Autoconhecimento Yoga

É possível aprender Yoga sozinho?

autoconhecimento_yoga
Juliana Romera
Escrito por Juliana Romera

A resposta é: NÃO! 

Antes de mais nada, quando me refiro ao Yoga, deixo claro que não estou falando apenas das posturas, mas de todo o conjunto de uma Vida de Yoga, uma vida de valores e em busca do autoconhecimento.

Autodidata é aquele que não tem professores ou mestres, que intui um conhecimento.

Mas um autodidata que aprende em livros, por exemplo, será que o autor não é o seu professor? Um autodidata que aprende assistindo outras pessoas realizando alguma tarefa, será que essa pessoa não se torna o professor?

Ou seja, para ser só seu, um conhecimento precisa ser descoberto e intuído por você, e você só pode conhecer coisas que sejam diferentes de si. Um músico autodidata ouve músicas, treina seu ouvido para perceber notas e tons e assim consegue tocar um instrumento. O músico é diferente da música. Um marceneiro que aprende vendo outros marceneiros trabalharem e intui as técnicas, testa, etc… Ele só consegue porque tem como observar a marcenaria e assim aprender a fazê-la.

Quando falamos de autoconhecimento, o sujeito e o objeto a ser conhecido são a mesma coisa, não tem como se observar com objetividade e imparcialidade, não é como quem ouve uma música ou aprende matemática lendo teorias nos livros.

Autoconhecimento_yoga

Sempre que a gente se observa, criamos desculpas e exceções para as nossas atitudes, justificativas para as nossas ações, causas para as nossas palavras, etc… Faz parte do autoconhecimento uma observação sem máscaras, um olhar frio e calculista sobre nós.

Qual a chance de conseguirmos olhar para nós sem qualquer interferência? Qual a chance de olharmos os nossos “defeitos” e “qualidades” sem qualquer filtro? Muito pouca! 

O Professor será aquele que te ajuda a crescer, que te ajuda a identificar seus pontos fracos e que lhe proporcionará maneiras de aprender a lidar com eles e, dependendo do caso, superá-los.

Um bom professor te colocará em situações que te farão refletir, em situações que te farão passar por coisas que você tem dificuldade e assim você pode crescer e atingir a maturidade necessária para o autoconhecimento.

Ainda que a pessoa diga que aprendeu yoga e vedanta nos textos, se ela sabe ler sânscrito, ela pode até ter lido do original, caso contrário, ela leu a tradução e muitas vezes a interpretação de alguém. E a grande joia desse estudo é o que está por detrás das palavras, em um entendimento global da Tradição Védica, para que não fiquem apenas análises rasas e superficiais.

Autoconhecimento raso é fácil. Achar desculpas para as suas falhas é fácil. Encarar a realidade é difícil, mas é nessa situação que você cresce.

Hari Om! 

Você também pode gostar de outro artigo desta autora. Acesse: Como alcançar a felicidade

Sobre o autor

Juliana Romera

Juliana Romera

Me formei em Educação Física e conheci o Yoga em 2006, em uma academia que trabalhava, e desde então nunca mais parei. Logo comecei a conhecer também a teoria, a filosofia que envolve o Yoga e hoje é meu maior foco de estudo e prática, o Vedanta.

Em 2012 criei a página Yoga Diária, com a intenção de mostrar que Yoga é muito mais do que Asanas (posturas), postando diariamente frases e reflexões sobre Vedanta e temas relacionados, e falando sobre Yoga todos.

Acredito muito na libertação que este estilo de vida pode proporcionar para as pessoas, por isso tenho muito prazer em estudar, ensinar e falar sobre Yoga.

Hoje dou aulas regulares de Yoga, além de cursos e palestras sobre o tema e também com aulas de personal com foco em reabilitação e terceira idade.

Contatos:
e-mail: [email protected]
blog: www.yogadiaria.com.br
Celular: 11 981707200
Facebook / Instagram / Youtube : @yogadiaria