Coaching de Bem-Estar Comportamento

Trabalhar para ser feliz é possível?

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

“Com o que você trabalha?”. Essa é uma pergunta que permeia a maioria das conversas de pessoas em todo o mundo. O nome, a idade, o estado civil e a profissão de uma pessoa são as informações básicas que um indivíduo fornece ao mundo, e que resumem, em tese, quem ela é.

O trabalho surgiu com a necessidade de obter alimento, ainda na pré-história. Era preciso desenvolver ferramentas e caçar para viver. A recompensa pelo esforço não era um salário, mas um item essencial para a sobrevivência. Com o passar do tempo, o trabalho passou a ser trocado por moradia e segurança, como na época do Feudalismo.

O trabalho escravo, ao qual as pessoas africanas e indígenas eram submetidas, tinha como objetivo gerar riquezas e bens para os que as exploravam, sem que as pessoas escravizadas recebessem algum benefício durante o processo. Embora a escravidão tenha sido abolida, ainda existem parcelas da sociedade mundial que vivem sob esse regime.

A palavra “trabalho”, inicialmente, carregava o sentido de dor e sofrimento, visto que era o nome dado a um instrumento romano de tortura para pessoas livres e para pessoas escravizadas. Atualmente, a palavra está mais associada a realizar uma atividade difícil, ou que demanda força física e/ou mental.

O principal objetivo do trabalho é obter um salário que pagará contas, alimentos e moradia. Eventualmente, haverá um montante para investir em momentos de lazer, como viagens e programas diferentes. Apesar disso, essa não é a única característica que um trabalho pode proporcionar para uma pessoa.

Determinadas profissões podem promover ascensão social, por exemplo, e melhores condições de vida. Outras, podem traduzir o estilo de vida de uma pessoa e os conceitos nos quais ela acredita. Há também aquelas que funcionam como uma forma de monetizar um hobbie ou uma atividade naturalmente prazerosa.

Imagem de uma mulher feliz vestindo uma roupa preta. Ela segura um guarda-chuva marrom. Ao fundo uma parede amarela.
Imagem de Pexels por Pixabay

Se a princípio o trabalho era algo a ser realizado de forma prática e eficiente, para que as pessoas tivessem mais tempo livre para fazer o que realmente queriam, a modernidade criou o conceito de que o trabalho deve trazer prazer para os trabalhadores.

O trabalho voluntário, por exemplo, é uma atividade trabalhosa que não trará lucro para as pessoas envolvidas, mas gerará frutos para pessoas ou animais que precisam de algum tipo de ajuda. O que prevalece, nesse caso, é a possibilidade de fazer uma atitude positiva pelo mundo, que não trará dinheiro, e sim gratidão e felicidade.

Mas será que todo tipo de trabalho, mesmo aquele que não é voluntário, pode estimular essas sensações positivas? Uma pessoa pode se sentir genuinamente feliz com o trabalho que escolheu, ainda que dependa dele para viver? A relação de dependência entre trabalhador(a) e contratante dificulta o prazer proveniente do trabalho? Pessoas que trabalham por conta própria são mais felizes?

Para responder a todas essas perguntas é preciso refletir sobre diferentes questões. Ao mesmo tempo em que existem pessoas que trabalham por prazer e que não precisam do salário para sobreviver, existem aquelas que são obrigadas a trabalhar, ou que precisam de mais de um emprego para conquistar condições mínimas de sobrevivência.

Falar em ser feliz com o próprio trabalho é uma questão que não deve ignorar as parcelas da sociedade que abrem mão de períodos de lazer para conseguir alimento ou moradia. Essas pessoas, que são a maior parte da sociedade, dificilmente acreditariam que é possível encontrar felicidade no trabalho, quando é essa atividade que as afasta dos próprios desejos e das famílias.

Imagem de uma garota usando um vestido jeans correndo em um campo florido de margaridas. Ela segura em uma das mãos vários balões nas cores amarela, branco e laranja.
Imagem de Pezibear por Pixabay

Por outro lado, as pessoas que têm um emprego que paga um salário condizente com o necessário para viver bem podem encontrar realização pessoal por meio do trabalho. Quando os indivíduos que integram parcelas menos favorecidas da sociedade (negros, indígenas, mulheres, trans, pessoas com deficiência) passam a ocupar um cargo de poder em uma empresa, por exemplo, há uma conquista a ser celebrada.

Embora sejam muitas as variáveis que interferem na definição de um conceito sobre a felicidade no trabalho, existem dados que mostram quão infelizes são os trabalhadores brasileiros. Em 2018, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que 40% dos executivos está infeliz no trabalho, enquanto 64% gostaria de fazer outro tipo de trabalho para ser mais feliz.

Ou seja, ainda que as pessoas se sintam infelizes no próprio trabalho, elas continuam empregadas. Isso acontece porque o trabalho é uma necessidade, muito mais do que uma forma de obter prazer e satisfação. Mas ainda é possível reverter essa situação de infelicidade com o próprio emprego.

A solução para encontrar felicidade no trabalho não é mudar de trabalho, mas essa opção deve ser levada em consideração se você tiver a possibilidade de procurar um novo emprego. Existem outras atividades que você pode colocar em prática:

Imagem de uma mulher usando um vestido vermelho e branco e um chapéu de palha. Ela está em um campo de girassol feliz e com os braços abertos.
Imagem de Jill Wellington por Pixabay

1) Liste suas atividades

A organização para o trabalho é essencial para que todas as atividades sejam realizadas sem estresse. Se você souber tudo que precisa fazer e como deve fazer, será capaz de entregar tudo no prazo e sem maiores problemas. Assim, você obterá mais satisfação durante o processo e ao final dele.

2) Peça ajuda

Se você não sabe como resolver um problema, o melhor que pode fazer é pedir ajuda para uma pessoa que trabalha com você. Deixe a vergonha para lá e seja humilde. Demonstre que você não sabe como realizar determinada função, mas que tem vontade de aprender. Dessa forma, você não gastará horas de esforço e ainda terá uma solução para quando o problema surgir de novo.

3) Valorize o trabalho das outras pessoas

Você já imaginou que seus colegas de trabalho também estão infelizes no emprego? Uma forma de amenizar essa situação é distribuir elogios para aquelas pessoas que são muito boas no que fazem. É uma forma de mostrar para elas que há motivos para se orgulhar do trabalho que realizam. Provavelmente, elas passarão a te elogiar também, aumentando sua satisfação.

Você também pode gostar
Imagem de duas mulheres de costas com os braços erguidos em sinal de positividade olhando para o por do sol.
Imagem de StockSnap por Pixabay

4) Faça amizades no trabalho

Se você tem pessoas ao seu redor que se preocupam com o seu bem-estar e com quem você pode se divertir, há uma tendência para que seu trabalho seja mais feliz. Vocês podem compartilhar medos, preocupações e angústias enquanto trabalham, diminuindo a tensão e consequentemente aumentando a produtividade.

5) Respeite suas horas de trabalho

Muitas vezes, queremos ficar mais tempo trabalhando para terminar tudo de uma vez ou para conseguir um dinheiro extra. Não tem problema fazer isso uma vez ou outra, mas pode ser muito desgastante tomar essa atitude como rotina. Aproveite melhor as suas horas de trabalho e evite trabalhar em casa, por exemplo. Assim, você consegue viver melhor o seu tempo de lazer.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]