Nutrição Saúde Integral

Como a intolerância ao glúten pode influenciar seus cabelos

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

A intolerância ao glúten provoca sintomas intestinais como excesso de gases, dor no estômago, diarreia ou prisão de ventre, mas como esses sinais também aparecem em diversas doenças, muitas vezes a intolerância não é diagnosticada. O que pouca gente sabe é que ela pode causar também queda de cabelo e outros problemas dermatológicos.

De acordo com Inaê Cavalcanti, dermatologista especializada em cabelos, problemas capilares podem ser mais comuns em pessoas intolerantes ao glúten. “Tanto queda difusa do cabelo (eflúvio telógeno), por alguma deficiência nutricional causada pela alteração da parede intestinal devido à presença do glúten, quanto a alopecia areata (popularmente conhecida como placas no couro cabeludo) são alguns exemplos de origem autoimune”, explica.

Há pouco tempo foram publicadas algumas pesquisas que apontam a ligação da queda de cabelo com a doença celíaca.

“Isso porque ambas têm origem autoimune (desregulação de linfócitos T); e a alteração da permeabilidade da mucosa intestinal nos intolerantes ao glúten leva ao aumento na absorção de várias substâncias capazes de desencadear uma reação imunológica, causando a alopecia areata (formação de anticorpos com a capacidade de destruir o folículo piloso)”, explica Inaê.

Pessoas que têm problemas de saúde relacionados ao glúten podem desenvolver com mais facilidade algumas doenças como:

  • Eflúvio telógeno crônico (queda difusa do cabelo): pode ocorrer por deficiência na absorção de nutrientes, importante para a fase de crescimento dos fios.
  • Alopecia areata (formação de anticorpos com a capacidade de destruir o folículo piloso): A inflamação crônica da parede intestinal causa uma espécie de falha na parede do intestino, que além de diminuir a absorção de nutrientes também aumenta a penetração de substâncias tóxicas e alérgicas. Assim, o sistema de defesa inicia a produção de antígeno-anticorpo, que ataca estruturas saudáveis, causando, por exemplo, esse tipo de alopecia.
  • Associação entre a alopecia e a doença celíaca: as duas possuem origem autoimune; a alteração da permeabilidade da mucosa intestinal nas pessoas que são intolerantes ao glúten leva ao aumento na absorção de várias substâncias com capacidade de desencadear uma reação imunológica, causando a alopecia areata.
Como viver com intolerância ao glúten

Os sintomas podem ser confundidos com outros problemas considerados relativamente comuns, por isso, o diagnóstico pode ser tardio. É preciso ficar atento e após a descoberta devem ser retirados da dieta todos os alimentos que contenham essa proteína, por exemplo, a farinha de trigo, macarrão, biscoitos, bolos, etc.

A boa notícia é que é possível encontrar produtos especiais que substituem essa proteína. Lembre-se também de observar os rótulos dos ingredientes para identificar a presença de trigo, cevada ou centeio, e resíduos de glúten na composição.


Texto escrito por Natália Nocelli da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]