Convivendo Maternidade Consciente Saúde Integral

7 coisas que você não sabia sobre o parto humanizado

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Até que ponto a ciência e a medicina podem interferir na natureza da mulher? Por um lado, para proteger a saúde os médicos têm um papel importante, inclusive com remédios e outros tratamentos. Por outro, precisamos pensar em como algumas práticas podem ser menos invasivas nas intervenções para que sejam mais naturais e humanas como, por exemplo, o parto.

Faz alguns anos que o parto humanizado está sendo discutido e praticado por diversas mulheres. Em uma época em que a cesariana virou algo cotidiano, algumas mulheres buscaram o caminho inverso, o de tornar o parto mais natural possível, com o mínimo de intervenções. Veja abaixo algumas informações sobre o parto humanizado e reflita sobre os seus benefícios:

Gestação

Antes mesmo do nascimento, durante a gestação, a mulher que escolhe o parto humanizado se responsabiliza mais por sua saúde e a do seu bebê. Ela não deixa tudo nas mãos dos médicos. Ela é incentivada a sempre estar ciente de tudo o que acontece durante a gestação e como ter os melhores hábitos para preservar a sua saúde e a do seu filho.

Parto normal

Nem todo parto normal é humanizado. Alguns hospitais possuem alguns procedimentos como anestesia, jejum, posição da mulher na hora do parto, etc., que não precisam ser adotados no parto humanizado. O parto humanizado dá à mulher a escolha do que ela pode ou não fazer durante o parto, tendo assim uma maior liberdade em relação aos procedimentos comuns nas maternidades.

Cesárea

Em alguns casos, dependendo da posição que o bebê está na barriga da mãe, a cesárea é necessária. Mas nem por isso quer dizer que esse tipo de parto deve ser feito de forma “fria”. Apesar de a cesárea não ser um parto humanizado, alguns detalhes podem fazer a diferença para que seja, pelo menos, mais humana como, por exemplo, deixar o parceiro ficar na sala de cirurgia com a gestante.

À moda antiga

Antigamente, em algumas cidades, existiam poucos hospitais e médicos. Dessa forma muitas mulheres entravam em trabalho de parto na própria casa ou em algum lugar que lhes proporcionava conforto. O parto humanizado leva isso em consideração. Se não houver risco de saúde para a mulher e o bebê, o parto pode ser feito em lugares fora do hospital.

Doula

Ter uma companheira para auxiliar nos momentos antes e durante o parto é algo incentivado para as mulheres que optam pelo parto humanizado. A doula é alguém que entende da saúde da mulher e está presente para dar apoio físico e emocional durante todo o processo.

Hospitais

Alguns hospitais estão mais preparados para receber mulheres que optaram pelo parto humanizado. Camas maiores e banheiras na suíte são alguns detalhes que podem ajudar e fazem a diferença entre o hospital que entende desse tipo de parto e outros que não.

Segundo filho

Mesmo que a mulher já tenha tido um filho, com cesárea, depois de dois anos ela pode optar por tentar o parto humanizado. Tendo o tempo necessário para se recuperar da cirurgia, o corpo ficará apto a esse outro tipo de parto.


  • Texto escrito por Ricardo Sturk da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]