Convivendo Educação

A função de um imortal acadêmico

Pilha de livros com óculos acima de livro aberto
DAPA Images / Canva

Muitos ainda desconhecem os atributos de um imortal acadêmico. A priori, ele é aquele que cria conhecimento, que participa diretamente da cultura, dos eventos culturais da sua cidade. No meio acadêmico existem muitas pesquisas, projetos, participação em eventos e, principalmente, muito carinho com a comunidade, afinal, toda Academia de Letras precisa da sociedade para ser reconhecida e visitada, logo o papel dos imortais acadêmicos é fundamental nesse processo de divulgação e de boa vizinhança.

O imortal acadêmico é uma pessoa que foi escolhida e votada dentro de uma Academia de Letras pelo seu conhecimento, pela sua envergadura de empatia e ação criativa dentro de um coletivo no campo cultural, isto é, a Academia entende que o ingresso daquela pessoa implica bons resultados para a instituição, pois percebe nela um talento único dentro de seu campo de atuação, logo ela é convidada e passa por uma série de etapas até se tornar um membro efetivo da Academia de Letras para a qual fora convidada.

Quando uma pessoa se torna um imortal acadêmico de uma Academia de Letras, ela deixa obviamente de ser uma pessoa comum e passa a ser um obreiro da cultura. Pelo menos deveria ser assim. Um acadêmico precisa estar inserido no mundo das letras, da cultura, das pesquisas, da literatura, enfim, do conhecimento.

O sacerdócio acadêmico é uma coisa maravilhosa, esplêndida, pois viajamos os diversos universos através da literatura, da escrita. As escolas fazem o seu papel com os alunos, ensinando os princípios da educação através das matérias e disciplinas. Ao ingressar na faculdade, os estudos são intensos e difíceis, no entanto, ao fim dos 4, 5 anos na faculdade, o aluno se forma, ou não, e segue sua vida comum dentro dos seus interesses. Porém, um imortal acadêmico é muito diferente.

Ele, ao ser convidado para disputar uma cadeira em uma Academia de Letras, sabe bem da responsabilidade a partir da sua aprovação através de escolha dentro de uma votação interna dos acadêmicos da Academia. Cada acadêmico atua em um tipo de segmento cultural. Uns são poetas, outros escritores, outros filósofos, outros artistas, outros são cantores, cientistas, advogados, professores, jornalistas, colunistas, intelectuais etc.

O fato é que cada um colabora para o desenvolvimento da cultura naquele universo de atuação que lhe é de pertencimento. O imortal acadêmico é imortal nas suas obras, pois elas ficarão para sempre em suas escritas, em seus livros, em seus periódicos, em suas antologias, enfim, em suas infinitas obras espalhadas para colaborar com a cultura.

Pessoa lendo livro com pilhas de livros ao seu redor
Oleg_Emark / Getty Images / Canva

Eu, por exemplo, sou filósofo e poeta, não deixo um único dia de criar algo positivo para o mundo através da escrita ou das obras culturais, pois penso que minhas obras são eternas e quando eu morrer eu estarei vivo nas minhas obras, logo, se alguém ler o que escrevi, seja em um artigo no Google, seja em outras plataformas e meios de comunicação, eu estarei vivo naquele momento. Existe um hiato de envergadura entre estrelas e estrelas, uma brilha mais que a outra pelo simples fato de sua essência, suas intenções.

A nossa sociedade vive tão distante da cultura, do conhecimento, dos livros que penso que os acadêmicos podem auxiliar na divulgação e na criação da cultura através da escrita, através do teatro, através da arte, enfim, através do mundo cultural.

Para finalizar, os acadêmicos são artistas da cultura, pessoas sensíveis de grande conhecimento literário. No Brasil nós temos diversas Academias de Letras, sendo que a ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS é a mãe de todas as Academias. Eu, por exemplo, faço parte de diversas instituições culturais e sou acadêmico, minha primeira Academia foi a ACADEMIA PEDRALVA LETRAS E ARTES, onde eu ocupo a cadeira n° 17, inclusive convido a todos para conhecerem no Google o blog Academia Pedralva Letras e Artes, bem como no Facebook a página Academia Pedralva Letras e Artes. Como eu salientei, faço parte de diversas instituições culturais e penso que todas as Academias devam incentivar os seus acadêmicos a escreverem livros, participarem de antologias e participarem de tudo que eles possa participar dentro do campo cultural.

Você também pode gostar

A vida passa muito rápido, logo a necessidade de escrever, de criar, a fim de ajudar outras pessoas a se encontrarem dentro de si a partir das letras, daquilo que escrevemos, pois penso que cada coisa que eu escrevo, cada artigo, cada poesia, cada filosofia, enfim, cada qual se encaixa e se agasalha em uma realidade diferente. Portanto, eu escrevo, depois participo de um breve interstício e logo volto a criar no afã de criar uma extensão de consciência que faça com que haja um hiato entre o antigo e o novo modo de ver o mundo e a vida, assim, a minha escrita cumpre seu papel ao fazer com que as pessoas façam de suas tomadas de decisão algo positivo a partir do que leram daquilo que escrevi, logo em pouco tempo essas pessoas poderão talvez fazer de suas vidas um verdadeiro espetáculo aos seus próprios olhos. Deixo uma filosofia de minha autoria:

Eu nunca me unirei a alguém sem metas, sem sonhos, sem intenção, sem ambição, também nunca me unirei a quem queira tudo isso com paixão, me unirei portanto com meu silêncio e se for para tocar em meu Silêncio que seja para me oferecer uma companhia de verdade.

Sobre o autor

Nilo Deyson Monteiro Pessanha

Nilo Deyson Monteiro Pessanha

NILO DEYSON MONTEIRO PESSANHA é escritor, filósofo e poeta.

Meus trabalhos acadêmicos são voltados ao campo da educação e usamos muito da nossa filosofia, em que defendo a participação imparcial ou imparcialidade participativa. Muitos dos meus artigos se encontram no Google, basta pesquisar sobre o filósofo Nilo Deyson Monteiro Pessanha. Fui criado no Complexo do Alemão, no entanto sou da cidade de Campos dos Goytacazes, RJ.

Filho de Gerson de Souza Pessanha e de Rosane Monteiro do Espírito Santo, tenho gratidão pela criação que minha mãe me deu, pois perdi meu pai ainda criança. Enfim, sou também palestrante de assuntos ligados à educação, comportamento humano e suas tomadas de decisão, bem como também sou ativista cultural.

Sou membro de diversas instituições, e temos um conhecimento literário amplo, de sorte que nossos trabalhos literários ajudam pessoas em diversas atividades que fazemos. Temos periódicos e antologias publicadas. Podem conhecer um pouco melhor sobre nós a partir das mídias sociais Nilo Deyson Monteiro Pessanha.

Contato:
Email: [email protected]