Nutrição

Acesso mais livre de alimentos orgânicos: conheça a Gaia Orgânicos

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Uma das maiores desculpas de quem não se alimenta de forma mais adequada é a falta de tempo e o difícil acesso a produtos de qualidade. Mas com a Gaia Orgânicos estas desculpas não serão mais necessárias. Kauê (31) e Jana (30) de São Paulo são parceiros na vida e nos negócios e formados em Publicidade.

Decidiram investir num novo ramo: levar alimentos orgânicos na casa das pessoas. O negócio — que é recente e não tem um ano ainda — está rendendo bons frutos não apenas nos negócios, mas também como uma transformação na vida dos próprios sócios. Confira a entrevista que fizemos com eles:

Eu sem Fronteiras: O que é a Gaia Orgânicos?

Gaia Orgânicos: A Gaia Orgânicos é uma empresa com a proposta de levar alimentos orgânicos na porta de casa, para facilitar o acesso das pessoas aos alimentos que não agridem o meio ambiente e não prejudicam a saúde. 

Eu sem Fronteiras: Surgiu desde quando? São apenas vocês ou mais pessoas trabalham na Gaia?

Gaia Orgânicos: Fizemos nossa primeira entrega dia 01 de julho de 2015. Começamos enviando uma lista de produtos por e-mail e tivemos muitos aprendizados nesse período. Neste mês de abril, colocamos no ar a loja on-line, o que acreditamos ser um grande passo na história da empresa. Começamos nós dois e hoje temos um entregador trabalhando conosco.

Eu sem Fronteiras: O que é comercializado na Gaia Orgânicos e qual a maior dificuldade encontrada aqui?

Gaia Orgânicos: Vendemos tanto hortifruti quanto produtos industrializados (pães, laticínios, molhos, sucos etc), desde que sejam todos orgânicos e certificados. A maior dificuldade é entregar o produto o mais fresco possível, o que faz com que a logística seja muito delicada. Temos que ser exigentes com os produtores e cuidadosos no transporte para garantir que o cliente abra a tampa da caixa e tenha gosto de ver o que recebeu. Quando selecionamos pelo cliente, a responsabilidade é maior.

Eu sem Fronteiras: Em quais locais vocês comercializam? Na internet, os produtos são vendidos para todo o Brasil?

Gaia Orgânicos: A venda é somente virtual ou por telefone e atualmente entregamos numa área determinada dentro da cidade de São Paulo (SP) exatamente para ter controle da entrega e consequentemente da qualidade. Como o foco principal é o hortifruti, todas as entregas são feitas de carro por um dos membros de nossa equipe e não enviamos nada pelos Correios.

Eu sem Fronteiras: Como é a relação com os parceiros e fornecedores de vocês?

Gaia Orgânicos: Fazemos questão de conhecer todos pessoalmente sempre que possível, visitar as plantações e conhecer os processos para poder repassar as informações aos clientes. Não queremos somente vender, mas também conscientizar as pessoas a respeito do universo orgânico e de sua importância para o meio ambiente e a saúde. Ao entrar nesse universo, percebemos que uma característica muito bacana é a colaboração. Todos se ajudam e há muita troca de informação, mesmo entre empresas consideradas concorrentes.

Eu sem Fronteiras: Como se sentem neste trabalho?

Gaia Orgânicos: O trabalho é puxado, seguimos horários não comerciais (nossos domingos e madrugadas nunca mais foram os mesmos), mas a sensação após um dia de entrega é de missão cumprida e de ter feito algo bom, não só para a nossa empresa, mas para o coletivo. É muito gratificante saber que estamos levando saúde para as pessoas, facilitando a vida delas, desenvolvendo uma parte do setor rural que é minoria e rema muito duro contra a maré do agronegócio, que cada cesta entregue não contaminou nossa água e nosso solo e sim contribuiu para o enriquecimento de um ecossistema… Enfim, é muito bom fazer parte de tudo isso, mesmo que em pequena escala.

Eu sem Fronteiras: A comercialização e a procura de produtos orgânicos têm aumentado muito. Por que vocês foram para este ramo?

Gaia Orgânicos: A ideia surgiu a partir de uma necessidade pessoal, pois, quando nos conscientizamos da importância dos orgânicos, queríamos muito incentivar a causa, mas era difícil achar perto de casa. Ir até a feira nos tomava um bom tempo e acabávamos cedendo ao hortifruti de mercado mesmo. Foi então que pensamos que outras pessoas deviam ter a mesma necessidade. Somando isso ao desejo de trabalhar em algo que realmente acreditávamos, fundamos a Gaia.

Eu sem Fronteiras: Como é o cotidiano de vocês?

Gaia Orgânicos: Por enquanto, fazemos entregas somente às terças-feiras e, para garantir o frescor dos alimentos, temos que receber pedidos até o domingo, coletar com os produtores e montar todas as cestas na segunda para fazer a entrega no dia seguinte bem cedo antes que os clientes saiam para o trabalho e o calor prejudique o transporte. Nos demais dias, focamos no trabalho de pós-venda, na divulgação, no relacionamento, nas compras dos produtos industrializados e na atualização da oferta de produtos, que varia de semana a semana de acordo com a safra e o clima.

Eu sem Fronteiras: Deixe uma mensagem:

Gaia Orgânicos: Ai, que difícil! O que podemos dizer é que não tenham medo de mudar caso não estejam satisfeitos. Não se contentem com pouco quando se trata de felicidade e acreditem que a compaixão é recompensada. Nós acreditamos que o mundo só vai ser um lugar melhor para viver quando deixarmos de pensar somente em nós e nos mais próximos e passarmos a pensar no todo. Como tudo está interligado, o bem acaba voltando para gente. 


Texto escrito por Angélica Weise da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]