Autoconhecimento Coaching

O Que Fazer Quando Sua Vida Estaciona num Platô?

Platô
BhiaBeatriz
Escrito por BhiaBeatriz
Sempre acreditei que a minha missão é ajudar as pessoas que fazem contato comigo, de uma forma que elas possam continuar crescendo e se desenvolvendo.

Curiosamente eu não conseguia cumprir a minha missão e não entendia o que estava acontecendo. Eu ajudava uma pessoa aqui e outra ali, mas sabia que a minha missão não estava sendo cumprida.

Até que descobri o grande segredo que vou compartilhar com você neste artigo.

Depois de uma busca intensa pelos mais variados caminhos da espiritualidade, eu pude finalmente entender o que estava me impedindo de cumprir a minha missão…

Eu estava estacionada em um platô de crescimento!

Platô

Quando finalmente consegui observar com atenção a minha linha do tempo, pude perceber claramente que passei décadas em crescimento constante e alguns anos estacionada em um platô. Eu não me movia mais no gráfico do crescimento, nem para frente e nem para trás. Pode parecer bom que não tenha andado para trás, mas o que me deixou intrigada foi o fato de não ter mais andado, nem para frente, como eu queria, e nem para trás. Eu estava insatisfeita com aquela absoluta falta de movimento. Eu estava estacionada em um platô de crescimento… E não tinha a menor ideia de como sair dali!

Adoro uma frase do empreendedor Érico Rocha que diz: “O que te trouxe até aqui não é o que vai te levar para o próximo nível”.

Sim! Eu estava estacionada em um platô tentando fazer as mesmas coisas para continuar crescendo. Precisei analisar com mais profundidade toda a minha linha do tempo para entender a minha jornada completa e foi exatamente isso que me “salvou de mim mesma”.

Nunca parei de buscar conhecimento, é verdade, mas é verdade também que estava aplicando o conhecimento adquirido de uma forma que não fazia sentido para mim.

Essa descoberta foi o que destravou a minha vida de uma maneira tão intensa que até me lembrou as varinhas mágicas das fadas nos filmes da Disney.

Meditar sempre foi um desafio para mim. Nunca consegui ficar mais de 5 minutos naquele total silêncio interno. Eu não entendia o porquê não conseguia. A minha vida inteira, desde que me conheço por gente, sempre dediquei a maior parte da minha rotina diária à prática da espiritualidade. Então… Por que eu não conseguia meditar?

A resposta veio quando entendi que eu não precisava meditar.
Embora a meditação funcione para a grande maioria das pessoas, para mim, ela não tem o mesmo efeito. Na verdade, eu fico impaciente quando me “obrigo” a “calar minha mente”. Em todas as tentativas que já fiz, a criatividade brota ainda mais intensa e as ideias parecem se multiplicar dentro da cabeça, até que não consigo mais segurar e interrompo o estado meditativo, vou para o computador e escrevo rapidamente todas as ideias criativas que surgiram dentro da minha cabeça naquele curto espaço de tempo. Assim é a minha mente! Não é por acaso que a minha força de assinatura é a criatividade.

Em algumas dessas ocasiões, eu saí do estado meditativo depois de 3 minutos e fiquei escrevendo durante horas sem interromper o fluxo das ideias.

Gosto disso porque, dessa forma, consigo expressar a minha verdadeira natureza e registro as minhas mensagens, que depois posso compartilhar com as pessoas.

O que fazer então?

E o que isso tem a ver com o platô no qual eu estava estacionada?

Só encontrei essa resposta depois que entendi que eu não precisava calar a minha mente. Eu não precisava de meditação. O que eu precisava era de conexão. Sim! Conexão era a palavra que fazia sentido para mim.

Mas qual é a diferença entre Meditação e Conexão?

Na verdade, eu não sei se tem mesmo diferença. O que sei é que a palavra conexão abriu a minha mente e conseguiu o efeito que eu não estava conseguindo com a palavra meditação.

Comecei a fazer conexões diárias e foi assim que encontrei a grande resposta para a minha pergunta: Como sair do platô no qual eu estava estacionada?

