Nutrição

Chia — Benefícios e como utilizá-la

Imagem da fruta lichia dispostas sobre um cesto de vime e ao lado algumas sementes da fruta.
Foto por Ivabalk no Pixabay
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Cultivada e consumida desde a Era Pré-colombiana, a semente de chia é bastante popular entre aqueles que querem afinar a cintura ou acrescentar alimentos nutritivos à dieta! Suas sementes eram tão populares entre os povos da Mesoamérica que elas constituíam parte da alimentação básica dos astecas. Registros históricos do século XVI mostram que a chia foi tão importante quanto o cacau para esses povos e movimentou um complexo e muito rentável sistema econômico em torno do seu cultivo.

Curiosidades históricas à parte, você já deve ter ouvido falar que esse “superalimento” é bastante eficaz para reduzir aqueles quilinhos indesejados da balança. Além disso, as sementes de chia têm diversas propriedades benéficas para a saúde e são ótimas fontes de ômega-3, cálcio, magnésio, manganês, fósforo, proteínas, fibras e antioxidantes.

Com tantos benefícios e nutrientes, dá vontade de colocar chia em tudo o que comemos. Em contrapartida, tenha muito cuidado, pois, além de existirem contraindicações para seu consumo, a chia em excesso pode provocar efeitos contrários aos desejados!

Quais os benefícios da chia para a saúde?

Um dos benefícios da chia no organismo é o auxílio no controle de diabetes tipo um e dois. Graças ao seu rico teor em fibras, a semente evita o aumento repentino de glicemia. Dessa forma, além de ajudar no controle da quantidade de açúcar no sangue e de reduzir o índice glicêmico dos alimentos, ela provoca a sensação de saciedade, evitando aquela fome repentina!

Devido à grande quantidade de fibras que possuem, as sementes estimulam os movimentos intestinais, o que melhora a saúde do seu intestino. É preciso, porém, muito cuidado, pois a chia é rica em fibras solúveis, ou seja, se não há a ingestão adequada de água, ela pode provocar prisão de ventre e aumentar o risco de colite.

Imagem de muitas frutas lichia. Elas estão rosadas e maduras para serem degustadas.
Foto por Marzena P. no Pixabay

Outro benefício desse alimento — e talvez um dos motivos pelos quais a semente de chia é tão procurada — é o auxílio no emagrecimento. Isso acontece porque as sementes provocam no organismo a sensação de saciedade e, como elas são capazes de absorver grandes quantidades de água, forma-se uma espécie de gel que aumenta a dilatação do estômago e evita a vontade de comer várias vezes.

Além desses efeitos positivos para o funcionamento do nosso organismo, a chia ajuda na prevenção do envelhecimento precoce, fortalece os ossos, reduz o risco de doenças cardiovasculares e regula o colesterol.

Vale ressaltar, entretanto, que não existe alimento milagroso! Sua ingestão deve estar associada a uma rotina saudável de exercícios e a uma dieta balanceada. Por isso, antes de sair por aí trocando todos os alimentos pela chia, busque a opinião de um nutricionista, pois ele vai aconselhar você da melhor maneira possível.

Qual a melhor forma de consumir a chia?

Incluir a chia na alimentação é muito fácil! Graças ao seu tamanho, é possível incorporá-la à nossa dieta com muita versatilidade e criatividade.

Antes de comê-las, recomenda-se hidratar as sementes, deixando-as em descanso em um copo com água por cerca de 15 minutos. Isso aumenta seu efeito mucilaginoso, ou seja, sua capacidade de absorver e de reter água, provocando a sensação de saciedade.

Você pode consumi-la quando desejar, desde que seja com moderação. Seja no café da manhã, misturada com mel, iogurte natural e aveia, ou no jantar, como complemento de algum molho ou tempero para salada. É recomendado, portanto, não ultrapassar 10g por dia, o que corresponde a, aproximadamente, uma colher de sopa da semente.

Imagem da fruta lichia. Algumas estão com casca e outras descascadas. Estão dispostas sobre um pires de porcelana.
Foto por Atul Somani no Pixabay

Uma excelente maneira de consumi-la é adicioná-la às folhas de alface na salada antes das principais refeições. Você ainda pode incluí-la a alimentos já prontos para serem consumidos, como sopas e iogurtes, mas, se quiser fugir do comum, abuse da criatividade e adicione chia às suas receitas de bolos, biscoitos e até mesmo massas.

Caso não goste do sabor da chia misturado ao de outros alimentos, há uma solução! Você pode fazer a chamada “água de chia”, que é simples: basta misturar 30g (três colheres de sopa) de chia ao suco de dois limões dissolvidos em um litro d’água. Em seguida, acrescente o edulcorante que preferir (mel, adoçante, açúcar orgânico etc.) e deixe a mistura descansando de 15 a 30 minutos.

Quais os males que a chia pode causar?

Muitas pessoas acreditam erroneamente que o exagero pode acelerar os resultados, porém tudo em excesso faz mal e, com a chia, não é diferente. Caso ela seja consumida em quantidades exageradas, há o risco de ser produzido no organismo efeitos opostos aos desejados.

Entre os malefícios provocados pelo exagero da chia na dieta, está o ganho de peso. Como toda semente, a chia é bastante calórica, pois em 100g dela há cerca de 550 kcal, o equivalente a um pacote de salgadinho! Dessa forma, se consumida além da quantidade indicada, ela pode acabar adicionando à balança aqueles quilinhos indesejados.

Evite ingerir as sementes secas diretamente, pois nossos fluídos orgânicos (como a saliva e o muco) podem acabar hidratando-a, provocando, por sua vez, transtornos no sistema gástrico e não se esqueça de hidratar a chia antes de cada refeição, deixando-a imersa em um copo d’água por um período de 15 minutos!

Você também pode gostar

Existem ainda certos grupos de risco que devem evitar o consumo dessa semente, como os hipertensos e os hipotensos, e os hipertensos que costumam fazer o uso de algum remédio para a hipertensão podem sentir queda de pressão ao ingerirem a semente. Já os hipotensos podem sentir cansaço, sonolência e dor de cabeça.

Então, você já sabe: antes de começar qualquer dieta à base de chia e que propõe resultados milagrosos em períodos de tempo recorde, duvide! O ideal é sempre buscar a opinião de um nutricionista para saber qual a melhor forma de consumir esse superalimento!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]