Autoconhecimento

Pirâmide de Maslow: as etapas para a autossatisfação

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Objetivamente, você já parou para refletir o que te fez feliz? Seria um carro? Ter saúde? Uma família? Dinheiro? Amigos? Um emprego estável? Essa é uma resposta bastante pessoal e que não oferece um valor universal que a satisfaz completamente. Uma pessoa pode ter tudo isso citado acima, mas não se considerar feliz, assim como o inverso também acontece.

Segundo o psicólogo norte-americano Abraham Maslow, é possível estabelecer uma hierarquia de condições necessárias para que cada um de nós possamos atingir um nível de satisfação pessoal e profissional. Para isso, o psicólogo desenvolveu a Pirâmide de Maslow, também conhecida como a Hierarquia das Necessidades de Maslow. shutterstock_254050483

Baseando nesse conceito, o psicólogo elaborou uma pirâmide que foi dividida em cinco níveis, no qual as pessoas devem começar debaixo e passar por cada um desses níveis até chegar ao topo.

O primeiro nível, segundo Maslow, trata-se da satisfação fisiológica, ou seja, a pessoa precisa, antes de tudo, conseguir satisfazer suas necessidades básicas, tais como a fome, a sede, o sono, a exceção, o abrigo e etc.

O segundo nível seria relacionado com a segurança. Depois de passar pela fisiologia, o indivíduo precisa sentir-se seguro dentro de uma casa, ter um emprego e outras condições ligadas com estrutura e estabilidade.

Em seguida temos o terceiro nível, que são as necessidades sociais e de afeto. Neste patamar, o indivíduo precisa se sentir parte de um grupo social, ter amigos, construir família e sentir-se amado pelas pessoas em sua volta.

No penúltimo nível, Maslow aponta a estima. A necessidade do reconhecimento das nossas capacidades pessoais, autoconfiança, conquista, respeito dos outros, fazendo ligação direta com o status na sociedade.

Por fim, o quinto nível é a realização pessoal. O topo da pirâmide reflete aquilo que a pessoa quer ser, livre para criar e agir, desenvolvendo todo o seu potencial e alinhando em simetria aquilo que você quer, com aquilo que você pode e junto ao que você deve fazer.

A Pirâmide de Maslow propõe que as pessoas consigam saciar, pelo menos em parte, o primeiro nível para que passem ao seguinte e assim por diante.

Obviamente, como tudo relacionado à ciência, também é uma teoria passível de críticas. Por exemplo, uma pessoa pode afirmar que obteve a autorrealização no topo da pirâmide, mas sem que tivesse saciado plenamente algum nível anterior. Como dissemos no início, não existe um valor universal para a felicidade. Afinal, a felicidade é um objetivo a ser alcançado depois de um longo caminho, ou é o caminho em si, no qual cada uma de nossas escolhas podem nos fazer felizes, mas sem levar em conta aonde chegaremos ao final.

Se não há um valor universal para definir o que é a felicidade, há o consenso de que não se chega a ela sem agir. A vida é movimento, agir muda as coisas da forma que você mais quer. O tempo passa e as coisas mudam como a rotatividade da Terra, então o mesmo vale para você.

Fazendo bem a você e não aos outros, vá em frente, o que você tem a perder?


  • Texto escrito por Diego Rennan da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]