Autoconhecimento Comportamento

Alimentos e órgãos do corpo: entenda os benefícios dessa semelhança

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Alguma vez você esqueceu o nome de um alimento e o comparou a outra coisa para se referir a ele? Em uma festa de final de ano, você pediu uma noz dizendo que era “aquela coisa que se parece um cérebro”? Por mais inocente que tenha sido essa comparação, você pode ter desvendado uma informação muito importante sobre a relação entre alimentos e órgãos do corpo humano.

Por coincidência, alguns alimentos são parecidos com os órgãos que eles podem beneficiar. Eles apresentam nutrientes, vitaminas e componentes que podem melhorar o funcionamento de cada parte do corpo.

Se você estiver precisando de um cuidado extra com determinada seção do seu organismo, confira a lista a seguir! Será mais fácil descobrir quais alimentos podem beneficiar cada órgão do seu corpo!

Imagem de nozes e uma delas está cortada ao meio para mostrar a semelhança dela com o cérebro.
Imagem de Pera Detlic por Pixabay

1) Cérebro e noz

Uma noz, quando aberta, apresenta as mesmas curvas labirínticas que podemos ver no cérebro humano. Isso evidencia a relação que existe entre a oleaginosa e o órgão mais importante do organismo: as nozes são auxiliares no processo de formação de neurotransmissores. Eles são responsáveis por garantir a resposta do corpo aos estímulos do cérebro.

2) Coração e tomate

O tomate é vermelho e apresenta quatro cavidades, assim como o coração de uma pessoa. Essa fruta apresenta potássio e ferro, que são nutrientes essenciais para a manutenção dos batimentos cardíacos e para a preservação da saúde cardiovascular.

3) Olhos e cenoura

Uma cenoura inteira não se parece em nada com o olho humano, mas basta cortá-la em rodelas para ver como cada uma parece uma reprodução da íris de alguém. Essa associação é possível porque a vitamina A, presente em grande quantidade no alimento, favorece a saúde da visão e a preservação das retinas.

Imagem de vários cogumelos fatiados mostrando a relação dele com a orelha humana.
Imagem de AllNikArt por Pixabay

4) Orelhas e cogumelo

Um cogumelo cortado ao meio poderia ser colocado na lateral de um rosto humano e se passar por uma orelha. O alimento é benéfico para a audição por ser rico em vitamina D, que também permite a fixação de cálcio pelo organismo.

5) Pâncreas e batata doce

O pâncreas não é um órgão visível ou muito conhecido, mas é ele quem produz insulina para o corpo humano. É esse componente que controla os níveis de açúcar no sangue. Sendo assim, o bom funcionamento do pâncreas é essencial. A batata doce, que se assemelha ao órgão, atua como uma controladora do índice glicêmico, além de proporcionar uma sensação de saciedade.

6) Estômago e gengibre

O estômago, assim como o gengibre, apresenta um formato pouco harmônico. Ainda que essa semelhança não seja muito agradável, esteticamente, a relação entre o órgão e o alimento é reveladora. O gengibre apresenta propriedades que auxiliam o processo de digestão, sendo um agente no combate contra náuseas. É importante destacar que o gengibre não é recomendado para quem já apresenta algum problema estomacal, como úlceras. A raiz serve apenas como alívio para quem sente um mal-estar passageiro.

Imagem de várias vagens (legumes) e a sua relação com o intestino,
Imagem de paula693 por Pixabay

7) Intestino e vagem

A saúde do intestino pode receber mais força com os nutrientes provenientes da vagem, que apresentam imperfeições semelhantes ao órgão. A vagem apresenta vitaminas C e B, além de ácido fólico. Esses componentes são agentes contra os radicais livres e combatem as toxinas que podem atingir o intestino.

8) Rins e feijão

O feijão do tipo Azuki, assim como outros feijões, apresenta um formato semelhante ao dos rins. No entanto, é somente essa variedade do alimento que tem capacidade diurética, permitindo que o sangue seja filtrado de forma mais eficiente pelos rins. Se uma pessoa quer evitar ter pedras nos rins, além de ingerir bastante água, ela pode investir em feijões Azuki.

9) Útero e abacate

Talvez você não veja rapidamente a semelhança que há entre o útero e o abacate, mas a informação seguinte pode te chocar. Um abacate demora nove meses para amadurecer, exatamente o mesmo tempo que o corpo de uma mulher leva para gerar uma criança. O abacate também é responsável por eliminar toxinas do corpo e por regular os níveis de estrogênio, um hormônio feminino, no corpo da mulher.

Imagem de um marisco sendo preparado na grelha. Essa é a relação dele com o testículo.
Imagem de Falabella por Pixabay

10) Testículos e mariscos

Os mariscos apresentam ácido fólico e zinco, que são essenciais para a manutenção da saúde do esperma, produzido nos testículos. E não é que o alimento e o órgão apresentam uma anatomia bem parecida? Observe um marisco aberto e veja como ele se parece com uma parte do órgão reprodutor masculino!

Você também pode gostar

11) Sangue e vinho

Todas as pessoas que já tiveram um acidente com vinho tinto devem ter pensado que ele parecia uma poça de sangue no tapete ou no sofá. Embora a espessura do sangue não seja tão líquida quanto a do vinho, a cor é semelhante. Sangue não é um órgão, mas o vinho pode enviar antioxidantes para ele, favorecendo o rejuvenescimento celular. Além disso, a bebida pode auxiliar pessoas que precisam ter um sangue mais fino.

12) Ossos e aipo

Tanto os ossos humanos quanto o aipo são compostos por 23% de sódio. Essa é outra característica, além do formato, que faz esses dois elementos serem parecidos. Na composição do aipo, também está presente o mineral silica, que aumenta a resistência dos ossos quando ingerido de forma regular.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]