Autoconhecimento

Viver o presente

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

A vida passa muito rápido. Considerando o tempo de existência no planeta Terra, a nossa existência já é pequena, imagine então o que seria 80 anos em bilhões e bilhões de anos? Praticamente nada. Quando se está mais velho, aquele velho ensinamento escolar de que o ciclo existencial do homem é dividido em nascimento, crescimento, reprodução e morte faz cada vez mais sentido. É como se o nosso cronômetro interno começasse a funcionar, literalmente, em contagem regressiva da vida adulta em diante. Hoje estamos por aqui, mas amanhã não sabemos.

Por mais que possa parecer um clichê, a vida é uma caixinha de surpresas, então busque saborear, mas sem fazer careta se for um recheio que não te agrada.

É claro que o amanhã não é certo para ninguém. Imprevistos acontecem, naturalmente. Porém, falando em probabilidades, um adulto está mais vulnerável ao fim da vida do que uma criança que ainda está “engatinhando” ao escrever sua própria história. Para uma criança, o futuro pode ser muito belo. Suas escolhas determinarão o lugar em que estará amanhã. Já o futuro do adulto está definido. Não que seja impossível, evidentemente, mas é muito mais fácil uma criança se tornar engenheira quando estiver mais velha do que um adulto, em meio a um milhão de responsabilidades, começar a trilhar um novo caminho. Talvez como um refrigerante de três litros, é muito mais difícil tirar “gás” no final da bebida gaseificada do que no início dela.

A grande questão é se o amanhã não chegar. O hoje e todos os “ontens” terão valido a pena? Apesar de no parágrafo anterior estar escrito que é improvável começar um novo começo, algo te impede de fazer isso se achar necessário? Quantas histórias temos de conhecidos que não se arrependem de jogar tudo para o alto e trilhar um novo caminho? E quando dizemos que esse caminho não é somente em relação ao trabalho, mas numa série de coisas muito mais aprofundadas, principalmente ligadas aos nossos hábitos?

O passado já aconteceu, não tem mais o que fazer, a não ser tirar lições de aprendizado com ele, até mesmo do que não fazer novamente. O futuro é um mistério que ocorre devido a acontecimentos que dependem ou não de nossas ações. Já o presente justifica o próprio nome: um presente que ganhamos diariamente para traçarmos um novo amanhã todos os dias. Você aproveita o seu? Se não, coloque em sua mente que pode começar a fazer isso imediatamente.


Texto escrito por Diego Rennan da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]