Convivendo

Oito dicas para sustentar o relacionamento em tempos de crise financeira

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Em tempos de crise financeira até os relacionamentos podem ser afetados. E não é por menos. Em pleno 2017 muitas pessoas estão desempregadas e tantas outras em busca de uma oportunidade. E se você também ficou desempregado e está em busca de uma nova vaga, não desista, mas cuide muito para o seu relacionamento não sair afetado. O mesmo vale se o casal está empregado, mas com dívidas. Confira oito dicas para sustentar o relacionamento em tempos de crise financeira.

1- Diálogo sempre: conversar é fundamental em tempos que o companheiro está desempregado. É hora de rever as contas, cortar custos e pensar em formas de sair da crise financeira. É importante o casal pensar que é uma fase e quando unidos é muito mais fácil passar por essa crise financeira.

2-Incentive o parceiro: não coloque seu parceiro (a) para baixo. Se as oportunidades demorarem a aparecer, nada de ficar insultando o parceiro. Essa é a hora de apoiar e incentivar. Talvez seja o momento de se qualificar. Há cursos online até gratuitos para fazer.

3-Namore quando possível: não deixe as preocupações e dívidas atormentarem o seu relacionamento. Sempre que possível faça carinhos, namore seu parceiro. Esse é um momento de apoio e todo carinho será bem-vindo. Por mais que nesta hora nem sempre o companheiro (a) esteja a fim de curtir um momento a dois, é hora de inspirar e incentivar o romance. Isso manterá o relacionamento fortalecido.

4-Não fique apontando pontos fracos: não ter um trabalho pode deixar qualquer pessoa triste. E isso afeta a autoestima e bem-estar da pessoa. E nesta hora fraca não é momento para apontar os pontos fracos e sim de dialogar. Mostrar no que o parceiro (a) pode melhorar, mostrar outras áreas de trabalho. O incentivo é importante. E não vale buscar culpados para a crise financeira, essa é a hora de ambos conseguirem identificar formas de superar a crise e fazerem uma reflexão de como chegaram até esse momento.

5-Jogar no mesmo time: o casal para se manter fortalecido diante de uma crise financeira precisa jogar no mesmo time. Se ambos tiverem objetivos diferentes é mais fácil de o relacionamento entrar numa crise pessoal e afetar os dois. Ambos precisam se apoiar, acompanhar a rotina de busca de emprego ou até mesmo se estão empregados, achar formas de conseguir diminuir as dívidas. Aqui vale até buscar ajuda de um consultor financeiro. Esse será um investimento com bom retorno.

6-Fazer as contas e não se desesperar: se as contas estão negativas nada de entrar em desespero. Existem formas de negociar as contas. Mas cabe ao casal um diálogo em relação a diminuir custos, rever gastos e prioridades. Ambos não podem achar que não está acontecendo nada. Eles precisam saber que estão passando por uma crise financeira e aceitar esse momento. Somente assim é possível evoluir e achar soluções.

7-Buscar escapatórias de fuga: quando a crise financeira chegar ao relacionamento, cabe ao casal não buscar escapatórias. Sejam bebidas, outro relacionamento, ou ainda fazer mais dívidas. Os dois precisam estar unidos e abraçar esse momento juntos. Buscar escapatórias somente quando forem buscar alternativas cabíveis e não ilusórias.

8-Momento de fortalecimento do casal: a crise financeira quando bem enfrentada com certeza fortalece o relacionamento. Até porque sabemos que um relacionamento não é feito apenas de bons momentos, mas de ruins também. É nesta hora que é possível conhecer melhor o seu companheiro, ver quais são as suas virtudes. O fortalecimento pode até melhorar este relacionamento, pode servir de inspirações para outros sonhos e objetivos.


Escrito por Angélica Fabiane Weise da equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]