Espiritualidade

5 considerações sobre propósito de vida, por Cesar Matsumoto

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Ter um propósito de vida, objetivos claros e grandes sonhos fazem parte do pensamento das pessoas em algum momento da vida. É natural, além de almejarmos grandes conquistas, querermos obter grandes realizações.

Conheça os propósitos de vida considerados por Cesar Matsumoto, um educador e facilitador do Desenvolvimento Humano.

1. Cuidado com a ideia de que “você tem que ter um propósito”

Ao longo de nossa existência, desde o nascimento até a morte, ouvimos que devemos fazer, dizer, opinar, aceitar e uma série de outras coisas. Quando nos deparamos com um desses “fazeres”, nos vemos num impasse: sim ou não, fazer ou deixar? Acontece o mesmo quando ouvimos que temos de buscar um propósito de vida. Parece meio assustador, porém, propósito nada mais é que uma concordância constante com nossa vida, que nos leva aos nossos sonhos e objetivos, num processo de crescimento e evolução.

2. Propósito não é algo para preencher um vazio na vida

Buscamos um propósito não para preenchermos nosso tempo ou até mesmo aquele vazio que, ás vezes, sentimos. Buscar um propósito não é algo temporário. Não é como sentir fome e comprar pães ou preparar o almoço e sentir-se satisfeito. Essa busca pode sim levar um tempo, mas é importante questionar-se: “Por que estou buscando um propósito?” “Quais são os caminhos que irei tomar até encontrar meu propósito de vida?”

Religião, meditação, leitura, talvez…
Busque a sua forma de encontrar seu propósito de vida, começando com uma conversa com um bom amigo, alguém de confiança, por exemplo. Procure o entendimento de si mesmo. Se for preciso, abandone velhos conceitos e se permita ao novo. O que nos leva ao próximo ponto.

3. Propósito é uma jornada de morte e ressurreição

Existem momentos em nossa vida em que a forma como vivemos simplesmente vai perdendo o sentido, como se aquilo já não bastasse para preencher nosso ‘eu’ interior. A necessidade por mudança e evolução em nossa vida é inevitável. Significa que estamos amadurecendo e buscando novos propósitos para nossa história.
É como na Jornada do Herói ou até mesmo em jogos de vídeo game (já ouviu falar de God of War?). Novos desafios surgem para, além de polirmos nossa vida, também adquirimos experiência e novas habilidades até então “adormecidas”. Querendo ou não, é algo inevitável e todos passamos por essas mudanças. E quando novos desafios surgem, utilizamos essas novas e mais fortes habilidades no intuito de vencer sempre.

Diante dessas novas oportunidades, evoluímos, amadurecemos, desconstruímos velhos conceitos e adquirimos novos. Servimos também de exemplo para as pessoas, ajudando-as com base em nossas experiências e habilidades.

Se engajar no propósito é aceitar a missão que somente você pode cumprir, enfrentar os monstros (nossos medos), morrer para nossa atual visão de mundo e conceitos (desconstrução), permitirmos nos perder, para então nos encontrarmos, numa nova identidade, um novo ‘eu’, mais forte e sábio.

4. Coragem!

Portrait of surfer woman surfing having fun on Waikiki Beach, Oahu, Hawaii. Female bikini girl laughing on surfboard smiling happy living healthy lifestyle on Hawaiian beach. Asian Caucasian model.

Uma palavra, mas com um enorme significado. A coragem é um sentimento que vamos aprendendo a lidar, a utilizar de maneira sábia, principalmente nos momentos mais difíceis. Ela exige extrema confiança, não somente em si, mas muitas vezes no outro (ou até outros).

A busca pelo propósito exige coragem. Com um coração repleto desse sentimento e a mente munida de sabedoria, o propósito torna-se uma consequência natural de nossas ações.
A raiz da palavra coragem vem do latim, couer, que significa “coração”. Coragem é agir com o coração. Não há nada de mau em usar os sentimentos em nossas ações, ás vezes, abrindo mão do controle e de “pisar em ovos”. Existem momentos em que não podemos pensar muito, é necessário simplesmente lançar-se ao propósito com o coração repleto de coragem. E numa sucessão de eventos, sincronicidades e acontecimentos, o verdadeiro propósito se revela.

*Exercício sobre a essência do seu propósito:
Para prosseguirmos ao próximo e último ponto, vou lhe sugerir um exercício. Sem pensar muito, escreva num papel a primeira coisa que lhe vier à cabeça em resposta à seguinte pergunta:
O que você faria de mais especial, caso soubesse que o sucesso é garantido?

Se você se sentiu entusiasmado só de pensar no que gostaria de fazer, então já tem uma conexão com sua bússola. Talvez a forma daquilo que você pensou não seja exatamente o que você quer fazer, mas, certamente, está conectado com a essência por trás da(s) ideia(s) que teve. Essa essência é o que importa, é com ela que caminhamos no propósito e que cuidamos para não nos desconectar diante dos pequenos desafios do dia a dia.

5. Propósito é um ato de Amor

O que é Amor? Para o sábio J. Krishnamurti,
“Amar é não pedir nada em troca, é nem mesmo sentir que se está oferecendo algo. Somente um amor assim pode conhecer a liberdade. (…) Quando vemos uma pedra pontiaguda em um caminho frequentado por pedestres descalços, nós a retiramos, não porque nos pedem, mas porque nos preocupamos com os outros, não importa quem sejam.”

Um ato de amor é como ver uma pessoa dormindo no sofá e sem ao menos pensar, a cobrimos com um cobertor.
Não existe a ideia de “puxa, como sou uma boa pessoa” e nem a expectativa de receber algo em troca. Este foi um ato espontâneo, que combina inteligência, empatia e força de vontade.

Entre uma coisa simples, como essa, criar uma empresa com 5000 funcionários voltada para melhorar a vida das pessoas, a essência do amor não muda, apenas a forma.

Servir à vida com Amor Incondicional, compartilhando dos seus melhores presentes é uma das expressões da Felicidade Verdadeira. A jornada é a própria vida, a conexão com a essência, é o encontro com o Eu.

Servir à vida, com essa qualidade do Amor Incondicional, partilhando dos seus melhores presentes, é uma expressão da Felicidade Verdadeira. A jornada do propósito é o próprio fluxo da vida, é a conexão com a essência (que você começou a identificar no exercício do ponto anterior), é o encontro com o Eu.

Quando você se manter fiel à essência, mostrando coragem e compartilhando do amor, a vida revela o seu esplendor.


Texto escrito por Bruno da Silva Melo da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]