Convivendo

Amizade dupla

Três amigas mexendo no celular.
Fátima Cardoso
Escrito por Fátima Cardoso
Já parou para pensar que hoje, com as redes sociais, é preciso ser duplamente amigo?

Ser um amigo presente e atuante tanto nas redes, quanto na vida real. E você desempenha um desses papéis com mais empenho e qualidade, ou seja, consegue ser melhor amigo virtual do que na vida real, ou ao contrário disso, é mais presente na vida real e não dá tanta atenção ao virtual, ou ainda, você é do tipo que consegue fazer bem os dois papéis?

Para se tornar amigo virtual, basta enviar uma solicitação de amizade e ser aceita pela outra pessoa. Mas será que isso é suficiente? Como desempenhar melhor esse papel e alimentar essa amizade? Você pode por exemplo, curtir as postagens dos seus amigos virtuais, fazer comentários construtivos, se ele está divulgando o trabalho que realiza, é de grande serventia que você compartilhe e incentive-o. No aniversário dele, deseje-lhe parabéns e felicidades. São pequenas atitudes, mas que podem fazer a diferença e estreitar ainda mais essa amizade.

Mãos dadas.
Pesquisas apontam que brasileiros passam mais de nove horas por dia, em média, na internet. Sendo que, mais de três horas são usadas para acessar as redes sociais. Você pode escolher entre só rolar o feed de notícias como expectador sem interação. Ou pode aproveitar essas três horas e interagir de forma amigável. Há quem prefira se envolver em debates de forma agressiva, resultando em conflitos e irritação. Claro que, dentro de uma amizade, é possível discordar, mas que seja feita de forma harmoniosa. Lembrando que escolhas, levam a resultados.

E quanto aos amigos do mundo real, como você desempenha seu papel?
 Participa da vida deles e vice-versa? Ou é uma amizade inativa, que só têm lembranças do passado? Que tal voltar a alimentar essa amizade? Ir ao cinema, teatro, shows, restaurantes, caminhar no parque, praticar um esporte juntos. Fazer uma ligação surpresa no aniversário, natal, demissão do emprego, falecimento de um ente querido, ou simplesmente falar um: “oi, lembrei de você hoje” “estou com saudade de você”. Lembre-se de como é bom ouvir a voz de uma pessoa querida, portanto ligue mais.

Você também pode gostar de:

Quem sabe, até ficar menos tempo nas redes sociais e fazer uma visita à aquele amigo querido, dar-lhe um abraço, uma vez que o abraço pode ir aonde as palavras não alcançam. Todos nós precisamos do contato físico, precisamos nos sentir queridos e amados, embora muitas vezes não tenhamos consciência disso. Um abraço amigo nos conforta, apoia, acolhe, transmite confiança, tranquiliza e equilibra o sistema nervoso, melhora o humor e eleva a autoestima, isso devido a serotonina que é produzida automaticamente durante um abraço.

Nosso mundo atual se torna cada vez mais visual e digital, mas é preciso lembrar da importância do toque nas relações humanas. Cultive grandes amizades reais, virtuais e ambas, e abrace mais, assim terá mais harmonia física, emocional, mental e espiritual.

Quer seja na amizade virtual ou na real, seja um amigo ativo, construtivo e amoroso.

 

Sobre o autor

Fátima Cardoso

Fátima Cardoso

Fátima Cardoso é facilitadora de Cinesiologia Especializada pela escola Three in One Concepts. Facilitadora em Cinesiologia Quântica pela Conexão Harmônica, Massoterapia e Reflexologia pelo Senac, e também Reiki e Metafísica da saúde. Facilitadora de Constelação Sistêmica Familiar presencial e online. Além disso, fez participações no programa Kabballah Egípcia na Rádio Mundial.

E-mail: [email protected]
E-mail: [email protected]
Cel: 11 9 8122-7920
Facebook: Terapeuta Fátima Cardoso
Site: facilitadorafatimacardoso.com.br

Locais de atendimento:
São Paulo - (11) 98122-7920
Diadema - (11) 4054-3508
Santo André - ((11) 4972-0003
Campinas - (19) 9 8138-9669