Em conexão direta com o divino, eu aprendi a maior lição da minha vida. Eu estava tentando ajudar as pessoas e queria fazer isso cada vez mais. Porém o efeito era justamente o contrário… Quanto mais pessoas eu tentava ajudar, mais eu conseguia me afastar da minha missão.

Por quê? 

Porque eu não estava cuidando de uma pessoa em especial, eu mesma.

Se você já viajou de avião, você sabe que a orientação é: em caso de despressurização da cabine, coloque a máscara primeiro em você.
Uma lição simples e, mesmo assim, eu levei décadas para aprender, mesmo praticando a espiritualidade em todos os dias desde a minha infância.

Quantas vezes eu já tinha escutado essa frase ou recebido essa orientação? Inúmeras vezes, com certeza! Mesmo assim eu não estava absorvendo o aprendizado… “Cuide primeiro de você” era apenas uma frase que eu ouvia repetidas vezes sem experienciar.

Naqueles tempos, o meu sábio interno estava muito enfraquecido e quem “ditava as regras” eram os meus sabotadores internos. O crítico estava no comando, mas quem trabalhava duro mesmo era o seu irmão, aquele que atende pelo nome de prestativo. Normalmente eu confundia a minha missão de ser prestativa com o sabotador prestativo.

Qual a diferença?

Basicamente, a diferença está no fato de que para ser prestativa eu não preciso e nem devo deixar de cuidar de mim. Para cuidar das pessoas, como é a minha missão, preciso começar cuidando da pessoa mais importante da minha vida: eu mesma. Depois, com a minha pessoa fortalecida, eu conseguirei cuidar das outras pessoas, cumprindo assim a minha missão.

O sabotador prestativo sempre confundia a minha cabeça me fazendo acreditar que eu deveria abrir mão de mim mesma para cumprir a minha missão, que eu deveria dedicar toda a minha energia para cuidar das pessoas. Ele esqueceu de me contar que enfraquecida eu não conseguiria cuidar de ninguém.

Acreditei nele durante décadas e esse erro me custou bem caro. Estou compartilhando a minha experiência porque não quero que você cometa esse erro também!

PlatôDepois que comecei a fazer as conexões diretas com o divino, essa preciosa lição foi absorvida por todo o meu ser, por todas as células do meu corpo e, como se fosse mágica, pude enxergar mais longe, muito além do platô onde estava estacionada, pude ver novamente a linha de crescimento no gráfico da minha vida e soube exatamente o que fazer para sair do platô.

Eu estava de volta ao movimento de expansão e crescimento e foi exatamente nesse ponto que entrei no fluxo e comecei a viver a minha vida ideal.

Não existe um modelo pronto de vida ideal que seja igual para todas as pessoas.
Ao contrário, a vida ideal de cada pessoa é desenhada por ela mesma. Só você pode saber como é a sua vida ideal, o que exatamente você deseja vivenciar que pode ser definido como a sua vida ideal. Ninguém pode decidir isso por você!

Para saber como conquistar a sua vida ideal, você precisa primeiro definir claramente e com riqueza de detalhes o que ela contém.
Talvez você também tenha estacionado em um platô, assim como aconteceu comigo, e não sabe como retomar o seu crescimento.

Se esse for o caso, vou sugerir algumas ações que funcionaram para mim e espero que funcionem para você também.

Passo #1
Comece definindo claramente e com riqueza de detalhes como você descreve a sua vida ideal. Pense em como seria a sua rotina diária se você já estivesse vivendo a sua vida ideal. Coloque todos os detalhes em um papel ou em um documento dentro do seu computador, não importa onde você vai escrever, o que importa é registrar essas informações. Você precisará delas mais tarde para descobrir como conquistar a sua vida ideal.

Passo #2
Depois de saber claramente tudo sobre a sua vida ideal, sugiro que continue fazendo esse tour pela sua linha do tempo. Você já foi para o futuro quando definiu claramente a sua vida ideal. Agora, volte ao seu passado e refaça toda a sua jornada, o mais detalhadamente possível, até chegar no seu momento atual.

