Convivendo

Cem maneiras de ser a diferença na vida das pessoas – Capítulo 2

Banner da cada do livro de cem maneira de ser a diferença na vida das pessoas.
Benedito Milioni
Escrito por Benedito Milioni

Capítulo 2 – Ouça muito e sempre

Repare! As pessoas estão ansiosas para encontrar interlocutores, outras pessoas que as ouçam e as deixem abrir as torneiras das emoções e sentimentos represados, que apenas as ouçam, porque já não querem mais conversar com desconhecidos nos meandros da internet e poucas pessoas do seu círculo relacional lhes dão tempo e atenção! Não há estatísticas a respeito dessas pessoas, apenas especulações, mas todas elas veementes no ressaltar que o ato de ouvir está ficando cada vez menos evidente, substituído por uma insaciável vontade de falar de si, de mostrar as próprias conquistas ou até mesmo de atuar como camelô de si mesmas, se me perdoa o(a) leitor(a) pelo irresistível e oportuno exagero. Alguém disse e muitos aceitaram passivamente que se deve aproveitar todas as oportunidades e contatos com as pessoas para nelas deixar o currículo verbal, se é que existe essa coisa engraçada! Há, inclusive, quem defenda a tese de que todos devem praticar a “conversa de elevador”: aproveitar que o outro está confinado no mesmo espaço e dele não pode fugir, engrenando uma conversa em que seja possível criar uma conexão para futuros negócios ou, quem sabe, uma “happy-hour”.

Um homem com a mão perto da orelha, simbolizando o ato de ouvir.

Rubem Alves (1933-2014), o saudoso educador, teólogo, escritor, dentre outras habilidades, que nos deixou quando mais precisávamos de pessoas como ele, dizia em suas palestras que: “Tem muito curso de oratória por aí e nenhum de escutatória!”. E quanta sabedoria está diluída nessa frase bem-humorada!

Uma historinha para ajudar a entender o princípio do ouça muito e sempre:
Orlando Villas-Bôas (1914-2002), junto com os seus irmãos, Cláudio e Leonardo, com base nas suas expedições antropológicas no Alto Xingú, notadamente a conhecida expedição Roncador-Xingú, contavam em suas aulas e palestras sobre o quanto ficavam impressionados com a sabedoria da cultura indígena! Um dos traços dessa cultura era o hábito dos índios mais velhos de algumas etnias de levar os seus jovens guerreiros para sentar-se em silêncio no meio da mata, na beira dos rios, no topo das montanhas, apenas para ouvir as muitas vozes e comunicados na Natureza e aprender que “calado é que se ouve o coração no peito e na terra”, isso bastava para ensinar ao jovem o que ele precisava para viver.


Continue acompanhando a série:

Capítulo 1 | < Capítulo AnteriorPróximo Capítulo >

Sobre o autor

Benedito Milioni

Benedito Milioni

Graduado em Sociologia e Administração, 46 anos de carreira executiva e técnica em Desenvolvimento de Pessoas, autor de 32 livros, autor de 5 e-books, co-autor de 15 livros e autor de 25 manuais técnicos.

Dirigiu treinamento para mais de 3.349 grupos (cerca de 81.000 treinandos), dos quais 36.760 da área de RH, cerca de 24.736 Gestores e Líderes, 18.610 na área Comercial e 3.318 em Competências de Negociações . Formou cerca de 2.450 Instrutores e Multiplicadores Internos e 610 Consultores Internos Participa, regularmente, como conferencista sobre Tecnologia de Gestão em T&D em eventos nacionais e internacionais.

Apresentou mais de 2.104 conferências e palestras para mais de 200.000 pessoas. Prestou serviços a mais de 440 empresas, no Brasil e no exterior (América Latina, América Central, África e Europa). Júri de prêmios de Excelência na Gestão de Pessoas.

Publisher da GESTÃO DE PESSOAS EM REVISTA.

Contatos:

Av. Paulista, 2.202 , 3o. Andar CEP 01310-300 - São Paulo – SP
Site: www.milioni.com.br
Email: [email protected]
Telefone: 11 3508-1990 | 4158-7435 | 99909-5858
Facebook: www.facebook.com/bmilioni Linkedin: linkedin.com/benedito-milioni

Canal no Youtube