Autoconhecimento

A síndrome do homem que não sabe o que quer

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Se você é mulher, solteira e está sofrendo em achar o homem ideal porque parece que eles não sabem bem o que querem, esse artigo é para você.

Antes de tudo, devo falar que esse é um ponto de vista de um homem, e isso pode ajudar você a entender um pouco mais sobre como funciona (ou o que não funciona) na cabeça do homem de hoje.

Esse texto foi inspirado devido à quantidade de mulheres que reclamam que o homem de hoje pede um tipo de mulher e corre para outra. Quer uma amiga de bar, mas escolhe ficar com uma princesa mimada. Disse que queria uma mulher carinhosa e depois correu para a sedutora da balada… Sinto lhe informar mas as contradições sempre vão existir. Você não pode mudar os homens, mas, se entender algumas coisas, pode começar a se sair melhor na procura pelo homem ideal para você.

Vou falar sobre três pontos que vão ajudar a entender melhor o que acontece:

Homens são contraditórios porque o ser humano é contraditório

É da natureza humana lidar com conflitos internos, desde os mais banais até os mais complexos. Por exemplo: querer comer chocolate ao mesmo tempo que quer emagrecer. É um exemplo banal, mas é contraditório. Ou ter de escolher aceitar um trabalho que tem um salário incrível, mas que não traz prazer. É complexo e contraditório.

Faz parte tanto do homem quanto da mulher passar por esses conflitos. Aceite isso.

Mas aí você me pergunta: e saber disso vai me ajudar a encontrar um homem melhor? Sim.

Comece a observar ao seu redor quem são os homens que conseguem lidar melhor com as pequenas contradições do dia a dia. Encontrar um que não consegue nem lidar com uma escolha simples como, por exemplo, tomar café com adoçante ou açúcar, com certeza ele nem sabe ainda que tipo de mulher quer. Fuja desses! Pelo contrário, aqueles que você observar que são decididos até nas pequenas coisas têm maior potencial para também ser um homem que sabe que tipo de mulher quer. Só tome cuidado para não se envolver com homens casados (pode dar problema depois).

shutterstock_331893401

Vivemos em uma época de muita diversidade

Compare o mundo de hoje com o de 50 anos atrás. Hoje temos muito mais opções de escolha do que as gerações dos nossos pais e avós tiveram. Antigamente casar e ter filhos era quase uma obrigação. Hoje em dia um homem de mais de trinta anos pode sair de balada de segunda a segunda. Os tempos mudaram.

O que você pode fazer para lidar com esse ponto é mudar os lugares que você frequenta. Se você quer um homem decidido a assumir um relacionamento sério, você não espera encontrar ele numa balada de terça a noite, não é mesmo? Por uma questão de afinidade, pessoas com interesse em comum frequentam os mesmos lugares. Então a boa notícia é que, quando você encontrar o lugar que tem o tipo de homem que você procura, você não vai encontrar um, e sim vários! Pode até escolher.

Siga a sua intuição

Confie nos seus instintos e candidatos não faltarão.

Sabe aquele papo que o cara fala só para te agradar, mas, na verdade, você sabe que ele só quer sexo? Escute a sua intuição. A intuição feminina é uma das maiores armas que você tem para não cair na lábia desses caras que “não sabem o que querem”. Muitos deles sabem sim o que querem, mas mentem para tentar impressionar. Vou reforçar essa ideia novamente: os homens não vão mudar da noite para o dia. Aceite isso. Mas você pode, e deve, usar tudo o que tem a seu favor para se aproximar daqueles caras que realmente valem a pena. Acredite, eles existem! E a sua intuição vai ajudar a encontrar o homem ideal para você.


Texto escrito por Ricardo Sturk da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]