Autoconhecimento Comportamento

Autocontrole: será que conseguimos?

Mulher meditando de frente para a praia
Illusion_studio / Getty Images / Canva

O autocontrole parece ser algo assim difícil de se alcançar, uma experiência de samurais, iogues, cirurgiões e outros treinados para situações de extrema exigência emocional. Pois é, de certa forma, sim. Mortais como nós, entretanto, também podem desfrutar desse autocontrole desejado, basta treinar. Para isso, a atenção é importante, assim como o desejo de se ver com essa habilidade. Vale lembrar que o autocontrole não é reprimir sentimentos e emoções, mas agir com consciência e equilíbrio.

No dia a dia, somos desafiados pelas situações mais diversas, como o fato de acordamos ainda com sono, desejando que a noite não tivesse acabado ou ainda começamos o dia com ansiedade pelo que ocorrerá e pelo nosso desempenho diante dos fatos. Demandas e mais demandas que nem sempre conseguimos entregar, as quais, muitas vezes, assombradas por pendências financeiras que parecem não terminar. Como ter paz diante desses e de outros contratempos?

A paz é uma decisão, assim como todas as coisas legais que possamos querer na vida. Quando decidimos, empenhamo-nos em realizar, colocando nossas forças intelectuais, emocionais e até físicas para ver o desejo se concretizando. No caso da paz, também. Se ela for importante para nós, acharemos tempo para sossegar por cinco minutos e respirarmos fundo, lentamente, sentindo nosso corpo e permitindo que ele descanse por esse prazo tão pequeno. E é nesse momento que entra em ação o autocontrole.

Mulher meditando na frente do lago
MilanMarkovic / Getty Images / Canva

Munido de decisão, o autocontrole aparece e, então, entramos em uma experiência nova e revigorante. O senso de capacidade sentir é sentido nas incipientes conquistas que saboreamos. Um dia de cada vez, como se não precisássemos viver em nenhum outro momento, somente no agora. Se pensarmos bem, não podemos viver nem no passado nem no futuro, mas somos teimosos e insistimos em ficar deslocados da vivência atual.

Autocontrole possui muitas facetas e muitas possibilidades interessantes. Vamos escolher uma de cada vez e treinar o comportamento que esperamos apresentar até que ele se torne natural em nós. Por exemplo, se o autocontrole está ligado à calma, vamos escolher treinar o silêncio, a escuta esclarecedora, a respiração profunda antes de falar, a reflexão sobre o fato depois que acontecer, a noção de que podemos estar equivocados em nosso pensamento e que o outro pode ter razão no que diz ou faz, e por aí podemos seguir.

Ou seja, em pouco espaço de tempo, se nos dedicarmos com alegria e autoamor, somente porque desejamos ser pessoas melhores e mais feliz por nós mesmos, teremos uma habilidade muito útil na vida e, com certeza, saberemos usá-la em várias situações. Nossa vida é responsabilidade nossa e a boa notícia é que não precisamos fazer isso sozinhos. Com amigos, tudo fica mais fácil. Chame alguém para esse desafio do autocontrole, troquem experiências, celebrem as vitórias, superem juntos as dificuldades e, depois, me conte!

Psicoterapia on-line (61) 99672.2267

Sobre o autor

Leila de Sousa Aranha

Sou psicóloga clínica, formada em Jornalismo e com Mestrado em Psicopatologia e Saúde, com o tema de pesquisa sobre o Perdão Interpessoal.
Atendo pessoas de todas as idades em consultório particular há 15 anos e gosto muito do ser humano, de acompanhar o seu desenvolvimento e auxiliar a melhor lidar com as situações de sua etapa de vida.

Sou divorciada e mãe de duas mulheres de 31 e 27 anos. Gosto de arte marcial e treino Aikido. Sou vegetariana, aprecio a natureza e os animais e gosto de encontrar meus amigos com frequência.

Instagram: @leiaranha
E-mail: eusouleila@gmail.com
Whats App (61) 99672-2267