que a fé é fundamental para dar a esperança dos dias melhores. Independente da religião, acreditar que as coisas vão melhorar, acreditar nas pessoas, em dias melhores, em novas oportunidades, em coisas boas para o país também vão deixar a sua vida mais positiva.

Sabe-se que o efeito negativo tem um grande impacto. Parece até que se uma coisa começa a desandar, o restante desanda, e nessa hora não vale reclamar ou colocar a culpa nos outros. Reavalie o seu papel nesta história.

E o que aprender com 2016? Assim como todos os anos, tente ser um ser humano melhor e não coloque os fracassos de sua vida no ano e no governo. Claro que tudo são consequências, mas a gente pode melhorar. É como sempre afirmo, a mudança começa no eu interior.


  • Texto escrito por Angélica Fabiane Weise da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]