Autoconhecimento

Autoconhecimento – o caminho mais profundo da jornada humana

Flor desabrochando no troco de madeira sob o pôr do sol
Valentin Adam / Getty Images / Canva
Escrito por Herica Rodriguess

Conhecer-se, saber quem verdadeiramente é, ultrapassar os limites dos padrões da Matrix, quebrar os bloqueios criados pela mente, vencer as próprias sombras, enfrentar os medos, superar os seus traumas, reconhecer os seus dons e talentos, ser compassivo consigo em seu lado obscuro e, quem sabe, até mesmo feio. Amar-se em completude com as suas qualidades, mas também com os seus erros e defeitos, aceitando-os e buscando compreendê-los e trabalhá-los.

Esses são alguns conceitos com que podemos definir o autoconhecimento – esse caminho eterno que o indivíduo que já está desperto irá ENFRENTAR por toda a sua existência. E eu fiz questão de usar a palavra enfrentar porque existe, hoje, uma ideia errônea do que seja verdadeiramente o autoconhecimento. Parece que está na moda falar autoconhecimento e até buscá-lo de uma maneira mais superficial – e eu diria ainda mais: buscá-lo em sua parte mais prazerosa. Sim, o autoconhecimento nos apresenta algumas técnicas que são altamente eficazes e muito prazerosas, MAS ele não é apenas isso. Muitas pessoas acreditam que trabalhar o autoconhecimento é apenas praticar mantras, meditações, afirmações positivas e aplicar técnicas.

No entanto, quando se deparam com as suas sombras, ou seja, com os seus lados obscuros, desconhecidos, negativos e feios – lados esses que fazem parte de todo e qualquer ser humano –, fingem que nada acontece. Em vez de fazerem um trabalho mais profundo de autoconhecimento, o que as ajudaria a verdadeiramente se conhecerem, “empurram para debaixo do tapete” e preferem fingir que está tudo certo, que está tudo bem. Para ficar mais fácil a compreensão do que eu estou dizendo aqui, vou dar um exemplo: vamos imaginar uma pessoa que esteja buscando melhorar a sua autoestima e acredita que pode conseguir isso trabalhando o seu autoconhecimento.

O que, de fato, realmente poderá ocorrer. Então essa pessoa começa a fazer meditações guiadas, faz testes de personalidade, lê livros sobre o assunto, faz mantras e afirmações positivas para autoestima. Enfim… todas essas coisas são importantes de fazer, são válidas e devem, sim, ser feitas, mas o problema é que essa mesma pessoa que deseja melhorar a sua autoestima é alguém que tem o hábito de fazer fofocas e de denegrir a imagem das outras pessoas perante um grupo qualquer.

Mulher oferecendo um livro com uma flor em cima
Daniel Tadevosyan / Getty Images / Canva

Então é aqui que deveria se acender a luz da ATENÇÃO E DE ALERTA DESSA PESSOA! Se ela quiser realmente trabalhar o seu autoconhecimento e aumentar a sua autoestima, a maneira adequada de fazer isso será um trabalho profundo em si mesma. Um trabalho muitas vezes doloroso e que poderá mostrar a ela qual é a raiz, a origem que a faz ter essa atitude de fazer fofocas e sempre difamar os outros.

Talvez seja aí que esteja a origem de sua baixa autoestima. Essa pessoa deveria parar, pensar e se questionar, perguntando a si mesma: “O que me leva a querer sempre falar mal dos outros? O que, no mais profundo do meu ser, me leva a ter esse tipo de comportamento recorrente? Quais são os meus traumas relacionados com os outros comigo mesma?”. Ou seja, essa pessoa teria que fazer inúmeros questionamentos.

Ela teria que “cavar” fundo dentro de si mesma para descobrir. Muitas vezes, essa pessoa precisaria da ajuda de profissionais para fazer isso. E as respostas poderiam ser difíceis, dolorosas, as respostas poderiam machucar. Então é por isso que muitos jogam os seus pontos sombrios para o inconsciente e não fazem um trabalho verdadeiro de autoconhecimento. E acreditam que se conhecem, porque fazem técnicas e mantras. Mas, na verdade, não existe nenhum trabalho de autoconhecimento nelas. Porque o autoconhecimento implica lidar com as nossas delícias, mas também com as nossas dores. ISSO É AUTOCONHECIMENTO.

Você apenas conseguirá trabalhar a sua autoestima verdadeira e genuína quando se conhecer. E conhecer-se não é apenas reconhecer os seus pontos fortes, mas principalmente as suas sombras. E mais importante ainda: trabalhar essas sombras com verdade, coragem, sinceridade e, principalmente, compaixão e acolhimento. Só assim haverá a verdadeira transformação. E isso é um processo que requer vontade e compromisso consigo mesmo! Você precisa cavar fundo para descobrir a origem, a raiz e os seus porquês!

Sobre o autor

Herica Rodriguess

Olá! Meu nome é Herica Rodriguess.

Sou Practitioner em PNL (Programação Neurolinguística), mentora, coach, professora, escritora e advogada.

Sempre amei o Direito, mas onde minha alma realmente canta é no conhecimento da mente humana e no desenvolvimento pessoal. Ajudar as pessoas a descobrirem os seus potenciais e se tornarem mais eficientes, proativas e conscientes de que elas criam e transformam as suas realidades por meio de suas ações e reações frente aos acontecimentos é minha missão. E eu amo fazer isso!

Pretendo seguir por toda a minha existência trabalhando com o desenvolvimento de pessoas. Isso me fascina!

Sou apaixonada pelo autoconhecimento e pelo desenvolvimento humano! Amo escrever sobre a vida! Sou uma eterna buscadora da expansão da consciência. Adoro assuntos ligados à Lei da Atração, além de Leis Universais, Metafísica da Saúde, Astrologia, enfim, sou fascinada pelo descobrimento humano e universal! Acho que o Universo é riquíssimo em conhecimentos e abundância! E tenho toda a disposição desse mundo para estudá-los e descobrir cada dia um pouco mais desse presente que nos foi dado e é chamado de vida! Gosto bastante da psicologia de Carl Jung e pretendo me aprofundar nisso no decorrer de minha vida. Amo os animais e a natureza! Gosto de ler e me interesso por diferentes culturas.

Contatos
Email: contato.pausacoracao@hotmail.com
Site: pausaparaaquecerocoracao.com
Facebook: Pausaparaaquecerocoracao
Instagram: @pausa_paraaquecerocoracao
LinkedIn: Herica Rodrigues
YouTube: Pausa Para Aquecer o Coração