Autoconhecimento

Quando os filhos voam

Father Walking To School With Children together
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Se você é pai ou mãe, sabe como é difícil exercitar o desapego. Ver os filhos crescerem e às vezes perceber que eles tomam decisões que os afastam de você pode ser duro, mas não podemos restringir demais a vida deles.

O amor, no fim das contas, é liberdade. E, quanto mais prendemos os filhos, mais rebeldes eles podem se tornar. Por isso o ato amoroso é o ato de deixar os filhos livres. Claro, sempre com orientação e dando conselhos, mas nunca restringindo e sim incentivando que eles façam escolhas, acima de tudo, conscientes.

Cuidado para não confundir amor com dependência. O amor é saudável e livre. A dependência é algo que surge de nossas próprias inseguranças, medos e problemas psicológicos nossos. Se você acha que não vai aguentar passar por tudo isso, talvez o problema não seja o desapego com os filhos. E sim o seu autoconhecimento que deve ser melhorado.

Se você que está lendo esse texto não for pai nem mãe, ainda assim é filho. E, como filho, aprenda a  enxergar o lado dos seus pais também. O desapego não é e nunca será fácil para eles. Não ache que eles estão te sufocando ou te impedindo de fazer algo por maldade ou algo do tipo. Eles possuem um amor tão grande por você que para eles é difícil lidar com o seu crescimento.

Às vezes amar pode ser difícil.

Demonstre confiança e transmita segurança para eles que a liberdade virá com o tempo e de forma natural. Fique tranquilo. Pois um dia talvez você também tenha filhos, e então vai perceber como é difícil passar por esse desapego. Seja nas primeiras vezes que o filho vai à escola, seja quando ele cresce e passa os primeiros dias longe de casa ou quando ele casa ou se muda para longe. 

Agora, sendo pai, mãe ou filho, o que sempre vamos precisar é de coragem. Coragem para aceitar que as pessoas mudam, mas isso não quer dizer que deixaram de nos amar. Coragem para aceitar o distanciamento se ele acontecer, e mesmo assim continuar amando a distância. E principalmente coragem para compreender que cada pessoa é única e nunca podemos tomar decisões por ela. Somente ela poderá aprender com os acertos e erros de suas escolhas.

Se você está com dificuldade em exercitar o desapego, comece a mentalizar todas as coisas boas que podem estar acontecendo com quem você precisa se desapegar. Mentalize que é da liberdade que vem o crescimento e tudo de bom pode acontecer a partir dela. E, o mais importante, é o que diz aquele ditado:

Deixe um pássaro muito tempo em uma gaiola e, quando ele conseguir fugir, ele nunca mais vai voltar. Mas, se você criar o pássaro livre, sem gaiola, mesmo ele podendo ir para qualquer lugar, ele sempre vai voltar para cantar em sua janela.


Texto escrito por Ricardo Sturk da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]