Autoconhecimento Comportamento

Celebre a beleza de ser você mesmo

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Não é verdade que somente nos tempos modernos as pessoas buscam um modelo de corpo ideal. Desde a Grécia Antiga se tem conhecimento dos modelos e padrões de beleza que inspiraram o imaginário de escritores, poetas e também de praticamente todo mundo ao nosso redor. O problema é que nem todo mundo nasce ou pode ter uma aparência que o satisfaça ou que seja atraente à sociedade. Para quem vive em comunidade, infelizmente a opinião coletiva afeta. A questão é o quanto e, principalmente, como nos afeta.

Por mais que a gente habite (isso mesmo, do verbo habitar, portanto, um lugar temporário/transitório) um corpo que não satisfaça nossa vontade, a gente deve ser grato por ele, afinal, certamente tem alguém numa situação pior do que a nossa. Nós devemos usar como referência o que temos de bom. Por exemplo: estar acima do peso pode ser triste em comparação a pessoas em plena forma física, mas também devemos agradecer por não fazermos parte do enorme número de indivíduos desnutridos que passam fome em todo o planeta.

Sermos gratos pelas nossas condições não nos impede de buscar o que julgamos que nos fará bem. Se você está insatisfeito com o seu corpo, pode muito bem trabalhar para moldá-lo ao seu gosto, mas evitando que o seu atual momento te deixei infeliz. Buscar coisas melhores para o futuro não deve fazer com que você despreze aquilo que tem hoje.

Se quiser emagrecer, ficar forte, pintar o cabelo, ficar careca, escrever errado (conforme o título) ou qualquer outra coisa, vá em frente. Busque sempre ser você mesmo, independentemente do que os outros pensem. Quando o que você quer com o que os outros querem entrar em conflito, priorize você, pois outras pessoas não hesitarão em se satisfazer, independentemente do que você irá pensar. 

Se nós mesmos não nos valorizarmos, nenhuma outra pessoa poderá fazer isso.

A nossa aparência é temporária, pois a cada dia que passa estamos envelhecendo, mas é inegável que o que nossos olhos enxergam afeta diretamente nossos pensamentos. Afinal, quem nunca ouviu falar, por exemplo, de histórias de pessoas que eram obesas e emagreceram muito, mas continuaram com “cabeça de gordo”? A mente humana é de grande complexidade e, por esse motivo, dentre outros, tem grande potencial, seja para o bem ou para o mal.


Escrito por Diego Rennan da equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]