Espiritualidade

Vida além da Vida Irmãos inferiores

elefante e cachorro sentados em uma praia de verão.
Escrito por Nilton C. Moreira
Para quem acredita existir um ser superior, Criador de tudo o que existe no universo, também concorda que os animais fazem parte dessa mesma vontade. Tudo veio ao seu tempo, pois a evolução, no caso a planetária que é a que estamos mais afetos, data de um tempo incalculável para os nossos números, mas tudo veio do desejo do Criador, onde sabemos iniciar-se no big bang.

Para quem leu sobre o assunto, houve uma sequência dos aparecimentos em nosso planeta e Jesus, como é o nosso governador, estava presente nos primeiros momentos da terra, onde aqui era um grande laboratório.

Os animais surgiram e nesse laboratório imenso, depois de bilhões de anos, foram fixadas as raças e, complementando essa alquimia, finalmente surgiu o homem, que descendeu do macaco, mas isso é o corpo, pois temos sempre que diferenciar o que é matéria e espírito. Essa descendência não está em o macaco descer da árvore e se tornar homem, mas, sim, conforme a literatura nos diz, houve uma cirurgia no plano astral e o homem passou a também ter a sua linhagem fixada.

Mas os animais devem ser considerados os nossos irmãos de planeta, pois têm as suas aptidões, os seus raciocínios, decisões, desejos e necessidades a exemplo de nós, só que bastante rudimentar, pois neles reside o princípio espiritual. É o espírito em evolução que também faz parte de um aprendizado que o tornará melhor a cada existência. 

Divaldo Franco, estudioso do espiritismo, sempre diz: “O espírito nasce na pedra, dorme no vegetal, sonha no animal e acorda no homem”. Demonstrando assim a trajetória evolutiva. Claro que após a fixação das raças lá nos primórdio e com a extinção de outras, como os dinossauros, o macaco é macaco até hoje e o cachorro continua cachorro.

De um tempo para cá, a relação entre nós e os animais foi ficando mais estreita, com mais afetividade. Muitos possuem animaizinhos de estimação, como se diz, os tratando com um carinho que se assemelha ao tratado a um humano e essa relação é recíproca, pois os animais também pensam e exteriorizam um carinho singelo. Eles têm uma virtude que é própria do instinto, que é a sinceridade plena. 

Algumas espécies estão sempre prontas a nos agradar quando solicitadas e outras raças, às vezes um pouco independentes, nos paparicam em determinados momentos, isso faz com que a relação entre nós e eles seja benéfica. 

Hoje, com leis mais rígidas, já podemos ver animais que estavam em extinção perambulando por perto sem demonstrarem aquela aversão que tinham para conosco, é o exemplo de aves que se aprochegam com os seus cantares, sem a necessidade de estarem em gaiolas. 

Enfim, um animal é um excelente companheiro a todos os que gostam e devem ser valorizados por fazerem parte do desejo do Criador. Eles são os nossos irmãos inferiores e planeta.


Você também pode gostar de outros artigos do autor: Vida além da Vida – Reforma íntima

Sobre o autor

Nilton C. Moreira

Policial Civil, natural de Pelotas, nascido em 20 de maio de 1952, com formação em Eletrônica, residente em Redentora (RS), religião Espírita, casado.
Email: cristaldafonte@gmail.com
Facebook: /Nilton-C-Moreira