Autoconhecimento

Aprendendo a abundância com o povo cigano

povo cigano
Elaine Pera
Escrito por Elaine Pera
Muitas são as histórias contadas sobre os ciganos. Antigamente as pessoas diziam que eles passavam pelas cidades, roubavam as crianças e enganavam as pessoas com as suas predições, leitura de mãos e adivinhações.

povo cigano O que poucos sabem é que esse povo é tão antigo que já esteve presente na Terra desde os tempos mais remotos e, por isso, podemos dizer seguramente que se trata de uma cultura muito apurada, com normas próprias e, sobretudo, com um profundo respeito a tudo o que é vivo, uma reverência à Mãe Natureza e à riqueza divina encontrada em toda parte.

Por terem andado pelo mundo, os ciganos se tornaram grandes negociantes e desenvolveram a arte de fazer armas brancas como ninguém. É comum vê-los carregando em seus corpos muito ouro, em pulseiras, colares, brincos e até nos dentes, isso se deve ao fato de não terem moradas fixas e, assim, sempre poderem levar consigo todo o lucro de seus negócios.

A abundância é algo presente no mundo e o povo cigano, mais do que todos os outros, sempre deu muito valor à sua cultura, ao seu clã e a tudo o que encontrava no caminho, até mesmo aos elementos da natureza: animais, plantas, pedras, etc…

Enquanto os homens e a sociedade foram cada vez mais se afastando dos reais valores do mundo, se isolando na competição e individualidade, destruindo a própria Mãe-terra, eles continuaram vivendo em grupo e preservando os seus valores espirituais, seguindo o fluxo da natureza e valorizando mais e mais tudo o que vinha da terra, principalmente o alimento, as pedras preciosas, o ouro e o próprio dinheiro.

O desapego e a necessidade de sempre seguir, desbravar e conhecer lhes permitiu estar em movimento constante, em deslocamento e em evolução. E o que é a prosperidade senão o movimento, o fluxo, a troca de dinheiro e de valores?

Parece que parar, segurar, guardar e preservar excessivamente são comportamentos gerados por crenças de medo da perda, de não ter o suficiente no futuro ou de pobreza, e tudo isso gera emoções de descrédito, desvalor, desconfiança e, com certeza, não será nesse clima que os bons negócios e o dinheiro poderão transitar.

Pensar em abundância, assim como faz o povo cigano, significa soltar, liberar e seguir, pois só é possível receber algo quando as mãos estão vazias e o coração cheio de confiança. 

Fazer o dinheiro girar é uma forma de promover a prosperidade e a riqueza, gerar um circuito de troca e crescimento, onde cada um abre mão do egoísmo e da individualidade e se permite arriscar, dar e receber, trocar e compartilhar, expandir e crescer. povo cigano Se você gostou desse tema e quer saber mais, venha participar de nosso Circuito da Abundância, um encontro para transformar a segurança da escassez na aventura do ganhar-prosperar e crescer.

Você pode encontrar mais informações no site: www.pulsardocoracao.com.br.

Comece o seu próprio Circuito da Abundância dando algum pequeno presente a alguém e lembre-se de mentalizar por 21 dias a seguinte frase:

“Todas as coisas e todas as pessoas me fazem prosperar agora. Eu faço todas as coisas e pessoas prosperarem agora.”.

Pode ser um ótimo início para a abundância se manifestar em sua vida … Boa sorte!


Você também pode gostar de outros artigos da autora: Você é o agente de sua própria cura

Sobre o autor

Elaine Pera

Elaine Pera

Formada em Comunicação Social e Pedagogia com Pós Graduação e Especialização em Qualidade e Terapia Floral. Em 1990 iniciei meus estudos na área Terapêutica envolvendo quatro aspectos do ser humano.

O psíquico-mental através de cursos e formações na área da Programação Neurolinguística, Terapia da Linha do Tempo, Hipnose Ericksoniana e Constelação Familiar.

O emocional e físico através de técnicas terapêuticas como o Reiki, Cromoterapia, Florais de Bach e Massagem Bioenergética.

O espiritual através de conhecimentos e aplicações na linha da Cura e Apometria Quântica e estudos sobre a Grande Fraternidade Branca e a ação dos 7 raios, Tarô mitológico e Numerologia pessoal e Empresarial.

O objetivo do meu trabalho é caminhar junto, ser uma facilitadora para que cada um possa se sentir seguro para olhar para si mesmo e suas experiências, acolhendo-as, transformando-as e levando-as a frente para abrir novos caminhos, obter mais confiança em suas realizações pessoais.

Além dos atendimentos pessoais, workshops e trabalhos em grupo, também sou professora e facilitadora dos cursos de Terapia Floral e Cromoterapia, tendo realizado diversas turmas e cursos no SENAC-Saúde e em outros Espaços e Clínicas do ABC e SPaulo.

Telefone: 11 4221.1164 e 11 4228.2804
E-mail: [email protected]