Autoconhecimento

O valor da verdadeira amizade

Luis Lemos
Escrito por Luis Lemos


hDigam o que quiserem dizer os psicólogos, os filósofos, os religiosos ou os hipócritas: “vale mais ter um amigo na praça do que dinheiro em caixa”. Sim, é verdadeira essa expressão popular, e logo me explico.

Em primeiro lugar, eu sou a prova viva desse ditado popular. Quantas vezes eu já precisei dos amigos por um dinheiro extra? Para ser honesto, inúmeras vezes!

A última vez foi por ocasião da compra da casa própria. Precisava completar a quantia para quitá-la, e, não tendo mais saldo no banco, fui até o meu amigo, Braz José Cogo, e ele me atendeu prontamente.

Tu bem sabes o quanto sou eternamente grato por aquele empréstimo. A minha casa, não é só minha, é tua também! Além de bons amigos, somos compadres. Você se tornou padrinho do meu único e amado filho.

A nossa amizade só tem aumentado nesses últimos anos.

Parece que foi ontem que nós nos conhecemos, mas não, foi em 1996, lembra? Você foi meu professor de Filosofia, e hoje somos colegas de profissão.

Embora ultimamente só estejamos conversando por mensagens de aplicativos, sei que a amizade verdadeira é um estágio da evolução da vida animal, ou seja, somente seres humanos evoluídos são e têm amigos.

Duas meninas no campo de costas se olhando e sorrindo

Embora as minhas redes sociais digam que “tenho muitos amigos”, hoje posso dizer, sem medo de errar, que sou uma pessoa de poucos amigos. Precisamente, só a sua amizade me basta!

Eu não quero, portanto, “ter um milhão de amigos”, conforme cantou Roberto Carlos.
Eu quero ter amigos, não importando a quantidade, e quero apenas que esses amigos sejam que nem você: sincero, verdadeiro e profundo.

A nossa amizade representa o que está escrito em Eclesiástico 6,14-15: “Amigo fiel é poderosa proteção: quem o encontrou, encontrou um tesouro. Ao amigo fiel não há nada que se compare, pois nada equivale ao bem que ele é”. Sim, a nossa amizade é um verdadeiro tesouro!

No entanto, não podemos e nem devemos ser ingênuos.

Ser amigo de alguém não significa que você tem de concordar com tudo o que ele pensa, fala ou faz. Há coisas que não podem ser aceitas integralmente.

Duas pessoas sentadas de costas com o por do sol no fundo

Um dia, Aristóteles estava ensinando na praça pública quando um jovem lhe perguntou: “você ainda é amigo de Platão?”. O filósofo, depois de um breve silêncio, respondeu: “sim, sou amigo de Platão, mas sou mais amigo da verdade”.

A amizade é a primeira experiência espiritual do ser humano. É a mais bela das experiências do homo sapiens, ou seja, a amizade verdadeira é a face mais sublime do amor. A verdadeira amizade, enfim, é aquela que liberta.


Você também pode gostar de outros artigos do autor. Acesse: O que significa ser solidário na sociedade atual?

Sobre o autor

Luis Lemos

Luis Lemos

Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA); Graduado em Filosofia pela Universidade Católica de Brasília (UCB); Bacharelado em Filosofia pelo Centro do Comportamento Humano (CENESCH).

Professor de Ciências Naturais na Secretaria Municipal de Educação de Manaus (SEMED/AM). Professor de Filosofia da Educação, Ética e Filosofia Jurídica na Faculdade Martha Falcão/Devry Brasil.

Tem experiência na área de Filosofia da Ciência, com ênfase em História da Filosofia, atuando principalmente com os temas: Educação, Ensino de Ciências, Epistemologia, Ética e Ética Profissional.

Autor dos livros: O primeiro olhar – A filosofia em contos amazônicos (2010); O segundo olhar – A filosofia em temas amazônicos (2012); O terceiro olhar – A filosofia em lendas amazônicas (2014); O homem religioso - A jornada do ser humano em busca de Deus (2016).