Budismo Comportamento Espiritualidade

Espírito de gratidão, segundo o budismo

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Manifestar a gratidão é algo que nós, seres humanos, devemos demonstrar diariamente. Basicamente, todos os fatores que ocorrem em nossa vida se devem ao fato de convivermos em sociedade e em interdependência. Não há como fugir disso.

Um exemplo: a possibilidade de usufruirmos de energia elétrica, água, alimentos, roupas e outros itens básicos deve-se ao fato de outras pessoas trabalharem para que nossa vida “funcione” melhor. Porém, estamos tão ligados no automático, vivendo nossas rotinas que não percebemos o quanto somos afortunados pelas oportunidades diárias que a própria vida oferece.

No momento que percebemos esse detalhe, estaremos praticando a verdadeira gratidão, segundo o budismo. Quando um conhecido nos indica uma vaga de emprego, quando não estamos num bom dia e algum amigo oferece seu tempo para um diálogo, quando alguém que gostamos nos faz uma declaração inesperada de afeto, quando nosso pet nos recebe em casa após um dia cansativo… Podemos ficar por muito tempo lembrando de valorizar as pequenas e grandes ações que os outros fazem por nós e sermos gratos por isso.

A maneira de manifestar gratidão, segundo o budismo, é fazendo pelas pessoas o que gostaríamos que fizessem por nós, às vezes até mais. “A velha raposa jamais esquece a colina onde nasceu; a tartaruga branca retribui a gentileza que havia recebido de Mao Pao. Se mesmo criaturas inferiores sabem o suficiente para agir assim, então, os seres humanos deveriam fazê-lo muito mais!” (As Escrituras de Nitiren Daishonin, vol. 4, pág. 17.)

Neste escrito do século XIII, o buda Nitiren Daishonin nos ensina a importância de retribuir ao sentimento de gratidão com os pais, aos mestres (professores, pessoas que nos ensinam) e a todos os demais seres. Algumas fontes citam o débito de gratidão com todos os seres vivos.

Ele ressalta a importância que todos os seres humanos possuem de saldar o débito de gratidão como uma atitude fundamental e imprescindível do comportamento humano. Ele enfatiza que, para retribuir tal dedicação, a pessoa deve compreender a própria essência da vida das outras pessoas, assim como compreende a sua e, dessa forma, manifestar a gratidão em sua vida, primeira e unicamente tornando-se uma pessoa melhor.

O processo para manifestar a verdadeira gratidão não é algo da noite para o dia, é necessário observar a todo o momento as circunstâncias que nos levam a sermos indivíduos melhores. Dia após dia.
Posteriormente, devemos ser gratos às pessoas que nos ajudam, nos auxiliam; bem como às pessoas que de alguma forma nos prejudicaram. Todos esses componentes são importantes para forjar nosso caráter como seres humanos de primeira categoria.

“A razão pela qual devem ter gratidão por todos os seres vivos deve-se ao fato de — uma vez que a vida se estende pelas três existências — todos os homens terem sido seu pai no passado, uma vez ou outra, e todas as mulheres terem sido sua mãe. Existência após existência, vocês ficaram em dívida com todos esses seres, é por isso que devem desejar que todos atinjam a iluminação em suas vidas.” (Siddhartha Gautama)

Você pode começar hoje, neste exato momento. Seja grato pela sua vida e pelas oportunidades que surgem todos os dias, mudando o pensamento de “o que eu tenho que fazer hoje?” para “o que eu posso fazer hoje pelas pessoas?”


Escrito por Bruno da Silva Melo da equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]