Autoconhecimento Meditação

Coração da meditação budista

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Diversos especialistas em meditação, entre eles Jon Kabat-Zin, consideram a prática de Mindfulness como o coração da meditação budista.

Podemos entender Mindfulness como uma técnica de meditação onde o objetivo é a atenção plena. A prática consiste em você poder observar tudo ao seu redor sem julgamentos, assim aumentando o seu nível de consciência e conseguindo enxergar as coisas como elas são e não como parecem ser.

Essa técnica é considerada o alicerce do budismo Theravada, que foi a vertente do budismo ensinado por Siddharta Gautama, mais conhecido como Buda, no sul e sudeste asiático. Uma das principais técnicas de meditação dessa vertente budista é a Vipassana, que também faz parte do Mindfulness. A palavra vipassana, em sânscrito, significa “a experiência de ver as coisas como elas são e não como elas parecem ser”.

A Vipassana pode ser dividida em três passos.

O primeiro passo é seguir algumas regrais morais para atingir um estado de paz na vida. Por exemplo: não matar, não roubar e não perturbar a paz dos outros.

O segundo passo é o aprendizado do controle da mente através da observação. Você deve aprender a observar tudo ao seu redor com plena atenção e sem julgamentos.

O terceiro passo é, se você aprendeu a observar o que está fora, agora aprenderá a observar o que está dentro e assim experienciará a autopurificação através da auto-observação.

Além da Vipassana, o Mindfulness também utiliza práticas de meditação vindas do zen-budismo. Essas práticas enfatizam a respiração e as posturas corporais, além de ter alguns elementos fundamentais em sua filosofia:

Não julgar: a pessoa deve experienciar tudo na vida sem classificar tudo como bom ou ruim, sagrado ou profano.

Ser paciente: tudo na vida acontece no seu devido tempo e devemos respeitar o tempo necessário para que as coisas fluam naturalmente. Por isso, é importante ter paciência.

“Podemos entender Mindfulness como uma técnica de meditação onde o objetivo é a atenção plena”

Mente de principiante: sua mente deve estar num estado como o de alguém principiante em tudo o que faz. Assim, você não cria expectativas baseadas em experiências do passado.

Confiar na sua essência: você deve confiar na sua essência, no que o seu verdadeiro eu transmite para você.

Sem esforço: a prática do Mindfulness deve ser natural. Por isso, os resultados devem vir de forma fluida, sem esforços desumanos.

Aceitação: aceitar a realidade como ela é. Não adianta querer que o mundo seja diferente só por sua causa.

Resumindo, Mindfulness é uma forma de viver com total consciência de quem você é e do que acontece ao seu redor. O melhor de tudo é que a prática vai ficando mais fácil e mais natural a cada dia que você pratica. Então, o que está esperando para começar? Procure professores qualificados e experimente essa transformadora prática de meditação!


Texto escrito por Ricardo Sturk da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]