Psicologia Terapias

Bipolaridade – Vamos acabar com o estigma

Livro aberto, página do lado esquerdo com árvores e grama, página do lado direito piso em erosão.
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras



No dia 30 de março, celebra-se o Dia Mundial do Transtorno Bipolar, uma doença que afeta mais de 6 milhões de brasileiros. A falta de coragem para assumir um transtorno mental e procurar ajuda ainda é uma realidade muito presente.

 

Desenho de uma duas mulheres segurando as mãos, com os dizeres "6 milhões de pessoas sofre de transtorno bipolar no Brasil. Muitas ainda têm medo de pedir ajuda. Acabemos com o estigma agora. Conheça a realidade. Acabar com o estigma"

Divulgando essa imagem, queremos conscientizar, mostrar os fatos e combater o estigma numa tentativa de encorajar as pessoas a procurarem a ajuda que necessitam.

Comprimido do logotipo do aplicativo "MyTherapy"

De acordo com ABRATA (Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos), o transtorno bipolar “é uma doença, um transtorno mental com causas biológicas, neuroquímicas e psicossociais em que existe uma alteração do humor, onde a pessoa apresenta uma alternância de períodos de depressão com períodos de euforia (mania ou hipomania)”. É mais frequente o aparecimento dessa doença em jovens entre os 18 e 25 anos. Segue, então, um resumo dos sintomas mais comuns:

Fase maníaca:

Essa fase é muito irregular quanto à duração. Pode ter estes sintomas durantes dias ou meses:

Fácil distração

  • Pouca necessidade de sono
  • Baixa capacidade de discernimento
  • Menor controle do temperamento
  • Compulsão alimentar, beber demais e/ou uso excessivo de drogas
  • Manter relações sexuais com muitos parceiros
  • Gastos excessivos
  • Hiperatividade
  • Aumento de energia
  • Pensamentos acelerados e em simultâneo
  • Fala em excesso
  • Autoestima muito alta
  • Grande envolvimento em atividades
  • Grande agitação ou irritação.

Fase depressiva:

A fase depressiva pode acontecer antes, depois ou até mesmo em simultâneo com a fase maníaca (estado misto). A mudança e alternância entre ambas as fases pode ser muito rápida e os sintomas mais ou menos intensos. Esteja atento a estes sinais na fase depressiva:

  • Desânimo, tristeza, sofrimento diário
  • Dificuldade de concentração
  • Perda de peso e perda de apetite
  • Comer excessivamente e ganho de peso
  • Fadiga ou falta de energia
  • Sentir-se inútil, sem esperança ou culpado
  • Perda de interesse nas atividades que antes eram prazerosas
  • Baixa autoestima
  • Pensamentos sobre morte e suicídio
  • Problemas para dormir ou excesso de sono
  • Afastamento dos amigos ou das atividades que antes eram prazerosas.
  • Problemas de memória
  • Diminuição da capacidade de decisão

Transtorno bipolar ou apenas mudanças de humor?

É importante referir que a doença bipolar pode, por vezes, ser confundida com simples oscilações de humor. Todos nós temos fatores externos ou internos que levam a que o nosso estado de humor se altere, como a TPM nas mulheres, por isso não devemos assumi-las, nesses casos, como bipolares. No entanto, se for algo constante, progressivo ou diferente do que normalmente sente, deve-se buscar ajuda médica de imediato.

Caso sofra de transtorno bipolar, é importante que se comprometa com o tratamento, mantenha uma rotina de sono estável, evite álcool e drogas, desabafe com alguém de confiança (amigos e familiares são cruciais nessas situações), aproveite seus períodos de bem-estar e, sobretudo, enfrente a doença e seus sintomas sem preconceito!

Se você toma medicação para transtorno bipolar, o aplicativo MyTherapy, desenvolvido pela smartpatient, pode ser uma ótima ajuda para você. Ele atua não só como lembrete, através de notificações e alarmes para cada medicamento, mas também permite registrar sintomas, mudanças de humor, medições ou efeitos colaterais das medicações. O aplicativo é completamente gratuito para Android e iOS e é totalmente personalizável para servir todos aqueles que vivem com o distúrbio.

#worldbipolarday

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]