Comportamento Convivendo

Potenciais Limitados

Silhueta de homem de costas com braços abertos no topo de montanha com céu azul e sol ao fundo
Alexandre Lourenção

Sexta-feira, final de expediente. Bate aquela alegria indescritível de liberdade.

Domingo à noite, final do dia. Bate aquela agonia indescritível de falta de propósito.

No intervalo entre o domingo e a sexta, mais precisamente entre a segunda e a sexta, você investe a maior parte do seu tempo em algo que, em primeira instância, lhe traga segurança, que lhe garanta a sobrevivência.

Aqui falamos de dinheiro.

Você investe seu tempo inconscientemente em sua sobrevivência. Afinal, sem o dinheiro você não teria a segurança e sua sobrevivência estaria ameaçada. Ou seja, aqui temos um aspecto positivo do dinheiro, pois ele permite que você sobreviva, mas o tempo que você investe nesse processo, e às vezes isso é o dia todo, exige uma obrigação muitas vezes sufocante, afinal, na grande maioria dos casos, você ou não gosta do que faz, ou odeia mesmo.

A grande verdade é: Estamos desperdiçando nossos potenciais!

E não é só o que você faz, mas as pessoas com quem convive. É como se a maioria ali fosse um exército de demônios ajudando Deus a puni-lo no inferno. Conhece essa sensação ou história? Pois é, você e 95% da população do planeta seguem isso, independentemente de crença ou religião, afinal sonhar é para poucos, então vamos trabalhar, entregando nossos potenciais aos nossos sonhos e nos dedicar a uma vida medíocre e de constante frustrações. E claro que isso constitui uma força de trabalho de baixa qualidade, vitimista, irresponsável e sem comprometimento com escolhas que nós mesmos fizemos.

Homem em mesa de trabalho cansado visto do alto

Mas vamos parar um pouco e analisar nossa história.

– Primeiramente, somos nós que fazemos nossas escolhas, mesmo que responsabilizando algo externo, nós decidimos entre o sim e o não.

– Segundo: nós decidimos perseguir nossos sonhos ou os sonhos de outras pessoas, incluindo aí nossos pais.

– Terceiro: nós decidimos a força que damos aos nossos medos ou aos medos dos outros.

– Quarto: nós decidimos também o foco de nossa raiva, que nada mais é do que nossa sombra interna ignorada e implorando por Luz.

Só que no meio disso tudo, temos um complexo sistema de crenças e convicções subconscientes que nos afastam de grandes verdades.

Só você sabe o que passa na sua cabeça e pelo que passa em seus processos.

Só você conhece, mesmo superficialmente, suas sombras.

Só você sabe o que é o verdadeiro amor, assim como o medo e a raiva.

Só você sabe os motivos que levaram você a chegar até onde se encontra.

Garota segurando balão de coração com braços abertos vista de baixo

Só que na verdade nem você sabe tudo isso.

Você não conhece todas as suas crenças, mas tem noção do que deveria ser.

Você não conhece o seu subconsciente, mas permite culpar-se excessivamente.

Você não sabe ou não aceita que no fundo não é uma pessoa tão boa como você gostaria de ser, e está tudo bem com isso.

O importante é aceitar quem você é e refletir sobre o que deseja ser.

Muitas vezes passamos a vida como larvas, pois a borboleta que sonhamos nos tornar é na verdade aquele sonho de outra ou outras pessoas.

Vivemos o plano da dualidade e nossa alma veio aqui sim para experienciar até a escuridão.

Somos seres espirituais vivendo uma realidade física em um plano de dualidade, em que o bem e o mal são essenciais nesta realidade.

E se no fundo viemos para cá exatamente para aprendermos a iluminar nossas sombras, aceitando nossa escuridão como parte integral do todo em que vivemos?

Somos o Todo! Somos o bem e o mal! Somos o belo e o feio, o simpático e o arrogante, o pobre e o rico, o honesto e o oportunista.

Somos tudo, mas só queremos aceitar o positivo, aí o negativo vem com toda força e compromete nossa realidade, trazendo tristeza e sofrimento.

Garota sentada em gramado encostada em árvore pensativa

Toda essa complexidade drena nossa energia e desperdiça nossos potenciais de realização.

Já somos Luz em essência, então não viemos aqui unicamente para nos tornarmos o que já somos, precisamos apenas aceitar isso e abraçar com carinho e amorosidade da nossa escuridão.

Daí é que vem nossa irritação com as pessoas, pois elas são o reflexo do que está dentro de nós e nos recusamos a assumir. E assumir não significa sermos ruins, mas entendermos que também podemos ser ruins, mas que conscientemente escolhemos ser melhores.

Você também pode gostar

O que me vem como realmente importante neste momento é:

– Pare de se comparar aos outros e de compará-los a você.

– Pare de julgar quem você desconhece a história de vida, família, vidas passadas e missão de alma – ou seja, todos!

– Pare de se anular, de se criticar e de se desmerecer – isso nada mais é do que talvez a perpetuação da repressão infantil, ou seja, a educação dada por nossos pais.

– Pare de culpar os outros ou a você mesmo pelas suas decisões, apenas se responsabilize livre de todo e qualquer castigo.

Seja o seu melhor, mas abrace sua escuridão, senão ela toma conta de tudo, e você nunca será uma linda borboleta, e continuará desperdiçando seus potenciais. E um fato é: larva não envelhece, ou ela se torna borboleta ou…

Gratidão!

Sobre o autor

Alexandre Lourenção

Alexandre Lourenção

Olá, meu nome é Alexandre e venho aqui compartilhar minha missão, que é levar as pessoas a sua melhor versão através da busca espiritual do despertar de consciências.

Hoje atuo como Terapeuta Intuitivo e Quântico, através de técnicas como Thetahealing e Quantum Being, além de ser instrutor oficial de ThetaHealing.

Minha essência e todo meu autodesenvolvimento é focado em mostrar caminhos que permitam às pessoas se desenvolverem em todas as áreas de suas vidas.

Minha formação em humanas inclui uma pós-graduação de Gestão de Pessoas com foco no Desenvolvimento Pessoal, e, desde 2016, atuo com ThetaHealing. Em 2018 iniciei minha formação como instrutor da técnica, e, nesse mesmo ano, fui convidado a participar da coordenação do maior núcleo de Atendimento Popular do Brasil no Instituto Thetahealing Brasil.

Em toda minha vida, busquei intuitivamente na metafísica e na espiritualidade, as respostas para o desenvolvimento das pessoas, e foi no Thetahealing que encontrei a conjunção perfeita de todo esse conhecimento voltado para o bem maior.

Entendi que através das ondas cerebrais theta, é possível não só acessar a totalidade de nossa consciência, que nada mais é do que pura energia, mas também identificar e modificar nosso sistema de crenças subconscientes, responsável por toda a nossa realidade.

Entendi também que tudo no Universo faz parte dessa mesma energia, dessa mesma consciência, e que, acima de tudo, não existe separação, apenas unicidade dentro de uma energia de puro Amor Incondicional.

Respondo ao chamado de levar Luz e Sabedoria para as pessoas, ajudando a transformar o mundo, uma pessoa de cada vez, e me conectei ao projeto Eu Sem Fronteiras levado pela Consciência Universal.

Sou grato a cada ser humano que assume seu poder pessoal.

Gratidão!

Contatos:

Email: [email protected]
Site: alexandrelourencao.com.br
Facebook: alexandre.thetahealing
Instagram: @alexandre.thetahealing