Convivendo

A vida como as quatro estações!

Nathalia Lanfredi
Escrito por Nathalia Lanfredi
A primavera é a minha estação favorita do ano por inúmeras razões. Uma delas é o clima agradável, a outra é a forma como toda a natureza se mobiliza para renascer, além do principal, que é como as flores explodem em cores e aromas, trazendo junto com elas a energia da transformação e da renovação para todos nós.

Porém não é só porque eu amo a primavera que posso ignorar todas as demais estações, tampouco odiá-las, pois compreendo que cada uma se faz necessária para que a natureza siga o seu fluxo natural, para que as minhas tão amadas flores possam nascer e, então, eu me disponho a aceitar as outras três estações para que, em algum momento, eu possa desfrutar da minha querida primavera.

Dessa forma, eu aprendi a enxergar cada ciclo da vida como uma estação do ano e, assim, parei de brigar com o mundo. Como assim?

Pense comigo:

Se você observar a sua vida de fora, como se assistisse a um filme, veria que você passa por ciclos em que as coisas acontecem seguindo um determinado “roteiro”, que no momento você não compreende, porque está imerso demais naquela realidade para observá-la em terceira pessoa.

Mas pense bem, se você fizer uma retrospectiva até o presente momento, com certeza, identificará um verão, que foram aqueles momentos em que tudo era uma grande festa e você estava transbordando calor de alguma forma (seja em forma de amor, de alegria ou dos dois), houve também um outono em que você assistiu todas as suas folhas caírem, sua realidade ruir e tudo o que você acreditava ser eterno tornou-se efêmero, você se viu obrigado a simplesmente deixar que as coisas fossem embora.

E então, o tão temido inverno chegou também, já sem folhas e sem o constante calor, você se vê afundado em melancolia, em um cinza que parece não ter fim, você sente o frio, sente-se sozinho e se vê obrigado a olhar para dentro e encara as suas sombras até que começa a perdoar a si mesmo, aos outros e a vida. Esses perdões e aceitações se tornam uma manta e um chocolate quente que fazem você se sentir confortável novamente e, então, ali você fica, enrolado em suas boas energias apenas observando a vida acontecer.

Acredite, não existe fase ruim, não existe isso de que tudo está dando errado, porque cada floquinho de neve que cai em você e arrepia sua espinha serve para um propósito maior. Tudo o que deu errado foi apenas o caminho para o que está prestes a dar muito certo.

E por fim, chega ela, a tão esperada primavera da vida.

Nesse momento, você dá graças a Deus por tudo o que saiu dos planos, porque enquanto você observa as flores brotando, as árvores dando frutos e pássaros cantando, percebe que se tivesse conseguido aquele emprego pelo qual você tanto rezou, hoje não estaria em um emprego dez vezes melhor. Ou se tivesse dado certo com aquela pessoa que você achava que amava, jamais teria encontrado o verdadeiro amor da sua vida.

Por fim, o que eu quero dizer com toda essa historinha sobre as quatro estações é que nós, eu e você, não temos ideia dos planos divinos e o que enxergamos é uma pequena parcela ainda toda distorcida pelo nosso ego. Nós sabemos o que queremos, mas não sabemos o que realmente precisamos. Por isso, devemos aceitar as estações que estamos passando e apenas permitir que a natureza faça o seu trabalho naturalmente, porque nela tudo é perfeito e devemos nos espelhar.

Quando você for verão, que o seu sol brilhe. Quando for outono, que você não tenha medo de deixar as suas folhas caírem e que todos possam ver quão majestosos os seus galhos são. Quando for inverno, que o seu amor te aqueça. E quando chegar a primavera, que você não tenha medo, que você se entregue e que você floresça.

Sobre o autor

Nathalia Lanfredi

Nathalia Lanfredi

Estudante de Relações Públicas, Libriana e Assistente de Comunicação aqui do EuSemFronteiras, sempre fui muito curiosa e tento entender como funcionam todas as coisas que envolvem o comportamento e os relacionamentos humanos. Por isso, a vida me guiou para estudar a comunicação e o autoconhecimento, e, por sorte, aqui eu consigo unir as duas coisas que amo e, assim, tentarei compartilhar com vocês um pouco das experiências que já vivi e espero que de alguma forma eu consiga contribuir positivamente com a evolução de vocês!

Instagram: @nathalialanfredi