Autoconhecimento

Sexualidade e espiritualidade

Mulher fazendo exercício de yoga em um estúdio.
Fernando Neves
Escrito por Fernando Neves
Atualmente, a sexualidade mal orientada é causa de dor e sofrimento para a maioria da humanidade. Nas mulheres, a polaridade da repressão cultural e religiosa é ainda muito forte, mesmo em países ocidentais como o Brasil.

Uma mulher que se impõe e fala abertamente sobre a sua vida sexual é muitas vezes julgada como leviana ou vulgar e, por isso, elas têm que se esconder sob o verniz social do “politicamente correto”.

Já com os homens acontece exatamente o oposto. Culturalmente eles têm que provar aos outros a sua masculinidade e não raras vezes mergulha na compulsão sexual ou no vício em pornografia.

Muitas religiões falam que masturbação e homossexualidade é pecado.

Sexualidade

A ciência, por outro lado, aponta essas questões como algo normal, que fazem parte da natureza.

Já a mídia propaga o “pode tudo” nas novelas e filmes, e resume educação sexual exclusivamente com o uso de preservativo.

O que é o correto? Que caminho seguir?

Para que possamos estar em paz com a nossa sexualidade, criamos o acróstico: “VIDA”.

A energia sexual é sinônimo de VIDA, não só como perpetuadora da vida física, mas também nas construções artísticas e emocionais de todo o ser humano.

Sexualidade

Então vamos lá:

V: Voz interior

I: Inteireza

D: Dimensões

A: Afetividade

VOZ INTERIOR

Para sabermos o certo e o errado no campo da sexualidade, é importantíssimo que aprendamos a nos desprender na opinião dos outros e focarmos em nosso próprio coração, na nossa Essência Divina.

Que perguntemos, antes de qualquer ato sexual, como iremos nos sentir, não durante tal ato, mas APÓS, isto é, depois que tudo terminar.

Se, por exemplo, agimos sem afetividade, unicamente movidos pelo prazer, quando tudo termina, nos sentimos mal, cansados, tristes.

Contudo, se a comunhão física ocorreu com alguém em quem confiamos e de quem gostamos, temos uma sensação de alegria, energia e bem-estar.

INTEIREZA

Isso tudo nos leva à questão da Inteireza, ou da integridade. É importante que, no exercício da sexualidade, o prazer esteja associado ao cuidado com o outro; que o instinto se conecte ao sentimento; que a energia circule não só entre os genitais, mas principalmente entre os corações.

DIMENSÕES

Nós somos seres interdimensionais. O grande problema da pornografia é reduzir o ser humano a um simples objeto, sem metas, sem sonhos, sem sentimentos

Portanto, é importante no lembrarmos que o outro não é apenas um corpo físico, um copo descartável que usamos e jogamos fora, mas também e principalmente um ser completo, que tem corpo, emoções, mente e espírito.

AFETIVIDADE

Ao nos relacionarmos fisicamente com outra pessoa, não precisamos sentir um grande amor, como aqueles dos filmes hollywoodianos ou dos finais de novela. Basta ofertarmos um mínimo de atenção, carinho e respeito para com aquela pessoa.

Sexualidade

Sexo sem amor é como bebermos água do mar: quanto mais usamos, maior a sede.
Quanto mais nos conectamos ao amor, por outro lado, maior o nosso grau de satisfação e felicidade em nosso dia. Afinal de contas, quanto mais amor damos mais nós nos preenchemos com ele.

Então, a chave para uma conduta sexual adequada é, repetindo, VIDA: Voz interior + Inteireza + Dimensões + Afetividade.

Se tiver interesse, eu me aprofundo mais nesses assuntos em meu site: http://felizepleno.com.br/.

Um grande abraço e fiquem com Deus!


Você também pode gostar de outros artigos do autor: Como transformar problemas em oportunidades

Sobre o autor

Fernando Neves

Fernando Neves

Como escritor tenho 4 livros publicados.

Atuo como conferencista e hipnólogo na linha Ericksoniana.

Trabalho também como Thethahealing e com EMDR (reprocessamento e dessensibilização através do movimento bilateral dos olhos).

Tenho formação em terapia transpessoal e terapia regressiva integral pelo método de Roger Wooger.

Sou facilitador certificado de pathwork.

Email: [email protected]
[email protected]