Passo #3
Agora, chegou o momento de olhar para o seu presente. Analise tudo o que está acontecendo na sua vida atualmente. Tudo mesmo, faça uma lista de tudo o que está acontecendo de bom e de ruim, o que você gosta e o que você não gosta. Olhe com imparcialidade para o seu momento presente, sem julgamentos, sem culpas, sem nenhum tipo de sentimento, nem sentimentos positivos e muito menos sentimentos negativos, nada… Apenas observe.

Passo #4
PlatôComece hoje mesmo um diário, escreva diariamente sobre a sua vida, seja o que for, apenas escreva no seu diário o que você sentir vontade de escrever. Registre os insights que tiver durante o dia, registre as observações que você fizer durante o dia, registre os sonhos lúcidos que tiver durante a noite, registre as suas conclusões, registre tudo.

Passo #5
Busque maneiras de cuidar melhor de você mesmo sem deixar de cuidar das outras pessoas. Olhe com carinho para a sua jornada e busque maneiras de voltar a crescer, busque maneiras de sair do platô. Teste soluções diferentes para os seus problemas atuais. Lembre-se: “O que te trouxe até aqui não vai te levar para o próximo nível”.

Passo #6
Por fim, mas não menos importante: Se a jornada solitária parecer muito pesada, saiba que você não está só, você sempre pode buscar ajuda para sair desse platô e retomar o crescimento, mas tome cuidado para quem você vai pedir ajuda. Na maioria das vezes, buscamos esse tipo de ajuda nos amigos e raramente encontramos um amigo que possa nos ajudar a sair do platô. Os nossos amigos não são obrigados a saber essas respostas, talvez eles também tenham estacionado no platô.

Se você buscar ajuda em alguém que também está estacionado no platô, tudo o que vocês vão conseguir é trocar ideia sobre o problema, mas nenhum dos dois saberá como sair dele.

Ao buscar ajuda, escolha alguém que já esteve nesse platô e encontrou a saída.

Busque ajuda com alguém que está apenas a alguns passos à sua frente. Se a pessoa estiver ao seu lado, ela não poderá te ajudar e se ela estiver muitos passos à sua frente você não conseguirá acompanhar.

Levei muito tempo até descobrir como sair desse platô.

Hoje, eu sei que a prática da espiritualidade na rotina diária tem um elemento primordial para tirar qualquer pessoa do platô de crescimento.
 Estou falando da conexão direta com o divino em todos os dias. Pode ser pela manhã, pode ser à noite, não importa a hora do dia em que você vai se dedicar a essa conexão, o que importa é fazer a conexão diariamente e manter a sua frequência energética elevada em todos os dias, o dia inteiro.

Eu encontrei um jeito de fazer essa conexão sem interferir nos compromissos da minha agenda diária e posso ajudar você a encontrar mais rapidamente o seu jeito para fazer isso.

Se quiser a minha ajuda para encurtar a sua curva de aprendizado e sair do platô muito mais rápido, clique no link que está no final deste artigo e receba informações detalhadas.

EU QUERO

Você também pode gostar de outros artigos da autora: Como Vencer a AUTOsabotagem

Sobre o autor

BhiaBeatriz

BhiaBeatriz

Meu nome é BhiaBeatriz e eu poderia me apresentar a você como Coach, Escritora, Atriz, Diretora de Teatro e tantos outros títulos que fui conquistando pela vida.

Mas tudo isto são apenas palavras que dão a você uma ideia do que eu faço e não do que sou. Porque, na verdade, eu sou uma Consciência em Jornada de Evolução Espiritual, exatamente como você.

Eu escolhi compartilhar com outras pessoas tudo o que vou aprendendo pela vida, de forma prática, no dia a dia desta jornada, e posso garantir a você que o meu aprendizado se resume em praticar a Espiritualidade na Rotina Diária, que é exatamente o que quero compartilhar com você nesta coluna.

Como Escritora tenho vários livros publicados que você encontra nos meus sites ou nas editoras Amazon e PerSe.

Como Coach faço alguns atendimentos individuais com Spiritual Coaching e também com a Energia dos Cristais para sistemas de AUTOcura, quando a agenda permite.

Como InfoProdutora ofereço programas e cursos online de Desenvolvimento Espiritual em plataformas como Udemy, Hotmart, Eduzz e Monetizze.

Contatos:
WhatsApp Business: Bhiabeatriz
Site: bhiabeatriz.com