Autoconhecimento Comportamento

Passando a bola

Homem na rua de roupas sociais estendendo a mão aberta como sinal de recusa.
Foto de elwynn em 123RF
Cintia Barbosa
Escrito por Cintia Barbosa

Quando não dá mais conta de segurar algo, você passa a bola? Passe a bola quando não puder mais controlar ninguém e nenhuma situação, quando pesar, se estressar, quiser dar um tempo ou até mesmo quando não sentir pegar a bola, ou estiver impossibilitada(o) de enxergar também que você é luz no fim do túnel.

Passe a bola e deixe as pessoas e as coisas irem. A solidão nunca foi irmã da solitude e nem falta de dinheiro primo da prosperidade.

Passe a bola ao perceber que pode contar com pessoas que realizarão um ótimo serviço como o seu, sendo extensões de conhecimento que agregam mais valor ao cumprimento de um propósito. No jogo da vida vence quem se conscientiza que os demais integrantes estão ali por um motivo maior, fazer valer a dinâmica da cooperação de cada pessoa, harmonizados entre si e ao objetivo final.

Homem e mulher sentados a uma mesa com um computador, conversando.
Foto de Ekaterina Bolovtsova no Pexels

Quanto mais soltar poderá perceber como o seu corpo responde afirmativo com leveza, respiração equilibrada e com um forte impulso para frente de modo a se realizar integralmente, corpo, alma e espírito. Passar a bola, soltar, dar um salto à frente para alcançar a plenitude. Vale até passar a bola para o Universo, o fogo, às águas, aos quatro ventos! Deixe as forças da Natureza o envolver e fluir até onde você precisa estar. Seja amiga(o) da mente e mostre a ela que o coração é livre, leve, solto e sábio, porque canaliza o amor em seu estado mais puro. Revela para a mente que estar no controle é estar no controle de nada, tudo está em constante movimento e manter-se no passado é voltar o filme de um porta-retratos.

Você também pode gostar

Sabe como tirar mais proveito das coisas? Com consciência, atenção, discernimento, experienciando o momento atual no qual se encontra, permitindo sentir todas as sensações possíveis sem pretensão de conservá-las. Pratique viver a plenitude na mente (plena mente).

Segura não, “sô”!

Sobre o autor

Cintia Barbosa

Cintia Barbosa

Eu sou Cíntia Barbosa, uma profissional buscadora de minha mestria há oito anos. Uma semente do despertar da consciência foi plantada e segui cumprindo o fluxo natural de germinação, resultando em um belo processo de transformação e autoconhecimento.

A vida me apresentou escolas para passar por elas e receber todas as informações, aprendizados, conhecimentos necessários e aplicáveis que serviriam como contribuição às demais conexões sociais e ao mundo. Então, recebi formação no serviço e educação social, nas especializações em gestão de pessoas e responsabilidade social, nas práticas integrativas e complementares de saúde, na reconexão e alinhamento com o Eu Superior, minha ancestralidade e na posse do meu lugar sistêmico. Aprendi a desaprender para reaprender quem sou, o que me conecta ao mundo e o sentido do propósito a cumprir. Com isso, experienciei diversas possibilidades de me conhecer e cuidar para estar apta para contribuir com as pessoas, e assim poder conscientizá-las de sua mestria e ensiná-las a viver seu propósito.

Estou a serviço da vida!

Contatos:

Email: [email protected]
Facebook: maestriaemsi
Instagram: @maestriaemsioficial